Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blog d'espiritismo _ A verdade

Não há, pois, como considerar Cristão, alguém que não crê no sacrifício que o Deus Vivo fez por nós. Desta forma, como filhos de Deus , devemos tomar cuidado com seitas que se dizem Cristãs, mas que são a mais pura deturpação da verdade.

Blog d'espiritismo _ A verdade

Não há, pois, como considerar Cristão, alguém que não crê no sacrifício que o Deus Vivo fez por nós. Desta forma, como filhos de Deus , devemos tomar cuidado com seitas que se dizem Cristãs, mas que são a mais pura deturpação da verdade.

II Samuel 24: 1 e I Crónicas 21: 1

Estimados amigos e leitores:

O Diabo, na tentativa de desviar as pessoas da Verdade, confunde os homens, fazendo-os pensar que são "sabichões" e leva-os a encontrar erros na INERRÁVEL Bíblia Sagrada!

O Livro que transformou e transforma vidas no mundo inteiro, o Livro mais amado e mais odiado do mundo!

A Palavra do Deus Vivo e Verdadeiro Criador do Céu e da Terra!

Não sou o "Google" de Deus e como tal, quando o "Evangélicosfalsosprofetas" que é o "Sérgio" que por sua vez é não-sei-quem-mais, me enviou um comentário com estas duas passagens, decidi consultar o Dr. Agostinho Soares dos Santos escritor do livro Seitas, Religiões e Nova Era.

Aqui, publico a resposta que ele atenciosamente me endereçou:

 

PERGUNTA Nº 224

DR. Agostinho:

Apesar de ter a certeza e plena convicção que a Palavra de Deus é Fiel, Verdadeira e sem erros, fui hoje confrontada com duas passagens bíblicas, que me deixaram sem resposta, por pareceram antagónicas, entre si. Uma delas, em II Samuel 24:1, diz que o Senhor incitou David a numerar Israel e Judá. A outra, em I Crónicas 21:1, diz que Satanás se levantou contra Israel e incitou David a numerar o povo. Como é possível?! Trata-se da mesma passagem?

 

RESPOSTA:

Escritas em épocas distantes e por pessoas diferentes, ambas as narrações estão correctas e referem o mesmo assunto.

Os dois textos fazem parte da Bíblia, o grande Livro de Deus, Criador dos Céus e da Terra.

Mas, então, como é possível, o primeiro texto dizer que foi o Senhor que incitou David a numerar o povo e o segundo texto dizer que foi Satanás?

 

Bem, vamos imaginar que a jovem leitora era proprietária de um estabelecimento comercial ou, então, chefe de uma determinada secção, repartição ou serviço. A certa altura, reparava que um dos seus funcionários estava a ser tentado, desafiado e prejudicado por outro. Que fazer?

Intervir, pondo fim ao problema ou deixar prosseguir?

Tendo em conta que a potencial vítima também procedia mal nas suas acções, embora convencida de que era a maior, a chefe resolvia deixar prosseguir aquela acção negativa.

Acreditava que as consequências iriam produzir um efeito pedagógico na pessoa em causa; talvez ela se arrependesse e se humilhasse!

Talvez reconhecesse que nada era e que precisava de ajuda!

Em termos humanos, poderíamos comparar Deus a um Supremo Chefe de Estado, enquanto Satanás seria uma espécie de Primeiro-Ministro que governava o mundo pessimamente, mas continuava a obter os votos da maioria.

Assim como acontece em algumas democracias ocidentais, em que a legitimidade do governo assenta no voto nas urnas, infelizmente, também neste mundo a acção diabólica assenta nos “votos” concedidos pelos perdidos pecadores!

Ao fazer tudo errado, a transgredir os mais elementares princípios divinos, sem se arrepender diante de Deus, o povo está a “votar” sistematicamente no príncipe das trevas.

Que irá fazer o “Supremo Chefe de Estado”?

É verdade que o “Chefe de Estado” (Deus Omnipotente) vai actuando, ajudando as pessoas, principalmente aquelas que deixam de apoiar as trevas e vêm para a luz! Porém, o erro e o mal continuam a imperar no planeta Terra, devido ao “governante” (Satanás) que as pessoas elegem diariamente com os seus comportamentos.

