Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Blog d'espiritismo _ A verdade

Não há, pois, como considerar Cristão, alguém que não crê no sacrifício que o Deus Vivo fez por nós. Desta forma, como filhos de Deus , devemos tomar cuidado com seitas que se dizem Cristãs, mas que são a mais pura deturpação da verdade.

Blog d'espiritismo _ A verdade

Não há, pois, como considerar Cristão, alguém que não crê no sacrifício que o Deus Vivo fez por nós. Desta forma, como filhos de Deus , devemos tomar cuidado com seitas que se dizem Cristãs, mas que são a mais pura deturpação da verdade.

COISAS QUE DEUS ABOMINA

COISAS QUE DEUS ABOMINA

(ocultismo, espiritismo, superstição, bruxaria...)

 

Por que é que Deus toma uma atitude radical para com tudo o que diz respeito a tais práticas?

Não será que isso é pouco razoável?

De forma alguma, e Deus, como não poderia deixar de ser, tem toda a razão. Qual será o pai que não se incomoda e não é radical com um frasco de veneno ao alcance das mãos de um filho seu?

Será que o rótulo do frasco e as medidas de preocupação são abusivas?

Será que o pai deveria ser um pouco mais condescendente com a vontade de descoberta do seu filho?

A resposta é clara e não precisa de mais defesa.

O ocultismo, a bruxaria, o espiritismo e tudo o que lhe é afim, é um veneno de alto risco. Deus, pela Sua Palavra, tem demonstrado claramente os seus perigos. Ninguém pode acusar Deus de não ter sido suficientemente avisado.

 

É lamentável que os que deviam ter a responsabilidade de dar divulgação ao que Deus diz se entretenham com outras coisas ou encubram este “negócio” de morte e destruição.

Deus pedir-lhes-á contas da sua atitude.

Quando entrares na terra que o Senhor teu Deus te der, não aprenderás a fazer conforme as abominações daqueles povos. Não se achará entre ti quem faça passar pelo fogo a seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro, nem encantador, nem necromante, nem mágico, nem quem consulte os mortos; pois todo aquele que faz tal cousa é abominação ao Senhor, e por estas abominações o Senhor teu Deus os lança de diante de ti. Perfeito serás para com o Senhor teu Deus. Porque estas nações, que hás de possuir, ouvem os prognosticadores e os adivinhadores; porém a ti o Senhor teu Deus não permitiu tal cousa. (Deuteronómio 18:9-14)

Deus não podia ser mais claro e incisivo e diante de palavras como esta ninguém deve ter a ousadia de argumentar com Deus.

Também de nada adianta porque Deus não se deixa afectar pelas nossas opiniões e não vai mudar de ideias só porque você quer fazer o que o diabo o instiga a fazer. Somos nós que devemos ajustar-nos à vontade expressa de Deus se queremos ter a benção de Deus. A benção de Deus é uma questão que se prende com a nossa escolha. Deus revelou o caminho, o propósito e o plano da sua vontade que corresponde à felicidade e à benção. Mas Ele não vai obrigar ninguém a andar segundo o que Ele diz.

 

O que o homem não pode esperar é seguir pelo caminho de contrariar o que Deus diz e no fim estar no céu e enquanto aqui está ter saúde, prosperidade e bem estar espiritual e emocional.

Cada caminho tem o seu próprio destino. Também queimaram a seus filhos e a suas filhas como sacrifício, deram-se a práticas de adivinhação, e criam em agoureiros, e venderam-se para fazer o que era mau perante o Senhor, para o provocarem à ira. Pelo que o Senhor muito se indignou contra Israel, e os afastou da sua presença; e nada ais ficou, senão só a tribo de Judá. (II Reis 17:17,18)

A morte é o resultado de práticas que conduzem a uma exposição total à acção devastadora do diabo. essa acção tanto pode ser de desequilíbrio total na mente e nas emoções, como também de doença física, miséria e infelicidade total, ou, por outro lado, de ilusão com fama, bens materiais, mas nunca com satisfação e realização totais, nem de certezas para a vida depois da morte. Deus não aceita a companhia dos que se envolvem com actividades demoníacas.

O que acontece, particularmente em Portugal, é que certas correntes que se auto designaram de cristãs, como é o caso do Catolicismo Romano, embora talvez não na doutrina mas na prática, deram o braço às práticas da bruxaria e do espiritismo.

Existem muitas pessoas que julgam que existe afinidade entre o Cristianismo e as práticas do oculto quando elas são totalmente opostas e antagónicas.

