Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Blog d'espiritismo _ A verdade

Não há, pois, como considerar Cristão, alguém que não crê no sacrifício que o Deus Vivo fez por nós. Desta forma, como filhos de Deus , devemos tomar cuidado com seitas que se dizem Cristãs, mas que são a mais pura deturpação da verdade.

Blog d'espiritismo _ A verdade

Não há, pois, como considerar Cristão, alguém que não crê no sacrifício que o Deus Vivo fez por nós. Desta forma, como filhos de Deus , devemos tomar cuidado com seitas que se dizem Cristãs, mas que são a mais pura deturpação da verdade.

NÃO VIM DESTRUIR A LEI – Parte I

 

 

NÃO
VIM DESTRUIR A LEI – Parte I

Como dissemos no capítulo anterior: “Autoridade da Doutrina Espírita”, o Evangelho Segundo o Espiritismo (E.S.E.) é definido como “um livro de Doutrina, o qual terá considerável influência, pois que explana questões capitais, e não só o mundo religioso encontrará nele as máximas que lhe são necessárias, como também a vida prática das nações haurirá dele instruções excelentes.”

O “E.S.E.” inicia abordando um aspecto importante do Ministério do Senhor Jesus, o fato dele não ter vindo ao mundo para destruir a Lei mosaica, mas para cumpri-la.
Se Ele não veio para destruir nos sentido de cancelar a lei mosaica, quais seriam os pontos que haveria de cumprir?
Esse cumprimento seria total ou parcial?
Em que consistia seu ministério terreno?
Qual teria sido a finalidade pela qual veio a esse mundo para “cumprir toda a lei e os profetas”?
Sempre que o texto se referir ao E.S.E, anotaremos essa informação ao fim dos parágrafos que estarão na cor azul para fácil distinção.

O livro que tomamos como base para estudo refere-se à 112ª edição- Tradução de GUILLON RIBEIRO- 3a. edição francesa revista, corrigida e modificada pelo autor em 1866 - FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA - 1944).

Diz Jesus Cristo no texto bíblico:
" Não penseis que vim revogar a Lei ou os Profetas; não vim para revogar, vim para cumprir. Porque em verdade vos digo: até que o céu e a terra passem, nem um i ou um til jamais passará da Lei, até que tudo se cumpra.” (Mt 5.17,18)

Não penseis que eu tenha vindo destruir a lei ou os profetas: não os vim destruir, mas cumpri-los: - porquanto, em verdade vos digo que o céu e a Terra não passarão, sem que tudo o que se acha na lei esteja perfeitamente cumprido, enquanto reste um único iota e um único ponto. (S. MATEUS, cap. V, vv. 17 e 18.)” (E.S.E.)

O Cristo
3. Jesus não veio destruir a lei, isto é, a lei de Deus; veio cumpri-la, isto é, desenvolvê-la, dar-lhe o verdadeiro sentido e adaptá-la
ao grau de adiantamento dos homens
. Por isso é que se nos depara, nessa lei, o principio dos deveres para com Deus e para com o próximo, base da sua doutrina. (E.S.E.)
É correto entender que os ensinamentos propostos e vividos por Jesus era uma maneira de indicar aos homens um novo caminho para o aperfeiçoamento das relações de convivência humana, mas incorre-se em grave erro de interpretação pensar e principalmente propagar que foi esse o objetivo da vinda de Jesus ao mundo.
Jesus não veio a esse mundo para “...desenvolvê-la (a lei de Deus), dar-lhe o verdadeiro sentido e adaptá-la ao grau de adiantamento dos homens”.
 