Este mundo está no maligno, como a Bíblia refere.

É ele que instiga, tenta e provoca as pessoas para praticarem as maldades.

Todavia, se Deus não impedir alguma situação negativa, calamidade ou catástrofe, certamente que assume a responsabilidade pela mesma!

É o Senhor que está por cima de tudo e as coisas só acontecem se Ele autorizar.

Até para entrar nos porcos, o diabo e os seus demónios precisaram da autorização do Senhor Jesus (Lucas 8:26-39)!

Satanás não faz tudo o que pretende; se assim fosse, já o mundo estaria completamente destruído!

Certamente que Deus e Satanás estarão sempre em oposição.

Todavia, há aspectos onde poderá parecer que há alguma convergência, embora os objectivos sejam antagónicos.

Vejamos, por exemplo, o caso de Job.

A convergência era no sentido físico, em que aconteceu tudo do pior ao homem de Deus.

Porém, o Senhor queria reabilitar o Seu servo, enquanto o diabo pretendia destruí-lo!

Deus queria mostrar que Job era fiel, mesmo perante todos aqueles problemas, mas o diabo criava dificuldades para que ele abandonasse a fé e se perdesse.

Em todo o processo do Senhor Jesus, também vemos alguma convergência entre o Divino e o inimigo das nossas almas.

Deus queria redimir a Humanidade e, para isso, era necessário Jesus ir à cruz do Calvário.

O diabo pretendia que Jesus sofresse mas não até à prova final, de morrer em nosso lugar.

Acredito que a pretensão satânica era no sentido de Jesus ser condenado e desacreditado mas que, por fim, fizesse uso dos poderes divinos e abandonasse o Seu projecto, deixando-nos perdidos para sempre!

Os objectivos são sempre diferentes, embora alguns aspectos pareçam convergir.

No caso da numeração do povo de Israel, Deus consentiu que David fosse tentado nessa área. Houve convergência na acção mas com objectivos completamente antagónicos.

Satanás pretendia destruir David e o povo de Deus, mas o Senhor queria somente humilhá-lo, ensinando-lhe uma valiosa lição espiritual e recuperá-lo para a vida!

Sim, que ele despertasse para a realidade, pois não era assim tão importante como pensava e precisava de Deus para tudo!

Joabe, chefe do exército de David, percebia muito bem que a numeração do povo constituía um grande pecado.

O mesmo não se poderá dizer do povo, que pode ter aprovado a ideia.

Talvez a mania das grandezas levasse as pessoas a querer, e até colaborar, nesta numeração.

Porém, Deus feriu Israel de modo a todos concluírem que estavam nas Suas mãos e que só a ajuda divina viabilizava a existência e permanência daquela nação no meio de todas as outras gentias.

Por aquilo que lemos no livro de Job e noutros textos bíblicos, acredito que Satanás esteja sempre a sugerir maldades contra nós (a pedir a nossa cabeça, como pediu a de Pedro) mas que Deus rejeita.

Se, um dia, Ele desguarnecer essa protecção, o mal acontece.

Relativamente aos textos de II Samuel 24:1 e I Crónicas 21:1, ambos estão correctos e retratam bem a situação.

Só que o primeiro refere o Senhor como responsável da situação e o segundo texto faz menção de Satanás como executante da tentação.

Em face de tudo o que foi apresentado, é motivo para darmos graças a Deus.

Não ficarmos tristes por ser assim, mas agradecer o facto de estarmos entregues a Deus e não nas mãos do diabo!

Então, o que é que devemos fazer?

Certamente, pedir a Deus que não autorize o diabo a fazer-nos mal.

Sabemos que Ele ouve, pois temos um Deus maravilhosamente bom!

Diz a Bíblia que “o anjo do Senhor acampa-se ao redor dos que O temem e os livra”!

O post mais comentado _ O Espírita não conhece e não acredita na Bíblia Sagrada

Os doutrinadores espíritas, fazendo uso de uma linguagem reverente, citam textos bíblicos na ânsia de provar que a doutrina espírita encontra apoio na Bíblia Sagrada, iludindo quem não conhece a Palavra de Deus, fazendo as pessoas que não conhecem as Escrituras acreditar que o espiritismo faz parte do cristianismo.

O que é uma grande mentira!

