Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Blog d'espiritismo _ A verdade

Não há, pois, como considerar Cristão, alguém que não crê no sacrifício que o Deus Vivo fez por nós. Desta forma, como filhos de Deus , devemos tomar cuidado com seitas que se dizem Cristãs, mas que são a mais pura deturpação da verdade.

Blog d'espiritismo _ A verdade

Não há, pois, como considerar Cristão, alguém que não crê no sacrifício que o Deus Vivo fez por nós. Desta forma, como filhos de Deus , devemos tomar cuidado com seitas que se dizem Cristãs, mas que são a mais pura deturpação da verdade.

PORQUÊ JESUS CRISTO NO SÉCULO XXI?

Meus amigos, esta é a primeira parte de um estudo dividido em cinco partes!

Magistralmente escrito por http://www.samuelpinheiro.com/

Porquê Jesus Cristo no século XXI?

 É uma leitura obrigatória para quem procura conhecer Deus e a Verdade sobre a vida, aqui, e na eternidade!

 

Vivemos numa era doente, inquieta, assustada, pessimista, cansada, frustrada, decepcionada, confusa, desorientada.

Esta é a opinião que percorre analistas políticos, sociais, culturais, económicos e religiosos. Talvez isso seja melhor do que a ilusão de uma falso desenvolvimento, de uma aparente força e capacidade.

Os ideais morreram.

Os sonhos passaram a pesadelos.

Nem a ciência e a tecnologia escapam.

Se concluirmos honestamente perante os factos que os esforços do homem sem Deus se afundam e se essa conclusão nos levar ao arrependimento e à conversão diante da santidade e da justiça Divina, é que é possível experimentar uma real e autêntica mudança.

O materialismo económico, o relativismo moral, o hedonismo, o humanismo continuam a ser as manifestações de um homem morto espiritualmente.

A ideia de que o ser humano é apenas um animal mais evoluído, é apenas mais uma resultante da condição do homem alienado de Deus, ignorante da revelação, inchado nos seus preconceitos pseudocientíficos.

Não nos admira pois que a cultura, a ciência e a arte “exaltem” e celebrem a “animalidade” humana, a sua materialidade, o nada e o vazio, resultantes da negação divina. Outra coisa não seria nem será de esperar.

Ao som dos tambores ou da marcha fúnebre como produto da matéria e da energia a humanidade afunda-se no seu pecado.

O homem carece muito mais do que “pão e circo”.

O homem não é suficiente para se encher e bastar a si próprio. É tempo de cada pessoa reconhecer o seu erro, a sua miséria, a sua morte.

Há que olhar de novo para o Senhor e Salvador, ouvir o Mestre dos mestres, atender ao Príncipe da Paz.

Só a Bíblia nos pode esclarecer, só Cristo nos pode salvar. 

  • Daí por diante passou Jesus a pregar e a dizer: Arrependei-vos, porque está próximo o reino dos céus. (Mateus 4:14)

Talvez muitas pessoas pensem que sabem quem de facto Jesus é, o que é que Ele disse e de facto não sabem, não conhecem.

É necessário ir à fonte, ler o texto bíblico, pedir a Deus humildemente que nos revele a Sua verdade, o Seu amor, a Sua justiça, o Seu perdão.

Vivemos numa sociedade dita cristã mas que não tem nada de Cristo.

Não basta ter um rótulo, vestígios físicos, monumentos. Muitas dessas coisas apenas alimentam a mentira, o preconceito, a ilusão acerca de quem Ele é na verdade e do que Ele veio fazer, do que ensinou e do que nos proporciona ainda hoje em dia.

É urgente deixá-lO falar, ouvi-lO de novo sem interpretações pré-fabricadas, em primeira mão, na fonte límpida em que correm as Suas palavras.

No meio do ruído de tantas tradições acaba-se tantas vezes por não escutar, reflectir, conhecer, perceber, entender, captar, alcançar e acima de tudo abrir o coração para experimentar.

Tantos discursos algumas vezes só complicam, só baralham, só atrapalham, só desvirtuam.

Tantas dúvidas que são única e exclusivamente provocadas e alimentadas por não se escutar simplesmente o que Ele fala.

Abrir o Livro e deixá-lO comunicar pessoalmente o que nos quer dizer, interpelar, interrogar, responder, incentivar.

Apesar do laicismo e da secularização terem colocado uma mordaça nos principais meios de informação na possibilidade de uma análise e perspectiva bíblica e cristã das realidades sociais, felizmente ainda existem muitos meios e recursos para que a pessoa, a vida e o discurso de Cristo possam jorrar na mente e no coração do homem e da mulher de hoje, seja criança, adolescente jovem, adulto ou idoso.