Felizmente para todos nós seres humanos pecadores não foi para isso que Jesus veio ao mundo. Ele veio, nas palavras do apóstolo João (Jo 12.47) para SALVAR o mundo.
O mundo não estava precisando de um novo legislador, como o fora Moisés, para implantar leis mais brandas que nos auxiliassem a termos um relacionamento mais harmonioso com Deus. O mundo precisava de um Salvador e é nesse sentido que devemos entender quando Jesus disse que não viera a esse mundo para destruir a lei que era constituída não apenas pelo Pentateuco mosaico, mas também pelos livros históricos e poéticos contidos no “Tanach”, a Bíblia hebraica, e no Talmude que formavam todo o arcabouço teológico do povo Hebreu até o nascimento de Jesus e se estende até os nossos dias para os judeus.
Não eram poucas as referências descritas nos Livros do Antigo Testamento e na Tradição Judaica acerca da vinda do Messias personificado em Jesus e da Obra Redentora que estaria depositada em Suas mãos.
Existem pelo menos 115 profecias no Antigo Testamento que se cumpriram em Jesus e que são narrados no Novo Testamento. Só no Livro de Isaías existem 37 profecias que se cumpriram em Jesus.
Quando os anjos apareceram aos pastores para anunciar o nascimento de Jesus eles não O identificaram como sendo um novo legislador ou um novo mestre,
mas como Salvador:
“Havia, naquela mesma região, pastores que viviam nos campos e guardavam o seu rebanho durante as vigílias da noite. E um anjo do
Senhor desceu aonde eles estavam, e a glória do Senhor brilhou ao redor deles; e ficaram tomados de grande temor. O anjo, porém, lhes disse: Não temais; eis aqui
vos trago boa-nova de grande alegria, que o será para todo o povo: é que hoje vos nasceu, na cidade de Davi, o Salvador, que é Cristo, o Senhor. E isto vos servirá de sinal: encontrareis uma criança envolta em faixas e deitada em manjedoura. E, subitamente, apareceu com o anjo uma multidão da milícia celestial, louvando a Deus e dizendo: Glória a Deus nas maiores alturas, e paz na terra entre os homens, a quem ele quer bem. E, ausentando-se deles os anjos para o céu, diziam os pastores uns aos outros: Vamos até Belém e vejamos os acontecimentos que o Senhor nos deu a conhecer.” (Lc 2.8-15)