 

No entanto negam imediatamente que a Bíblia é um livro inspirado por Deus e rotulam-na como velha e ultrapassada, quando alguém cita um, ou alguns dos muitos textos bíblicos que condenam as práticas espíritas e revelam a sua doutrina como sendo de demónios.

Pergunto eu, e acho que todos se deveriam perguntar:

_ Qual será o objectivo desta tentativa de "usar quando parece conveniente" e descredibilizar "quando denuncia"?

Será humano, ou espiritual?

Jamais haverá igualdade ou paralelismo entre "doutrinas" brâmanes, hindus, budistas, espíritas e demais correntes, frutos da criação da limitada mente humana, com as revelações contidas nas palavras do próprio Deus, Único e Verdadeiro, através da Bíblia.

Sabemos porém, que existem espíritas sinceros que, entregues inocentemente a essas práticas, supõem estar obedecendo à vontade de Deus o observando seus mandamentos, quando na realidade estão negando o próprio Deus e desprezando Seu amor, Sua Misericórdia e Sua Maravilhosa Graça.

 

São pessoas enganadas e iludidas, pois supõem ter Kardec respeitado, durante todo o seu trabalho como codificador do espiritismo, a autoridade da Bíblia como a expressão da Palavra de Deus, o que de facto não aconteceu.

Eis o que escreveram e ainda hoje pregam as expressões máximas do espiritismo:

1_ Página 87 do livro "A Gênese", diz Kardec: "A Bíblia, evidentemente, encerra fatos que a razão, desenvolvida pela ciência, não poderia hoje aceitar e outros que parecem estranhos e derivam de costumes que já não são nossos."

 

2_ Página 308 do livro "Obras Póstumas", Kardec ainda ratifica: "O espiritismo é a única tradição verdadeiramente cristã e a única verdadeiramente divina e humana."

 

Estas afirmações muito para além de serem uma grande heresia, são uma afronta a Deus!

Como podem ser verdade, se o espiritismo nega a inspiração das Sagradas Escrituras, a Santíssima Trindade, a Divindade de Jesus, como Filho Único de Deus, a possibilidade de perdão dos pecados, a existência de Céu e Inferno, o juízo Final, a Ressurreição e outras verdades bíblicas?

Para as pessoas incrédulas, que não conhecem as Escrituras, é "mais fácil" tornarem-se espíritas, pois o espiritismo torna as coisas mais fáceis e cómodas ensinando que Deus não criou o homem à sua imagem, e sim, uma multidão de espíritos atrasados, imperfeitos e necessitados de "evolução" (teoria de Darwin) e não de Salvação (Graça de Deus)- negando assim o texto bíblico do livro de Gênesis 1:27 e o sacrifício de Jesus Cristo na cruz do Calvário como Redentor - o espiritismo mostra, através da "reencarnação", uma estrada repleta de chances para todos se aperfeiçoarem e "apagarem" as más acções cometidas em existências anteriores".

Sobre esta mentira, a Bíblia diz:

"O deus deste século (Satanás) cegou o entendimento dos incrédulos, para que não lhes resplandeça a Luz do Evangelho da Glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus." (2 Coríntios 4: 4)

 

3 _ No livro "O Evangelho Segundo o Espiritismo", Kardec, depois de declarar que os dez mandamentos são de carácter divino por pertencerem a todos os tempos e países - e só por este motivo seriam divinos! - nega a inspiração divina do Pentateuco, afirmando sobre o restante dos escritos mosaicos: "Todas as outras leis que Moisés decretou, obrigado que seria a conter, pelo temor, um povo, em seu natural, turbulento e indisciplinado só a idéia de um Deus terrível para impressionar criaturas ignorantes...(FEB, edição de 1979, págs. 56 e 57)

Será que realmente as opiniões blasfemas e irreverentes de Allan Kardec sobre a Bíblia nos levam a acreditar, que ele realmente acreditava em Deus?

Eu respondo que não.

