Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Blog d'espiritismo _ A verdade

Não há, pois, como considerar Cristão, alguém que não crê no sacrifício que o Deus Vivo fez por nós. Desta forma, como filhos de Deus , devemos tomar cuidado com seitas que se dizem Cristãs, mas que são a mais pura deturpação da verdade.

Blog d'espiritismo _ A verdade

Não há, pois, como considerar Cristão, alguém que não crê no sacrifício que o Deus Vivo fez por nós. Desta forma, como filhos de Deus , devemos tomar cuidado com seitas que se dizem Cristãs, mas que são a mais pura deturpação da verdade.

Racismo e mentiras de Allan Kardec - 1

Hippolyte Léon Denizard Rivail (Lyon, 3 de Outubro de 1804 – Paris, 31 de Março de 1869)  foi educador, escritor e tradutor francês. Sob o pseudónimo de Allan Kardec, notabilizou-se como o codificador do Espiritismo (neologismo criado por ele) que se tornou conhecido como: Doutrina Espírita.

Como um professor com pouca formação científica (sem formação universitária), Rivail decidiu fazer a sua própria investigação "científica", mesmo sem qualquer conhecimento das técnicas necessárias. Ele compilou uma lista de perguntas e começou a trabalhar com médiuns e canalizadores para as colocar aos espíritos. Limitado à qualidade das comunicações, alegadamente com espíritos de pessoas que já tinham morrido (na verdade eram demónios), as respostas pareciam científicas para alguns (a ciência já demonstrou que muitas dessas respostas eram simplesmente falsas), e, só mesmo alguém tão racista como Kardec não percebe que ele era profundamente racista.

De acordo com Allan Kardec, a raça Adâmica é uma raça superior, e é superior justamente porque Adão, segundo ele, era um branco caucasiano que deuorigem aos europeus civilizados. Ele afirmou também que é impossível que todos nós sejamos água de uma mesma fonte devido às diferenças, principalmente, no que diz respeito à cor da pele.

Apesar de, diz ele, a raça adâmica ter chegado ao planeta já habitado, era uma raça superior aos que aqui estavam, sendo a raça adâmica a mais inteligente  e responsável por impelir ao progresso de todas as outras raças. Ele acrescenta que os brancos eram tão evoluídos que sequer passaram a infância espiritual aqui. Ainda segundo o codificador  espírita, sendo as raças primitivas diferentes, demorariam muito para atingir um certo nível de evolução, tendo já progredido bastante, mas estando ainda muito atrasados em relação à raça adâmica.

 

O QUE É, E COMO É A “RAÇA ADÂMICA” NA VISÃO DE ALLAN KARDEC

(A Gênese » Capítulo XI – Gênese espiritual – Raça adâmica)

"38. – De acordo com o ensino dos Espíritos, foi uma dessas grandes imigrações, ou, se quiserem, uma dessas colônias de Espíritos, vinda de outra esfera, que deu origem à raça simbolizada na pessoa de Adão e, por essa razão mesma, chamada raça adâmica.

Quando ela aqui chegou, a Terra já estava povoada desde tempos imemoriais, como a América, quando aí chegaram os europeus. Mais adiantada do que as que a tinham precedido neste planeta, a raça adâmica é, com efeito, a mais inteligente, a que impele ao progresso todas as outras.

A Gênese no la mostra, desde os seus primórdios, industriosa, apta às artes e às ciências, sem haver passado aqui pela infância espiritual, o que não se dá com as raças primitivas, mas concorda com a opinião de que ela se compunha de Espíritos que já tinham progredido bastante.

Tudo prova que a raça adâmica não é antiga na Terra e nada se opõe a que seja considerada como habitando este globo desde apenas alguns milhares de anos, o que não estaria em contradição nem com os fatos geológicos, nem com as observações antropológicas, antes tenderia a confirmá-las.

39. – No estado atual dos conhecimentos, não é admissível a doutrina segundo a qual todo o gênero humano procede de uma individualidade única, de há seis mil anos somente a esta parte. Tomadas à ordem física e à ordem moral, as considerações que a contradizem se resumem no seguinte:

Do ponto de vista fisiológico, algumas raças apresentam característicos tipos particulares, que não permitem se lhes assinale uma origem comum. Há diferenças que evidentemente não são simples efeito do clima, pois que os brancos que se reproduzem nos países dos negros não se tornam negros e reciprocamente. O ardor do Sol tosta e brune a epiderme, porém nunca transformou um branco em negro, nem lhe achatou o nariz, ou mudou a forma dos traços da fisionomia, nem lhe tornou lanzudo e encarapinhado o cabelo comprido e sedoso (Pessoas que não tem o cabelo sedoso e pele branca não são evoluídas espiritualmente).

Sabe-se hoje que a cor do negro provém de um tecido especial subcutâneo, peculiar à espécie. Há-se, pois, de considerar as raças negras, mongólicas, caucásicas como tendo origem própria (Impossível todos terem sido gerados da mesma fonte, o espírito é evoluído ou não, dependendo da cor da pele) como tendo nascido simultânea ou sucessivamente em diversas partes do globo. O cruzamento delas produziu as raças mistas secundárias. Os caracteres fisiológicos das raças primitivas constituem indício evidente de que elas procedem de tipos especiais. As mesmas considerações aplicam, conseguintemente, assim aos homens, quanto aos animais, no que concerne à pluralidade dos troncos. (Cap. X, nos 2 e seguintes.)"

 

Nada do que Allan Kardec diz acima é verdade. NADA. Ele não fala em espiritualidade, mas sim em (des)conhecimentos adquiridos e classifica as pessoas de acordo com a sua cor de pele. Nada do que ele escreveu é verdade, algo que, como um suposto educador, ele deveria saber. Kardec mentiu descaradamente quando disse que os povos que estavam aqui antes dos brancos eram mais atrasados do que estes. É muito fácil provar isto e um dos exemplos pode ser a Suméria e o Egipto se considerarmos civilizações e não tribos.

 A Suméria - os mesopotâmios, núbios, fenícios, e egípcios - por exemplo, deixaram legados de valor incalculável para a humanidade e... Pasme amigo espírita: - Nenhum deles pertencia à “Raça Adâmica".  

Isto sem falar nos povos do Vale do Indo - chineses, japoneses e nativos das Américas. 

 

Convém lembrar que todo o povo Sumério era negro, tal como os povos com os quais eles se relacionavam. O que é que hoje sabemos sobre os Sumérios? 

_ Falaremos deles num outro post.

 

 

ignorante.jpg

 

 

Amanhã, veremos a forma vergonhosa de Kardec descrever os negros.

 

 

 

3 comentários

Comentar post