Quanto às leis de Moisés, propriamente ditas, ele, ao contrário, as modificou profundamente, quer na substância, quer na forma. Combatendo constantemente o abuso das práticas exteriores e as falsas interpretações, por mais radical reforma não podia fazê-las passar, do
que as reduzindo a esta única prescrição: "Amar a Deus acima de todas as coisas e o próximo como a si mesmo",
e acrescentando: aí estão a lei
toda e os profetas. Por estas palavras: "O céu e a Terra não passarão sem que tudo esteja cumprido até o último iota", quis dizer Jesus ser necessário que a lei de Deus tivesse cumprimento integral, isto é, fosse praticada na Terra inteira, em toda a sua pureza, com todas as suas ampliações e
conseqüências.”
Não podemos esquecer que Jesus era judeu e vivia como tal.
Durante toda a Sua vida entre nós Ele praticou todas as obrigações inerentes aos judeus religiosos de seu tempo.
“Ao oitavo dia de seu nascimento foi levado e apresentado no templo como a lei mosaica ordenava: Completados oito dias para ser circuncidado o menino, deram-lhe o nome de JESUS, como lhe chamara o anjo, antes de ser concebido. Passados os dias da purificação deles segundo a Lei de Moisés, levaram-no a Jerusalém para o apresentarem ao Senhor, conforme o que está escrito na Lei do Senhor: Todo primogênito ao Senhor será consagrado; e para oferecer um sacrifício, segundo o que está escrito na referida Lei: Um par de rolas ou dois pombinhos. (Lc 2.21-24)
Como vemos pelo texto acima, desde o seu nascimento Jesus cumpriu a lei mosaica e mesmo durante a sua vida ministerial (três anos e meio) Ele ia às festas e às reuniões no Templo e nas sinagogas e não impedia que seus contemporâneos e discípulos transgredissem a lei, excepção feita ao comer sem lavar as mãos e fazer a obra de Deus – curando e libertando os oprimidos – aos sábados, mas ao contrário, orientava-os a seguirem seus preceitos, como fizera em relação ao leproso que acabara de ser curado em Lucas 5.12-14: “Aconteceu que, estando ele numa das cidades, veio à sua presença um homem coberto de lepra; ao ver a Jesus, prostrando-se com o rosto em terra, suplicou-lhe: Senhor, se quiseres, podes purificar-me. E ele, estendendo a mão, tocou-lhe, dizendo: Quero, fica limpo! E, no mesmo instante, lhe desapareceu a lepra. Ordenou-lhe Jesus que a ninguém o dissesse, mas vai, disse, mostra-te ao sacerdote e oferece, pela tua purificação, o sacrifício que Moisés determinou, para servir de testemunho ao povo.”
As práticas exteriores que Jesus condenava em alguns grupos, principalmente os fariseus e saduceus, não queria dizer que ele condenava os sacrifícios e as ofertas que eram depositadas e levadas ao Templo. O que ele condenava era o fato desses “religiosos” praticarem todos esses atos que eram visíveis aos olhares humanos e negligenciarem aqueles que eram interiores, que pertenciam ao terreno das emoções, dos sentimentos e que eram visíveis apenas por Deus, de quem nada se pode esconder.
Ele condenava o fato de se ufanarem em dar dizimo de produtos que brotavam abundantemente nos campos e ao mesmo tempo deixarem de demonstrar amor e compaixão pelos semelhantes.
Ele condenava o fato de se acharem os maiorais, os mais espirituais e considerarem o restante da população como escória espiritual.
Jesus não generalizava o comportamento dos judeus de sua época, porque bons e maus existem em todos os lugares e em todos os tempos, e um exemplo disso pode ser visto em sua conversa com Filipe e seus discípulos acerca de Natanael, quando disse que Natanael era um verdadeiro israelita e que nele não havia dolo – Jo 1.47, ou seja: era um homem acima de qualquer suspeita, que apesar de viver em uma geração corrompida não se enquadrava nem se equiparava aos moldes de comportamento estabelecidos pelos grupos que poderiam parecer puros e espirituais aos olhos da população, mas que para Deus eram como
sepulcros caiados: brancos por fora e podres por dentro (Mt 23.27).

Mas, o papel de Jesus não foi o de um simples legislador moralista, tendo por exclusiva autoridade a sua palavra. Cabia-lhe dar cumprimento às profecias que lhe anunciaram o advento; a autoridade lhe vinha da natureza excepcional do seu Espírito e da sua missão divina. Ele viera ensinar aos homens que a verdadeira vida não é a que transcorre na Terra e sim a que é vivida no reino dos céus; viera ensinar-lhes o caminho que a esse reino
conduz, os meios de eles se reconciliarem com Deus e de pressentirem esses meios na marcha das coisas por vir, para a realização dos destinos humanos.” (E.S.E.)
Cabia-lhe dar cumprimento às profecias que lhe anunciaram o advento”