 

4 _ Também no livro "A Gênese", pág. 386, Kardec ataca também os evangelistas (escritores dos Evangelhos), afirmando que eles "ter-se-ão possivelmente enganado, quanto ao sentido das palavras de Jesus, ou dado interpretação falsa aos seus pensamentos... "

 

5 _ No livro "À Margem do Espiritismo" (FEB, 3ª edição, 1981, pág. 214), do espírita Carlos Imbassahy, fundador da corrente Paganizante, do Kardecismo, lemos: "Nem a Bíblia prova coisa nenhuma, nem temos a Bíblia como probante. O espiritismo não é um ramo do cristianismo como as demais seitas cristãs.

 Não aceita os seus princípios nas Escrituras. Não rodopia junto à Bíblia.

A discussão, no terreno em que se acha, seria ótima com católicos, visto como católicos e protestantes baseiam seus ensinamentos nas escrituras.

Mas a nossa base é o ensino dos espíritos, daí o nome espiritismo."

Este é um espírita autêntico, pois tem consciência do seu paganismo, do seu ateísmo, e assim assume a sua postura, que é a verdadeira postura de todo o espírita. Contrária a todo e qualquer ensinamento Bíblico, pois ignora o poder de Deus e sua infinita misericórdia.

 

Na França, León Denis, sucessor de Kardec na continuação e divulgação de suas idéias, escreveu vários livros, dentre eles, o "Cristianismo e Espiritismo" muito lido e apreciado pelos espíritas. De salientar que este doutrinador espírita francês, recebeu por suas publicações, o título de "o filósofo inconfundível do espiritismo".

Eis o que ele escreveu em "Cristianismo e Espiritismo" na 5ª edição, pág. 130:

"A Bíblia não pode ser considerada produto da inspiração divina." Ela é "de origem puramente humana, semeada de ficções e alegorias, sob as quais o pensamento filosófico se dissimula e desaparece ao mais das vezes."

 

6 _ Eis o que foi publicado pela FEB - Federação Espírita Brasileira - através do seu órgão oficial "O Reformador" no fascículo de janeiro de 1953, na página 13, sobre a Bíblia:

"Do Velho Testamento, já nos é recomendado somente o Decálogo, e do Novo Testamento apenas a moral de Jesus; já consideramos de valor secundário, ou revogado e sem valor algum, mais de 90% do texto da Bíblia."

 

É esta a seita que muitos doutrinadores apelidam de cristã, a qual seria "simplesmente a volta ao cristianismo primitivo , sob as mais precisas formas", conforme afirmaram Kardec e vários de seus continuadores?

Os espíritas deveriam ter consciência de que a Bíblia não é um simples livro repleto de curiosidades e factos históricos.

É sim a Palavra de Deus.

A verdade nela contida permanecerá como o firmamento do céu, como se expressou o salmista no Salmo 119: 151-152:

"Tu estás perto, ó Senhor, e todos os teus mandamentos são a verdade. Para sempre, ó Senhor, está firmada a Tua Palavra no Céu."

Os espíritas deviam saber que "toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correcção, para a educação na justiça." (2Timóteo 3:16).

São injustas, enganosas e inspiradas por Satanás as afirmações que põem em dúvida a inspiração divina da Palavra de Deus:

"porque nunca jamais qualquer profecia foi dada por vontade humana, entretanto homens falaram da parte de Deus movidos pelo Espírito Santo." (2Pedro 1: 21)

 

Será que perante estes factos, você, que ainda não se deixou "apanhar" nesta rede de mentiras, acredita que o espiritismo tem alguma réstia de Cristianismo?

Lembre-se que, enquanto não chegarmos ao nosso destino final nesta vida, podemos sempre entrar na rota certa, com as ferramentas certas, fazendo as escolhas certas ao longo do caminho!

 E... o único caminho é Jesus Cristo!

O que Deus espera de você, amigo espírita

“Ele te declarou, ó homem, o que é bom e que é o que o SENHOR pede de ti: que pratiques a justiça, e ames a misericórdia, e andes humildemente com o teu Deus.” Miquéias 6:8.

Ao ler esse verso você não tem dúvidas de que pratica o que é justo, tem misericórdia das pessoas necessitadas e que está andando de maneira humilde ao lado de Deus. Sabemos que você, amigo(a) espírita, tem um papel importante na sociedade pela pessoa que é.

Deus se alegra em ver o ser humano fazer o bem aos outros e, por isso, não tenha dúvidas do amor dEle por você!

