Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Blog d'espiritismo _ A verdade

Não há, pois, como considerar Cristão, alguém que não crê no sacrifício que o Deus Vivo fez por nós. Desta forma, como filhos de Deus , devemos tomar cuidado com seitas que se dizem Cristãs, mas que são a mais pura deturpação da verdade.

Blog d'espiritismo _ A verdade

Não há, pois, como considerar Cristão, alguém que não crê no sacrifício que o Deus Vivo fez por nós. Desta forma, como filhos de Deus , devemos tomar cuidado com seitas que se dizem Cristãs, mas que são a mais pura deturpação da verdade.

Ignorância?

Recebi este comentário de alguém que copia e cola, mas que não tem o mínimo conhecimento da Escritura: 

 

"Profecias que passaram do prazo? Não conheço nenhuma!". Então, passarás a conhecer. Eu já citei Ezequiel 29:8-12, que até agora você não conseguiu apresentar prova alguma que tenha acontecido. Citarei mais algumas:


Lucas, capítulo 24, verso 46: “E disse-lhes: Assim está escrito, e assim convinha que o Cristo padecesse, e ao terceiro dia ressuscitasse dentre os mortos”.
Comentário(s): Lucas 24:46 se refere a uma suposta profecia das antigas escrituras, isto é, do Antigo Testamento. Todavia, não existe nenhuma profecia, no Antigo Testamento, que confirme Lucas 24:46. Nenhuma profecia do Antigo Testamento faz alusão à ressurreição de Cristo ao terceiro dia.

João, capítulo 7, verso 38: “Quem crê em mim, como diz a Escritura, rios de água viva correrão do seu ventre”.
Comentário(s): O termo “Escritura”, no aludido trecho do Evangelho Segundo João, corresponde ao Velho Testamento. João 7:38 é mais uma referência a uma profecia inexistente no Velho Testamento. Não consta nenhuma profecia, no Velho Testamento, relativa a esta hipérbole metafórica, citada em João 7:38, referente à fé em Cristo.

I Coríntios, capítulo 15, versos 3 e 4: “[3] Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras, [4] e que foi sepultado, e que ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras”.
Comentário(s): I Coríntios 15:3-4 faz alusão a mais uma profecia inexistente no Velho Testamento (Escrituras), pois não se encontra nenhuma referência à ressurreição de Cristo ao terceiro dia no Velho Testamento.

João, capítulo 20, verso 9: “Porque ainda não sabiam a Escritura, que era necessário que ressuscitasse dentre os mortos”.
Comentário(s): João 20:9 é parte integrante da narrativa sobre a ressurreição de Jesus. João 20:9 refere-se a uma profecia inexistente no Antigo Testamento.

Mateus, capítulo 2, verso 23: “E chegou, e habitou numa cidade chamada Nazaré, para que se cumprisse o que fora dito pelos profetas: Ele será chamado Nazareno”.
Comentário(s): Mateus 2:23 afirma que fora profetizado que Jesus habitaria a cidade de Nazaré e que seria chamado Nazareno, entretanto, tal profecia não existe no Velho Testamento.

Ezequiel, capítulo 29, versos 19 e 20: “ [19] Portanto, assim diz o Senhor DEUS: Eis que eu darei a Nabucodonosor, rei de babilônia, a terra do Egito; e levará a sua multidão, e tomará o seu despojo, e roubará a sua presa, e isto será a recompensa para o seu exército. [20] Como recompensa do seu trabalho, com que serviu contra ela, lhe dei a terra do Egito; porquanto trabalharam por mim, diz o Senhor DEUS”.
Comentário(s): Ezequiel 29:19-20 é outra profecia não cumprida do Velho Testamento, pois Nabucodonosor jamais conquistou o Egito. Como se pode constatar, trata-se de outra profecia atribuída ao sanguinário e tirânico Deus do Velho Testamento, em sua insaciável sede de sangue. Tais profecias não cumpridas fortalecem ainda mais as evidências que apontam o Deus bíblico como um personagem fictício, principalmente o do Velho Testamento, outrossim, invalidam a Bíblia como Palavra de Deus.

