Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Blog d'espiritismo _ A verdade

Não há, pois, como considerar Cristão, alguém que não crê no sacrifício que o Deus Vivo fez por nós. Desta forma, como filhos de Deus , devemos tomar cuidado com seitas que se dizem Cristãs, mas que são a mais pura deturpação da verdade.

Blog d'espiritismo _ A verdade

Não há, pois, como considerar Cristão, alguém que não crê no sacrifício que o Deus Vivo fez por nós. Desta forma, como filhos de Deus , devemos tomar cuidado com seitas que se dizem Cristãs, mas que são a mais pura deturpação da verdade.

NÃO VIM DESTRUIR A LEI – Parte II

 

 
Como tivemos a oportunidade de observar na análise anterior, Jesus viera cumprir integralmente o que estava escrito a seu respeito na lei mosaica e nas profecias que falavam acerca da vinda do Messias, do Redentor de Israel.
Muitos entendem que a época em que Jesus veio a esse mundo ainda não era apropriada para que seus ensinos fossem não apenas apreendidos, mas principalmente, postos em prática. E esse também é o pensamento contido nos Livros da Codificação Espírita. Mas não é isso o que nos afirma o apóstolo Paulo na Carta aos Gálatas, quando disse que Jesus veio na “plenitude do tempo” (Gl 4.4), ou seja: tudo estava preparado para a sua vinda no aspecto espiritual, pois era necessário que as Escrituras se cumprissem, e no aspecto humano, para que os homens tivessem uma nova oportunidade de se reconciliarem com Deus.
 
Vejamos mais considerações que aparecem no “E.S.E.”:
“Entretanto, não disse tudo, limitando-se, respeito a muitos pontos, a lançar o gérmen de verdades que, segundo ele (Jesus) próprio o declarou, ainda não podiam ser compreendidas. Falou de tudo, mas em termos mais ou menos implícitos. Para ser apreendido o sentido oculto de algumas palavras suas, mister se fazia que novas idéias e novos conhecimentos lhes trouxessem a chave indispensável, idéias que, porém, não podiam surgir antes que o espírito humano houvesse alcançado um certo grau de madureza.
A Ciência tinha de contribuir poderosamente para a eclosão e o desenvolvimento de tais idéias. Importava, pois, dar à Ciência tempo para progredir. O Espiritismo é a ciência nova que vem revelar aos homens, por meio de provas irrecusáveis, a existência e a natureza do mundo espiritual e as suas relações com o mundo
corpóreo. Ele no-lo mostra, não mais como coisa sobrenatural, porém, ao contrário, como uma das forças vivas e sem cessar atuantes da Natureza, como a fonte de uma imensidade de fenômenos até hoje incompreendidos e, por isso, relegados para o domino do fantástico e do maravilhoso.
E a essas relações que o Cristo alude em muitas circunstâncias e dai vem que muito do que ele disse permaneceu ininteligível ou falsamente interpretado. O Espiritismo é a chave com o auxilio da qual tudo se explica de modo fácil.” (E.S.E.)
 
Madureza em que sentido? Espiritual? Moral?
Já nos referimos ao sentido das palavras de Jesus quando disse que os seus discípulos ainda não estavam preparados para ouvi-las e compreendê-las. Jesus avisou-os que deveriam aguardar até que do Alto fossem revestidos com poder para que pudessem anunciar as boas-novas a todos. Esse poder foi outorgado pelo Espírito Santo, ou seja: o Espírito da Verdade, o Consolador prometido por Jesus.
Uma das atribuições da promessa era a de que os discípulos que seriam os primeiros a receber o poder prometido juntamente com a manifestação do Espírito Consolador (Atos 1.8) fossem testemunhas de Cristo e por essa razão o Espírito os faria lembrar todos os ensinamentos dados pelo Mestre.
Todos sabemos, que o Paracleto, o Ajudador prometido pelo Senhor, veio a nós pela primeira vez por ocasião do Pentecostes em Jerusalém e não depois de dezenove séculos do nascimento do Senhor entre nós. Ainda em João temos a missão do Ajudador: “Quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo: do pecado, porque não crêem em mim; da justiça, porque vou para o Pai, e não me vereis mais; do juízo, porque o príncipe deste mundo já está julgado.” (João 16.8-11)
Após a manifestação do Espírito Santo no Pentecostes, podemos verificar através dos textos narrados no Livro de Atos dos Apóstolos a mudança radical dos que seguiam a Jesus.
A principio, homens tímidos e temerosos, mas após o recebimento do poder prometido, ou seja, o revestimento do Espírito que a partir daquele momento “habitaria neles”, tornaram-se ousados no falar e vemos isso na própria pregação de Pedro, onde depois de narrar acontecimentos antigos e atuais declarou a todos os presentes
que o que ocorrera ali não fora nada mais nada menos que o cumprimento da promessa dada por Jesus de que o Pai enviaria o Consolador que ficaria com eles para sempre e o resultado foi a conversão de quase três mil almas.
“A este Jesus Deus ressuscitou, do que todos nós somos testemunhas. Exaltado, pois, à destra de Deus, tendo recebido do Pai a promessa do Espírito Santo, derramou isto que vedes e ouvis.” (Atos 2.32,33)
Muitos são os textos que provam que o Espírito Santo está connosco há muito tempo e não a partir do momento em que alguns começaram a ouvir as artimanhas do Inimigo através dos ensinos da Doutrina Espírita, mas transcreveremos apenas alguns, como forma de esclarecimento:
“Ora, nós somos testemunhas destes fatos, e bem assim o Espírito Santo, que Deus outorgou aos que lhe obedecem.” (Atos 5.32)
“em quem também vós, depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação, tendo nele também crido, fostes selados com o Santo Espírito da
promessa; o qual é o penhor da nossa herança, ao resgate da sua propriedade, em louvor da sua glória.” (Efésios 1.13,14)