Mas, em nosso estudo de hoje queremos lhe mostrar que obedecer a Deus completamente envolve também abandonar o espiritismo.

Apenas dessa maneira você cumprirá as instruções de Miquéias 6:8 de forma plena, especialmente aquela que nos orienta a andarmos com Deus.

 

O que Deus quer que o espírita faça

1) Confie nEle, pois, se esse estudo chegou ao seu conhecimento, é porque Ele tem planos para sua vida: “Aqueles que temem o SENHOR aprenderão com ele o caminho que devem seguir.” Salmos 25:12 (Nova Tradução Na Linguagem de Hoje)

2) Alimente-se da Verdade, além de fazer o que é bom: “Confia no SENHOR e faze o bem; habita na terra e alimenta-te da verdade.” Salmos 37:3. Alimentar-se da Verdade é aceitar toda Verdade absoluta do Criador.

  

O que é a Verdade?

(1) Deus Pai – Isaías 65:16;

(2) Deus Filho [Jesus Cristo] – João 14:6;

(3) Deus Espírito Santo – João 16:13, 14;

(4) A Lei de Deus [Os livros do Antigo Testamento, incluindo os Dez Mandamentos e o mandamento de Levítico 19:31 para não consultar médiuns espíritas] – Salmo 119:142;

(5) Toda a Bíblia, inclusive os evangelhos e as cartas do Novo Testamento – João 17:17 (ver 2 Timóteo 3:16; 2 Pedro 3:15, 16).

Você precisa alimentar-se de TODA essa Verdade se quiser andar “humildemente com o teu Deus” (Miquéias 6:8).

Por favor: não deixe de desfrutar da saúde física, mental e espiritual que virá à sua vida ao alimentar-se com a Verdade de Deus!

 

3) Abandone o espiritismo, pois, é uma mentira e contrafação da Verdade Divina (Grifos acrescentados em todos os versos):

 “Não procurem a ajuda dos que invocam os espíritos dos mortos e dos que adivinham o futuro. Isso é pecado e fará com que vocês fiquem impuros.

Eu sou o SENHOR, o Deus de vocês.” Levítico 19:31 “Algumas pessoas vão pedir que vocês consultem os adivinhos e os médiuns, que cochicham e falam baixinho. Essas pessoas dirão: “Precisamos receber mensagens dos espíritos, precisamos consultar os mortos em favor dos vivos!” Mas vocês respondam assim: “O que devemos fazer é consultar a lei e os ensinamentos de Deus. O que os médiuns dizem não tem nenhum valor.” Isaías 8:19-20.

A Bíblia predisse que amigos e parentes seus irão lhe dizer para continuar no espiritismo!

Mas, sua resposta deve ser a mesma do texto de Isaías para que agrade a Deus. “Não ofereçam os seus filhos em sacrifício, queimando-os no altar. Não deixem que no meio do povo haja adivinhos ou pessoas que tiram sortes; não tolerem feiticeiros, nem quem faz despachos, nem os que invocam os espíritos dos mortos. O SENHOR Deus detesta os que praticam essas coisas nojentas e por isso mesmo está expulsando da terra esses povos, enquanto vocês vão tomando posse dela. Em todas as coisas sejam fiéis ao SENHOR, nosso Deus. Moisés disse ao povo: "Os povos da terra que vai ser de vocês seguem os conselhos dos que adivinham o futuro e dos que tiram sortes; mas o SENHOR, nosso Deus, não quer que vocês façam isso.” Deuteronômio 18:10-14.

Que após esse mandamento claro para abandonar o espiritismo sua oração seja a mesma registrada em Provérbios 30:8:

“afasta de mim a falsidade e a mentira…”

 

Peça ajuda a Deus. Não lute sozinho contra as hostes espirituais do mal... 

Sei que a sua decisão que não é fácil, mas, é fundamental.

Sei muito bem o que sente, querido (a) amigo (a) espírita, pois, um dia também acreditei (Leandro Quadros) na imortalidade da alma.

O Advogado Maurício Braga, ex-espírita e que nos concedeu uma entrevista no programa cinco (sobre A Lei do Karma) teve que abandonar o Kardecismo sendo professor cerca de 15 anos. A decisão não é fácil, mas, Braga entendeu que só poderia aceitar um dos dois:

Deus ou o espiritismo, pois, ambos não combinam.