Veja-se o que diz este trecho que citamos:

Deus muito se indignou e os afastou da Sua presença e nada mais ficou. Não é possível misturar a luz e as trevas, como também da mesma maneira não existe coexistência possível entre o ocultismo, a bruxaria, o espiritismo e o Evangelho de Jesus Cristo. Ai de todos os que brincam com Deus e não dão atenção ao que Deus diz. Ai dos que sendo responsáveis espiritualmente induzem ao erro, não alertam e denunciam e, pelo contrário, alimentam este estado de coisas. Deus repudia e detesta todas estas práticas. Assim morreu Saul por causa da sua transgressão cometida contra o Senhor, por causa da palavra do Senhor, a que ele não guardara; e também porque interrogara e consultara uma necromante, e não ao Senhor, que por isso o matou e transferiu o reino a Davi, filho de Jessé. (I Crónicas 10:13,14)

 

É uma afronta a Deus consultar, ou tentar consultar os mortos em detrimento de consultar o próprio Deus. É um acto de rebeldia e é simultaneamente uma porta aberta para a mistificação diabólica. Estas atitudes são sempre funestas porque o diabo não poupa os que caem nas suas garras.

Fez ele (Manassés) o que era mau perante o Senhor, segundo as abominações dos gentios que o Senhor expulsara de suas possessões de diante dos filhos de Israel. Pois tornou a edificar os altos que Ezequias seu pai, havia destruído levantou altares a Baal, fez um poste ídolo como o que fizera Acabe, rei de Israel, e se prostrou diante de todo o exército dos céus, e o serviu. Edificou altares na casa do Senhor, da qual o Senhor tinha dito: Em Jerusalém porei o meu nome. Também edificou altares a todo o exército dos céus nos dois átrios da casa do Senhor. E queimou a seu filho como sacrifício, adivinhava pelas nuvens, era agoureiro e tratava com médiuns e feiticeiros; prosseguiu em fazer o que era mau perante o Senhor, para o provocar à ira. (II Reis 21:2-6)

Fez o que era mau e prosseguiu fazendo o que era mau provocando a ira de Deus.

Não se trata de ignorância ingénua, falta de informação ou de bons exemplos, mas de uma atitude impulsionada pela rebeldia. À certeza e clareza da revelação de Deus existem pessoas que preferem a inconsistência da superstição. Esta preferência só pode ser explicada e compreendida pela cegueira espiritual dos que julgando-se superiores dispensam a orientação de Deus e ficam debaixo da alçada do diabo que os manipula a seu belo prazer, que é sempre para a destruição.

 

A loucura deste Manassés ao afastar de si a luz da orientação divina foi ao ponto de queimar o seu próprio filho em sacrifício.

Dir-se-á que hoje já não acontece tal coisa. Mas se repararmos bem verificamos que as práticas que acompanham a idolatria e o espiritismo, a bruxaria e o ocultismo, levam as pessoas a sacrifícios corporais que são absolutamente alheios à Palavra de Deus.

Então o Senhor falou por intermédio dos profetas, seus servos, dizendo: Visto que Manssés, rei de Judá, cometeu estas abominações, fazendo pior do que quanto fizeram os amorreus antes dele, e também a Judá fez pecar com os ídolos dele, assim diz o Senhor Deus de Israel: Eis que hei-de trazer tais males sobre Jerusalém e Judá; que todo o que os ouvir lhe tinirão ambos os ouvidos. Estenderei sobre Jerusalém o cordel de Samaria e o prumo da casa de Acabe; eliminarei Jerusalém, como quem elimina a sujeira de um prato, elimina-a e o emborca. Abandonarei o resto da minha herança, entregá-lo-ei na mão dos seus inimigos; servirá de presa e despojo para todos os seus inimigos. Porquanto fizeram o que era mau perante mim, e me provocaram à ira, desde o dia em que seus pais saíram do Egipto até ao dia de hoje. Além disso Manassés derramou muitíssimo sangue inocente, até encher a Jerusalém de um ao outro extremo, e fora o seu pecado, com que fez pecar a Judá, praticando o que era mau perante o Senhor. (II Reis 21:10-16)

 

As atitudes e práticas do ocultismo, do espiritismo, da magia, da bruxaria têm consequências terríveis para o homem e a mulher que se envolvem nelas.

Deus é um Deus de ordem e toda a criação implica leis, consequências e resultados seja no plano material como no espiritual.

Cada caminho leva ao seu próprio destino e não como alguns dizem que todos vão dar ao céu. Isso é mentira muito mais do que provada pelo que nos envolve, pela experiência do dia a dia da história.