“Ora, a esperança não confunde, porque o amor de Deus é derramado em nosso coração pelo Espírito Santo, que nos foi outorgado.” (Romanos 5.5)

“Ora, nós não temos recebido o espírito do mundo, e sim o Espírito que vem de Deus, para que conheçamos o que por Deus nos foi dado gratuitamente. Disto também falamos, não em palavras ensinadas pela
sabedoria humana, mas ensinadas pelo Espírito, conferindo coisas espirituais com espirituais.” (I Coríntios 2.12,13)
Moralmente o homem não estava nem está preparado para compreender em sua totalidade os ensinamentos do Mestre, e essa “imperfeição” tem origem na semente do pecado que todos trazemos ao nascer.
O avanço cientifico e tecnológico não conseguiu nem conseguirá transformar o coração do homem e podemos constactar com nossos próprios olhos a veracidade dessa afirmação. Nunca se viu ou ouviu falar em tanta violência e falta de amor para com o próximo. Alguns poderão afirmar que a população mundial aumentou e essa seria a razão para o aumento “proporcional” da violência, mas nem mesmo a sociologia ou a antropologia conseguem comprovar essa “teoria”, pois é disso que se trata, uma teoria e não uma afirmação “científica”.
A Ciência tem sim contribuído para que muitas afirmações bíblicas sejam confirmadas, mesmo que a contra gosto daqueles que as apresentam, pois não poucas vezes, seus formuladores são forçados a rever conceitos e declarar a veracidade dos textos bíblicos. Isso é facilmente comprovado pela Arqueologia nos dias atuais. Mas no
tocante ao comportamento moral dos seres humanos ele tem alcançado níveis alarmantes de degradação e de imoralidade em lugares onde nunca se pensou que
poderiam existir. Lugares antes recheados de preceitos morais firmados na Palavra de Deus e que hoje simplesmente aceitam como naturais a depravação sexual e os vícios de toda ordem. “Prazeres” antes relegados a países subdesenvolvidos, como eles mesmos classificavam, acontecem em lares dos países desenvolvidos e que tinham a Bíblia como sua regra de fé e prática.
O que estou afirmando não quer dizer que foi o viver segundo os padrões bíblicos que fez com que essas nações chegassem a esse ponto, mas foi o fato de negligenciar e abandonar os seus preceitos que fez com que tomassem o caminho oposto ao que Deus estabeleceu e deixou registrado em Sua Palavra.
As doutrinas reencarnacionistas conhecidas hoje não conseguiram alterar esse quadro, mas em nosso entendimento, foram, em grande parte, responsáveis por esse desvio de conduta em diversos locais, pois onde se estabeleceram disseminaram a dúvida e o esfriamento espiritual trazendo aos corações uma doutrina “consoladora” que envolve os incautos e os faz acreditar que apesar de levarem uma vida dissoluta e imoral, terão uma nova oportunidade para evoluir e “resgatar” suas faltas
cometidas nessa e em vidas passadas em fragrante desacordo com o que preconiza a Palavra de Deus que afirma que aos homens é dado morrerem uma única vez, vindo depois disso o Juízo (Hb 9.27).
Jesus não veio destruir a Lei, mas cumpri-la em sua totalidade.
Quando esteve entre nós Ele cumpriu o que dele se esperava. Cumpriu sua missão conforme estabelecido nas páginas do Antigo Testamento e registrado por homens divinamente inspirados, mas ainda haverá de cumprir as profecias concernentes ao estabelecimento milenar de seu reino, o aprisionamento de Satanás e o Juízo que tantos procuram negar, mas é certo que as mentiras sempre partem de um fundo de verdade, senão as pessoas não a aceitariam e sobre essa questão há seu tempo exporemos nossos motivos para pensar assim.
Sempre juntos em Jesus.
Antonio Carlos, aprendiz de servo.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.