Como dissemos acima existem pelo menos 115 profecias no Antigo Testamento que se cumpriram em Jesus e que são narrados no Novo Testamento, 37 somente no Livro do profeta Isaías.
Não cremos ser necessário relacionar todas essas profecias, mas informamos abaixo algumas a título de orientação para entendermos que o cumprimento da lei a que
Jesus se referiu não tinha a ver apenas com uma mudança comportamental do homem em relação a Deus e aos seus semelhantes, mas esse cumprimento dizia respeito à necessidade que o ser humano tinha de que um Salvador o redimisse do pecado cometido pelo primeiro homem, Adão e isso só poderia ser levado a efeito por um
justo e é sabido que não terra não há um justo, "pois todos pecaram e carecem da glória de Deus, sendo justificados gratuitamente, por sua graça,
mediante a redenção que há em Cristo Jesus, a quem Deus propôs, no seu sangue, como propiciação, mediante a fé, para manifestar a sua justiça, por ter Deus, na
sua tolerância, deixado impunes os pecados anteriormente cometidos; tendo em vista a manifestação da sua justiça no tempo presente, para ele mesmo ser justo
e o justificador daquele que tem fé em Jesus.” (Rm 3.23-26).
Era necessário que toda a lei se cumprisse em Jesus para demonstrar aos homens que Deus os vinha alertando desde a queda de Adão. Era necessário que nascesse não de um relacionamento natural entre seus pais, mas que viesse diretamente de Deus e que, no tempo determinado por Deus, fosse levantado na Cruz do Calvário e ali expiasse os pecados de toda a humanidade. Mas a morte não o deteria e por essa razão, para que todo o Seu sacrifício tivesse validade, Ele ressuscitou ao
terceiro dia e permanece vivo até hoje.
Sendo assim, quando nos apresentamos diante dEle em oração não o estamos fazendo diante de imagens que nada podem fazer nem por si mesmas nem pelos que as buscam; não estamos pedindo ajuda e orientação àqueles que já se foram desse mundo, porque estes também nada poderão fazer em nosso favor, visto que “aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo depois disso o juízo” como nos ensina o escritor da Carta aos Hebreus (Hb 9.27). Quando nos apresentamos diante dEle o estamos fazendo diante daquele que venceu a morte e está aguardando por todos aqueles que compreendem, sentem no coração e declaram com seus lábios que são pecadores e que necessitam de um Salvador pessoal e depositam nEle, Jesus, todos os seus dramas interiores, enfermidades humanas e espirituais e, acima de tudo: colocam aos seus pés todos os seus pecados para que sejam por Ele perdoados.
Esse é o real sentido para o cumprimento da lei a que Jesus se referia.Cumprimento integral e não parcial.
Cumprimento definitivo para todos aqueles que nEle crêem.

Algumas profecias que se cumpriram em Jesus e que podem nos mostrar porque Ele disse que viera para cumprir toda a lei:

O MESSIAS (Jesus) PROFECIA CUMPRIMENTO
1) O Primogênito da Criação Pv 8:24-25 Cl 1:15 e Jo 1:14-15 3:16
2) Participou com Deus na Criação do Mundo → Pv 8:29-30 /Gn 1:26Jo 1:10 1:3

3) Seria descendente de Abraão→ Gn 18:18 12:3 At 3:25 Mt 1:1 Lc 3:34
4) Seria descendente de Isaque→ Gn 17:19 Mt 1:2
5) Seria descendente de Jacó → Nm 24:17 /Gn 28:14Lc 3:34 Mt 1:2-

6) Descenderia da Tribo de Judá → Gn 49:10Lc 3:33 Mt 1: 2-3
7) Seria herdeiro do trono de Davi → Is 9:7 11:1-5/ 2Sm 7:13/Jr 23:5 /Sl 132:11Mt 1:1 1:6
8) Um mensageiro anunciaria a Sua vinda → Is 40:3Mt 3:1

9) A época de Seu nascimento → Dn 9:25Lc 2:1-2 Lc 2:3-7
10) O lugar de seu
nascimento→ Mq 5:2 Mt 2:1 Lc 2:4-7
11) Nasceria de uma virgem→ Is 7:14Mt 1:18 Lc 1:26-35

12) Seria homenageado pelos reis→ Sl 72:10Mt 2:1-2
13) Os presentes trazidos ao Messias → Is 60:6Mt 2:11
14) A matança dos meninos→ Jr 31:15Mt 2:16 2:17-18
15) A fuga para Egito→ Os 11:1Mt 2:14 2:15
16) Receberia do Espírito de Deus → Sl 42:1Mc 1:9-11
17) O ministério do Messias
na Galiléia→ Is 9:1-2Mt 4:12-16
18) Seria profeta → Dt 18:15Jo 6:14 1:45 At 3:19-26