Mesmo quando os altifalantes mediáticos estão sintonizados na análise económica, psicológica, sociológica, antropológica, científica, da realidade humana, importa dar voz à análise espiritual bíblica e cristã.

 

A CENTRALIDADE DA IDENTIDADE

É o próprio Jesus Cristo e não outro que coloca o centro da questão relativo a si mesmo na essência da Sua identidade, da Sua natureza, da Sua pessoa.

  • Quem diz o povo ser o Filho do homem? (Mateus 16:13)
  • Mas vós quem dizeis que eu sou? (Mateus 16:15)

E quando Pedro O apresenta como “O Cristo, o Filho do Deus vivo”, Jesus declara que isso não é descoberta dele, mas revelação do Pai.

O ministério de Jesus está voltado para a questão de Quem Ele é. Tudo depende da Sua identidade. O que Ele fez, disse, viveu bem como a Sua morte e ressurreição são uma evidência de quem Ele é. O que Ele pode fazer e faz na vida de todos quantos O aceitam e recebem, está relacionado com a Sua pessoa. Não se trata de uma ideologia, de uma filosofia ou de uma religião, de um conjunto de regras e preceitos, nem tão pouco de fórmulas , mas de uma Pessoa. Cristianismo e vida cristã são Cristo.

  • Quando levantares o Filho do homem, então sabereis que eu sou (...). (João 8:28)
  • Se não crerdes que eu sou morrereis nos vossos pecados. (João 8:24)
  • Então lhe perguntaram: Quem és tu? Respondeu-lhes Jesus: Que é que desde o princípio vos tenho dito? (João 8:25)

OS DITOS DE JESUS SOBRE ELE MESMO

Ninguém como Jesus falou como Ele acerca de si próprio.

Ninguém nunca conseguiu dizer mais ou melhor sobre Jesus do que Ele mesmo falou sobre si mesmo. Ninguém ao ouvir o que Ele disse pode ficar indiferente a semelhantes afirmações.

O mínimo que se pode esperar é que todos quantos tenham conhecimento das Suas reivindicações parem para reflectir e pensar a existência a partir da Sua pessoa.

  •  Aquele que beber da água que eu lhe der, nunca mais terá sede, para sempre; pelo contrário, a água que eu lhe der será nele uma fonte a jorrar para a vida eterna. (João 4:14)
  • Eu sei respondeu a mulher, que há de vir o Messias, chamado Cristo; quando ele vier nos anunciará todas as cousas. Disse-lhe Jesus: Eu o sou, eu que falo contigo. (João 4:25,26)
  • Eu sou o pão da vida; o que vem a mim, jamais terá fome; e o que crê em mim, jamais terá sede. (João 6:35)
  • Eu sou o pão da vida. (João 6:48)
  • Em verdade, em verdade eu vos digo: Antes que Abraão existisse, eu sou. (João 8:58)
  • Eu sou a porta. Se alguém entrar por mim, será salvo; entrará e sairá e achará pastagem. (João 10:9)
  • Eu sou o bom pastor. O bom pastor dá a vida pelas ovelhas. (João 10:11)
  • Eu e o Pai somos um. (João 10:30)
  • Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá; e todo o que vive e crê em mim, não morrerá eternamente. (João 11:25,26)
  • Vós me chamais o Mestre e o Senhor, e dizeis bem; porque eu o sou. (João 13:13)
  • Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim. (João 14:6)
  • Quem me vê a mim vê o Pai. (João 14:9)
  • Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o agricultor. (João 15:1)
  • Eu sou a videira, vós os ramos. Quem permanece em mim, e eu, nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer. (João 14:5)

Será que poderemos ficar indiferentes a todo este conjunto de declarações que o próprio faz acerca da Sua pessoa, da Sua identidade, do Seu ser, de quem Ele é?

Faz parte da cultura humana a aprendizagem. Somos o que somos em função de aprendermos uns com os outros.

Daí as escolas, as bibliotecas, a internet.

De entre todos os nomes e personagens que possamos nomear, Jesus se destaca muito acima de qualquer outro. Apresentem-me outro que se Lhe possa igualar e eu estarei disposto a considerar as suas prerrogativas. Passados que são dois mil anos da Sua presença física entre nós Ele continua a anos luz de qualquer outro líder religioso, político, filosófico, cultural. Ele é único, Ele é singular, Ele é supremo.

 

Continua no próximo post:

A INTIMIDADE COM O PAI

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.