 


Fonte: https://www.clubedeautores.com.br/book/208748--QUIMERA
Vídeo com alguns trechos: https://www.youtube.com/watch?v=qPUShDF7Nho

 

 

Resposta: «Pois é... Quando nos limitamos a copiar e colar o que por aí lemos... Somos levados ao ridículo. Quanto à profecia sobre o Egipto, só um cego é que não vê o que aconteceu a um país que foi um dos maiores impérios do mundo... Mas, o pior cego...

 

Lucas 24:46 - Na inescrutável sabedoria e providência divina, a substância da exposição que Cristo fez - palavra por palavra- das profecias messiânicas do AT não se encontra registada com essas palavras. Mas a essência do que Ele expôs, sem dúvida teria incluído uma explicação do sistema sacrificial do AT, que estava repleto de tipos e símbolos que falavam do seu sofrimento e morte. Ele também deve ter destacado para eles as principais passagens proféticas que falavam da crucificação, como Sl 16:9-11; 22:69; Is 52:14 - 53:12; Zc 12:10; 13:17. Ele teria destacado o verdadeiro significado de passagens como: Gn 3:15; Nm 21:6-9; Sl 16:10; Jr 23:5-6; Dn 9:26 - e um sem número de outras profecias messiânicas fundamentais, particularmente aquelas que falavam da sua morte e ressurreição.

 

João 7:38 - O rito do derramamento de água também estava associado com a tradição judaica como o prenúncio dos rios escatológicos de água viva encontrados em Ez 47:1-9 e Zc 13:1. O significado do convite de Jesus centra-se no facto de que Ele era o cumprimento de tudo o que a Festa dos Tabernáculos antecipava, ou seja, Ele era o provedor de água viva, que dá vida aos homens (João 4:10-11).


João 20:9 - Tal como você, Nestor, nem Pedro nem João haviam compreendido a Escritura que diz que Jesus ressuscitaria (Sl 16:10).

 

Mateus 2:23 - O nome "Nazareno" não foi mencionado no AT, mas nada impede que os profetas o tenham referido verbalmente. O mais provável, é que, Mateus, ao escrever o seu evangelho para os judeus, esteja a usar "nazareno" como um adjectivo - referindo-se a alguém que é desprezado ou detestável - pois era assim que o povo daquela região era frequentemente caracterizado (Jo. 1:46). Se for esse o caso, as profecias que Mateus tinha em mente incluiriam Salmos 22:6-8; Isaías 53:3.

 

1Coríntios 15:3-4 - O AT fala a respeito do sofrimento e da ressurreição de Cristo. João, Pedro e Paulo citaram ou mencionaram tais passagens do AT em relação à obra de Cristo, como Salmos 16:8-11; 22; Isaías 53.

 

Quanto a Ezequiel 29:19-20 - Deus permitiu a conquista do Egipto em 568-567. Os exércitos da Babilónia actuaram como um instrumento que Deus usou para humilhar o Egipto.

 

O Deus do AT, é o mesmo do NT. Ele exerceu juízo sobre os rebeldes e, antes de o fazer, sempre avisou quais seriam as consequências do pecado. Como um Pai justo e amoroso, Ele sempre lhes disse quais seriam as consequências da desobediência e, como um Pai que odeia o pecado e que não mente, executou o que havia dito que faria.

Portanto, sei que o Nestor prefere acreditar na mentira e que nada do que eu possa dizer o fará mudar de ideias, mas continuo a crer que a Palavra de Deus cumpre SEMPRE o propósito para o qual é enviada: "Porque para Deus somos o bom perfume de Cristo, nos que se salvam e nos que se perdem. Para estes certamente cheiro de morte para morte; mas para aqueles cheiro de vida para vida. E para estas coisas quem é idóneo?" (2 Coríntios 2:15,16)

 

17905111_vH359.png