19) Seria sacerdote como Melquisedeque → Sl 110:4Hb 6:20 5:5-6 7:15-17
20) Sua entrada Triunfal → Zc 9:9 /Is 62:11Jo 13:13-14 /Mt 21:1-11 Jo 12:12

21) Falaria por parábolas → Sl 78:2Mt 13:34
22) Realizaria milagres → Is 35:5-6 32:3-4Mt 11:4-5 9:32-33
23) Teria zelo pelo
Templo do Senhor → Sl 69:9 .→ Jo 2:14 a 16
24) Seria desprezado por parte dos judeus→ Is 53:3 /Sl 2:2Jo 1:11 5:43 /Lc 4:29 17:25 23:18
25)
Seria traído por um amigo → Sl 41:9Mc 14:10 /Mt 26:14 a 16 /Mc 14:43 a 45
26) Seria vendido por trinta moedas de prata→ Zc 11:12 11:13Mt 26:15 27:3 a 10
27) As 30 moedas de prata seriam lançadas no Templo para comprar o campo do oleiro → Zc 11:13Mt 27:6-7 27:3-5 8:10
28) O lugar de Judas devia
ser ocupado por outro→ Sl 109:7-8At 1:18-20 1:16-17
29) Seria abandonado pelos discípulos → Zc 13:7Mt 26:56 26:31 /Mc 14:50

30) Seria acusado por falsas testemunhas → Sl 35:11 109:7-8Mt 26:60-61
31) Permaneceria em silêncio quando acusado →
Is 53:7/ Sl 38:13-14Mt 27:12-14 26:62-63
32) Seria açoitado e ferido → Is 53:3Mt 27:26
33) Seria golpeado e cuspido Is 50:6Mc 14:65 15:17 /Jo 19:1-3 18:22
34) Seria escarnecido → Sl 22:6-8Mt 27:41-43 /Jo 19:2-3
35) Seria odiado sem motivo → Sl 69:4 109:3-5Jo 15:23-25

36) As mãos e os pés do Messias seriam traspassados → Sl 22:16 /Zc 12:10Jo 20:27 19:37 20:25-26
37) Seria crucificado com
os malfeitores → Is 53:12Mt 27:38 /Mc 15:27-28 /Lc 23:33
38) Intercederia pelos seus algozes → Is 53:12 /Sl 109:4Lc 23:34 /Hb 9:24 /1 Jo 2:1
39) Seus amigos contemplariam de longe o Messias → Sl 38:11Lc 23:49
40) O povo reprovaria o Messias com um gesto de cabeça → Sl 109:25Mt 27:39-40 27:41-44 Mc 15:29-32 /Jo 19:2-3
41) Atrairia a curiosidade
pública → Sl 22:17Lc 23:35
42) As vestes do Messias foram repartidas e sorteadas → Sl 22:18Mc 15:24 / Jo 19:24
43) Sentiria sede → Sl 22:15 69:21Jo 19:28 19:29 / Mt 27:34-48

44) Dariam vinagre e fel para o Messias → Sl 69:21Jo 19:29 /Mt 27:34-48
45) Se sentiria abandonado por Deus → Sl 22:1Mt 27:46
46) Entregaria seu Espírito a Deus → Sl 31:5Lc 23:46
47) Os ossos do Messias não seriam quebrados → Sl 34:20 /Êx 12:46Jo 19:32, 33
48) Uma lança feriria o coração do Messias → Sl 22:14Jo 19:34
49) Haveria trevas sobre a Terra → Am 8:9Mt 27:45
50) Seria sepultado como rico → Is 53:9Mt 27:57-60
51) O corpo do Messias não ficaria em decomposição e ressuscitaria→ Sl 16:10Lc 24:39
52) Subiria aos céus → Sl 68:18Lc 24:50-51 / At 1:9
Continuaremos analisando esse capítulo na próxima postagem, pois muitas dúvidas precisam ainda ser esclarecidas com relação ao verdadeiro sentido que Jesus quis dar quando disse que veio a esse mundo para cumprir toda a lei.
Sempre juntos em Jesus.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.