Este Manassés do qual lemos não teve bom fim mas o pior de tudo é que com ele uma nação inteira estava sendo arrastada.

Muitas pessoas seguem cegamente os líderes religiosos sem terem o cuidado de verificaram a verdade e autenticidade dos seus ensinos. Submetem-se à tradição, à força da instituição. Só a Palavra de Deus merece a nossa atenção e a nossa sujeição. Só a Bíblia está acima do erro, do fracasso, da contradição das tradições e instituições humanas. Pela Palavra de Deus temos a possibilidade de fazer uma correcta destrinça e separação entre a verdade e o erro.

Então o rei (Josias) ordenou ao sumo sacerdote Hilquias e aos sacerdotes da segunda ordem, e aos guardas da porta, que tirassem do templo do Senhor os utensílios que se tinham feito para Baal, e para o poste ídolo e para todo o exército dos céus, e os queimou fora de Jerusalém, nos campos de Cedrom, e levou as cinzas deles para Betel. Também destituiu os sacerdotes que os reis de Judá estabeleceram sobre os altos nas cidades de Judá, e ao redor de Jerusalém, como também os que incensavam a Baal, ao sol, e à lua, e aos mais planetas, e a todo o exército dos céus. (II Reis 23:4,5)

 

O único tratamento a dar aos ídolos, às imagens, aos “santos” e “santas” de pau, de pedra, de metal ou de papel é a pura e simples destruição. Algumas pessoas podem dizer que tudo isso é inofensivo, e podem perguntar qual é o mal que um boneco de pau pode fazer. Não é essa a opinião de Deus e o melhor é aceitar o que Deus diz e exterminar todos esses objectos que são abomináveis diante do Todo Poderoso. As realidades espirituais e suas implicações não são como materiais mas não deixam de ser menos reais.

Josias não se limitou a retirar do templo os ídolos, a destruir os sacerdotes, nem a oferecer essas imagens aos seus fabricantes ou aos países vizinhos de onde tinham sido importados.

Não! Eles foram pura e simplesmente destruídos, queimados. O que não presta deve ser destruído.

O que não presta para nós não presta para os outros. “Operação limpeza” é o que podemos chamar à acção de Josias. Tudo o que não presta, que infecta, que traz morte, deve ser destruído.

E assim como aos homens está ordenado morrerem uma só vez e, depois disto, o juízo. (Hebreus 9:27)

A ideia do contacto com os mortos, da sua consulta, do seu aparecimento aos vivos é total e absolutamente contrária à Palavra e vontade de Deus, e claramente condenadas por elas. Quem com isto se envolve está pura e simplesmente entrando por uma vereda que conduz à morte, ao engano, à maldição, à condenação, ao inferno. Pode parecer duro... mas é pura e simples realidade. Não adianta pintar um frasco de veneno de cor de rosa, porque o veneno continua a ser tal mortal como o era antes. Temos que chamar, isso sim, cada pessoa à realidade do que o espiritismo envolve, para que as pessoas saibam claramente o que isso implica.

O espiritismo é uma farsa diabólica. Não negamos que existem manifestações sobrenaturais mas esse sobrenatural não é de Deus mas do diabo.

 

Deus mesmo declara e alerta. O sobrenatural de Deus está em consonância com a Sua Palavra e é para perdão, libertação, louvor de Jesus, cura, bem estar espiritual, ... A verdade não está em função do espectacular. Não são as coisas diferentes do normal que mostram o que é ou não verdade.

Na Bíblia nós temos uma regra fundamental: A Palavra de Deus é confirmada com os sinais que se seguem.

Isto é, não são os primeiros sinais, as manifestações sobrenaturais, e depois a Palavra, e muito menos o sobrenatural à parte e fora da Palavra. Mas precisamente o contrário. São os sinais que vão a seguir à Palavra. A Palavra de Deus está em primeiro lugar, vem à frente.

E é por esta Palavra que nós podemos conhecer a fonte do sobrenatural.

O diabo também pode fazer “milagres”. Mas não temos que ficar baralhados, porque é muito fácil ver a diferença entre o sobrenatural de Deus e o do diabo. O sobrenatural divino confirma a Palavra que á anunciada como primeira prioridade e leva à obediência da mesma Palavra. O sobrenatural diabólico contraria a Palavra, não tem nada a ver com ela e leva à desobediência e à indiferença para com ela. Depois da morte do homem vem o juízo e nada mais. Aqueles que têm a Jesus têm a morte eterna e estarão no inferno com o diabo e seus anjos.