Diante de você está o caminho da salvação (sair do espiritismo) e o da perdição (continuar nas práticas espíritas).

O conceito de que só existe um caminho está claro em Jeremias 21:8, João 14:6 e Mateus 7:13, 14.

Neste momento Deus está trabalhando em sua mente para o acalmar e conscientizar das Verdades que estudou.

Ele está tirando de seus pensamentos a ideia de que isso que está lendo é fanatismo ou um absurdo.

Afinal, você pôde comparar com a Bíblia e ver na vida de um entrevistado nosso que a Verdade Absoluta está em Jesus Cristo e em tudo o que a Bíblia ensina. Enquanto isso ocorre em sua mente, faça uma oração em pensamento e peça a Deus paz e convicção.

Peça-Lhe para que o diabo (no qual você não quer acreditar, mas que neste momento o tenta impedir de aceitar a Verdade e a consequente salvação) não o atrapalhe em sua decisão de seguir ao Jesus Divino, apresentado na Bíblia.
Obstáculos virão, pois, o inimigo não quer que vá para as fileiras dos que seguem a Bíblia toda. Mas, não desanime! Além de lhe proteger com a presença de anjos poderosos (Salmo 34:7), o Senhor promete livrar-lhe de toda influência do mal que tentar algo contra sua felicidade:

“A pessoa que procura segurança no Deus Altíssimo e se abriga na sombra protetora do Todo-Poderoso pode dizer a ele: “Ó SENHOR Deus, tu és o meu defensor e o meu protetor. Tu és o meu Deus; eu confio em ti.”

Deus livrará você de perigos escondidos e de doenças mortais. Ele o cobrirá com as suas asas, e debaixo delas você estará seguro. A fidelidade de Deus o protegerá como um escudo. Você não terá medo dos perigos da noite nem de assaltos durante o dia. Não terá medo da peste que se espalha na escuridão nem dos males que matam ao meio-dia. Ainda que mil pessoas sejam mortas ao seu lado, e dez mil, ao seu redor, você não sofrerá nada. Você olhará e verá como os maus são castigados. Você fez do SENHOR Deus o seu protetor e, do Altíssimo, o seu defensor; por isso, nenhum desastre lhe acontecerá, e a violência não chegará perto da sua casa. Deus mandará que os anjos dele cuidem de você para protegê-lo aonde quer que você for. Eles vão segurá-lo com as suas mãos, para que nem mesmo os seus pés sejam feridos nas pedras. Com os pés você esmagará leões e cobras, leões ferozes e serpentes venenosas.

Deus diz:

“Eu salvarei aqueles que me amam e protegerei os que reconhecem que eu sou Deus, o SENHOR. Quando eles me chamarem, eu responderei e estarei com eles nas horas de aflição. Eu os livrarei e farei com que sejam respeitados. Como recompensa, eu lhes darei vida longa e mostrarei que sou o seu Salvador.” Salmo 91:1-16 (Nova Tradução Na Linguagem de Hoje)

Veja que um dos salmos mais apreciados pelo mundo tem uma mensagem especial para você que é espírita e deseja seguir pelos caminhos propostos por Deus (Mateus 7:13, 14).

 

Palavras finais:

Deus é testemunha de que nunca tivemos o desejo de ferir sua preciosa consciência.

Apenas cumprimos com nosso dever de ensinarmos a Verdade bíblica a todas as pessoas (Mateus 28:18-20).

Não tenha raiva de nós por que só queremos a sua felicidade. Sonhamos em ver Jesus voltar (Apocalipse 22:20) e estarmos preparados para aquele encontro (Isaías 25:9).

E queremos muito que você e sua família se unam connosco. DEUS espera por você.

Ele entende seus limites, conhece Sua criação e sabe como lhe auxiliar para mudar suas crenças.

Apenas não feche os olhos para o que Ele lhe revelou, pratique os mandamentos dEle e as bênçãos prometidas pela Divindade (Trindade) serão suas!