Ora, havia certo homem rico, que se vestia de púrpura e de linho finíssimo, e que todos os dias se regalava esplendidamente. Havia também certo mendigo, chamado Lázaro, coberto de chagas, que jazia à porta daquele; e desejava alimentar-se das migalhas que caíam da mesa do rico, e até os cães vinham lamber-lhe as feridas. Aconteceu morrer o mendigo e ser levado pelos anjos para o seio de Abraão; morreu também o rico, e foi sepultado. No inferno, estando em tormentos, levantou os olhos e viu ao longe Abraão e Lázaro no seu seio. Então, clamando, disse: Pai Abraão, tem misericórdia de mim! E manda a Lázaro que molhe em água a ponta do dedo e me refresque a língua, porque estou atormentado nesta chama. Disse, porém, Abraão: Filho, lembra-te de que recebeste os teus bens em tua vida, e Lázaro igualmente males; agora, porém, aqui, ele está consolado, tu, porém, em tormentos. E, além disso, está posto um grande abismo entre nós e vós, de sorte que os que querem passar daqui para vós outros não podem, nem os de lá passar para nós. Então replicou: Pai, eu te imploro que o mandes à minha casa paterna, porque tenho cinco irmãos, para que lhes dê testemunho a fim de não virem também para este lugar de tormento. Respondeu Abraão: eles têm Moisés e os profetas; ouçam-nos. Mas ele insistiu: Não, pai Abraão, se alguém de entre os mortos for ter com eles, arrepender-se-ão. Abraão, porém, lhe respondeu: Se não ouvem a Moisés e aos profetas, tão pouco se deixarão persuadir, ainda que ressuscite alguém dos mortos. Lucas 16:19-31

Aqui temos sem qualquer sombra de dúvida, com uma clareza acessível a todo o homem o quadro da situação do homem depois da sua morte segundo os dois destinos possíveis.

Muitos querem e pretendem que no fim de tudo todos vão estar no céu. Outros não menos pretensiosos julgam que tudo vai acabar na sepultura. Quaisquer que sejam os argumentos ninguém que os usa tem a autoridade nem lhe foi conferido o direito para decidir acerca de como as coisas são e funcionam no plano material e espiritual.

 

A única escolha que foi dada ao homem fazer é entre as duas alternativas da vida presente e futura, com Jesus ou sem Jesus. O resto não é da conta do homem. Se eu quero ir daqui para o Porto de nada me adianta fazer o meu próprio e criativo traçado viário.

As vias estão lá, se eu por elas sigo chego ao destino, se não poderei chegar a qualquer outro lugar menos ao do destino pretendido.

As minhas reclamações, a minha crítica e o meu insurgimento não vão mudar o panorama.

SE na estação de comboio por teimosia minha ignorar a informação dos painéis e tomar o comboio que me parecer mais agradável, isso não significa que obrigatoriamente eu vou para o destino que quero, e o comboio em que entro não me vai levar onde quero a não ser que eu tenha escolhido o comboio certo. Ele irá sempre na linha e para o destino para o qual está programado.

Para o céu existe só um meio de transporte – JESUS!

O caminho está feito e se você quer chegar lá o melhor é deixar-se de discussões inúteis e seguir Nele.

SE o não fizer – não se queixe depois nem apresente reclamações ao grande Planeador.

É um favor que Deus nos faz. Não teríamos possibilidade de chegar lá pelos nossos próprios meios e é destituído de qualquer senso ficarmos ainda a reclamar. E qual é a razão de o homem reclamar? Quais são os motivos da sua reclamação? O meio não é suficientemente bom? Quer o homem fazer o que quer, andar como quer, viver como quer e chegar lá acima certinho? Veja o que é que aconteceu ao rico da nossa história bíblica verdadeira e tome as devidas precauções enquanto é tempo.

Quando vos disserem: Consultai os necromantes e os adivinhos, que chilreiam e murmuram, acaso não consultará o povo ao seu Deus? A favor dos vivos se consultarão os mortos? (Isaías 8:19)

O que é que você tem a responder a estas perguntas do próprio Deus?

Terá você coragem de preferir os necromantes, os adivinhos, os bruxos, os mágicos, os espiritas?

Ou na realidade você compreende que isso é um absurdo e que só Deus nos pode conduzir correcta e acertadamente pelo Seu Espírito e pela Sua Palavra?

Eu não tenho dúvida do que é melhor e já fiz a minha escolha.

Muitos dos que creram vieram confessando e denunciando publicamente as suas próprias obras. Também muitos dos que haviam praticado artes mágicas, reunindo os seus livros, os queimaram diante de todos. Calculados os seus preços, achou-se que montavam a cinquenta mil denários. Assim a Palavra do Senhor crescia e prevalecia poderosamente. (Actos 19:18-20)

Esta é a atitude acertada e de espontânea obediência dos que se voltam para Jesus e compreendem pela Palavra de Deus a ruindade e malignidade de tudo o que está envolvido com artes mágicas. Há um caminho de retorno para os que estão aprisionados por tais práticas e presos a pactos e a contractos nestas manifestações. Jesus veio para dar entendimento, para trazer libertação e para dar nova vida com paz, amor e alegrai. Jesus leva-nos directamente a Deus e estabelece o nosso relacionamento com Deus tornando-nos seus filhos. Isso requer um rompimento total com todas as práticas mencionadas.

É impossível pôr dois caminhos opostos a seguir na mesma direcção e a levar ao mesmo destino.

É impossível seguir por dois caminhos opostos ao mesmo tempo.

Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda a injustiça. (I João 1:9)

Esta é a garantia divina que depende única e exclusivamente de uma única condição – a nossa confissão.

Há uma possibilidade de o homem ter um relacionamento pessoal e vivo com o seu Criador, o homem pode voltar ao esplendor do propósito criador de Deus:

Se voltar as costas ao que o mantém fora, destituído da glória de Deus, através do arrependimento e da confissão, através de Jesus – o caminho está aberto!

Deixe o perverso o seu caminho, o iníquo os seus pensamentos; converta-se ao Senhor, que se compadecerá dele, e volte-se para o nosso Deus, porque é grande em perdoar. (Isaías 55:7)

Para andar na Palavra de Deus que contem a Sua vontade é preciso abandonar tudo o que Deus condena.

Quando Deus nos avisa da morte que há em qualquer prática é porque na realidade tal sucederá.

Quando Deus aponta a porta e o caminho da vida é porque não há outra saída para o homem.

O problema moral, físico, material, financeiro, familiar, profissional ou outro qualquer, passa e depende da dimensão espiritual.

O diabo convenceu os nossos primeiros pais de que Deus é nosso inimigo e quer o nosso mal, Jesus mostrou-nos de forma mais do que suficiente que Deus nos ama e quer o nosso bem. Jesus morreu carregando com todo o mal e pecado que nos era destinado e era nosso e estava sobre nós. Através dele temos à nossa disposição vida eterna. Para o nosso espírito a presença do Espírito Santo, para o nosso corpo saúde, para a nossa vida material o pão nosso de cada dia, e depois da morte o céu. Eu acredito em Jesus.

O pecado não compensa como o crime. Porque o pecado é o maior dos crimes. O pecador incrimina-se a si mesmo.

Mas Jesus veio para absolver o homem substituindo-o ao suportar e pagar em si próprio a pena. Eu acredito em Jesus. Há pessoas que estão ludibriadas pelo sabor do pecado mas cedo ou tarde, verificarão que o doce encerra um veneno mortal.

Em Jesus encontramos e recebemos a vida de Deus para hoje e amanhã e para a eternidade depois da morte.

Abandone os ídolos, as imagens, a idolatria... Abandone o que Deus rejeita e abomina.

Deus é seu amigo... porque amigo é aquele que nos avisa do mal.

Abandone o ocultismo, o espiritismo, a bruxaria, a superstição, os astrólogos, a astrologia, os signos, e qualquer outra prática afim.

Não se deixe enganar. Só Jesus pode resolver e governar a sua vida como deve ser. Só Jesus demonstrou que era seu amigo ao morrer para sofrer as consequências dos seus pecados e das suas enfermidades. Em Jesus há perdão, libertação e nova vida. Rompa definitivamente com o pecado. Volte-se para Deus... Conheça-o pela Palavra... Obedeça ao que Deus diz e receba o que Deus tem para si... Agora mesmo volte-se para Deus e ore:

“Deus, sei pela Tua Palavra que tenho feito o que é desagradável a Ti, o que Tu aborreces e abominas. Peço-Te perdão e comprometo-me com a Tua ajuda a deixar tudo. Perdoa os meus pecados. Reconheço e confesso Jesus como meu Senhor. Põe o Teu Espírito em mim. Obrigado por me fazeres um filho Teu.” Leia a Bíblia e junte-se a um grupo de cristãos que tenham a mesma confissão e sigam a Bíblia seguida e confirmada com os sinais de que Jesus fala. A benção de Deus estará sobre si.

 

Samuel R. Pinheiro