“O SENHOR Deus diz: “Eu amaldiçoarei aquele que se afasta de mim, que confia nos outros, que confia na força de fracos seres humanos. Ele é como uma planta do deserto que cresce na terra seca, no chão salgado, onde não cresce mais nada. Nada de bom acontece com ele. “Mas eu abençoarei aquele que confia em mim, aquele que tem fé em mim, o SENHOR. Ele é como a árvore plantada perto da água, que espalha as suas raízes até o ribeirão. Quando vem o calor, ela não tem medo, pois as suas folhas ficam sempre verdes. Quando não chove, ela não se preocupa; continua dando frutas.” Jeremias 17:5-8. “Grande paz têm os que amam a tua lei; para eles não há tropeço.” Salmo 119:165.

Nada poderá lhe separar do amor de Deus. Sejam amigos com conselhos errados, pessoas más e até mesmo o inimigo que o iludiu por certo tempo. Satanás já foi derrotado e a vitória de Cristo sobre Ele pode ser sua AGORA mesmo se quiser:

“Que diremos, pois, à vista destas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós? Aquele que não poupou o seu próprio Filho, antes, por todos nós o entregou, porventura, não nos dará graciosamente com ele todas as coisas? Quem intentará acusação contra os eleitos de Deus? É Deus quem os justifica. Quem os condenará? É Cristo Jesus quem morreu ou, antes, quem ressuscitou, o qual está à direita de Deus e também intercede por nós. Quem nos separará do amor de Cristo? Será tribulação, ou angústia, ou perseguição, ou fome, ou nudez, ou perigo, ou espada? Como está escrito: Por amor de ti, somos entregues à morte o dia todo, fomos considerados como ovelhas para o matadouro. Em todas estas coisas, porém, somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou. Porque eu estou bem certo de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as coisas do presente, nem do porvir, nem os poderes, nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura poderá separar-nos do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor.” Romanos 8:31-39. 

Sua oração com Deus:

“Senhor: não é fácil mudar meus conceitos depois de ter aprendido algo totalmente diferente do que está na Bíblia.

Mas nesse momento, em nome de Jesus Cristo, Lhe peço que me ajude a querer fazer o que é correto (Filipenses 2:13): abandonar o espiritismo e seguir toda a Sua Verdade que está na Bíblia.

Dê-me forças para isso. Proteja-me e faça com que sinta a Sua paz infinita (Mateus 11:28-30).

Obrigado por me ouvir e pela certeza de que serei atendido. Peço-lhe em nome do Salvador Divino, Jesus Cristo. Amém.

 

 

Nota Final:

Este estudo foi retirado do site: http://www.novotempo.org.br/namiradaverdade/?cat=3

Amados irmãos em Cristo:

Não sou "Adventista do sétimo dia", mas, acredito que todo aquele que crêr e aceitar Jesus Cristo como Senhor e Salvador será salvo! Não é uma qualquer "religião" ou "denominação" que salva o ser humano e sim a fé em Jesus, nosso Salvador e Redentor.

Todo o estudo apresentado está sustentado biblicamente e como tal é totalmente credível e verdadeiro!

Saúdo-vos a todos com a bendita paz do Senhor e parabenizo-vos desde já pela excelente matéria!

O Jesus da Bíblia é o mesmo apresentado pelo espiritismo?

• Introdução:

A resposta correcta a respeito da Pessoa de Jesus é tão importante que determinará a salvação ou a perdição do indivíduo: “E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste.” João 17:3.

Por isso, no estudo de hoje queremos apresentar a você o que a Bíblia ensina sobre Jesus e também responder à pergunta que é o título deste estudo:

_ O Jesus da Bíblia é o mesmo apresentado pelo espiritismo?

• Estudo

1) O Jesus da Bíblia é o mesmo Cristo do espiritismo?

Em alguns aspectos, sim. O espiritismo destaca as boas obras de Jesus, a caridade que Ele fez e certos ensinamentos morais dEle, assim como o faz a Bíblia. Entretanto, o espiritismo nega a identidade Divina do Salvador. Isso é muito grave, levando-se em conta que a salvação depende de aceitar a Cristo não apenas como um “bom homem”, mas, também como Deus: “Aquele que tem o Filho tem a vida; aquele que não tem o Filho*** de Deus não tem a vida.” 1 João 5:12.

 O texto a seguir, escrito por Allan Kardec no livro A Gênese, capítulo XV, mostra claramente que o Jesus apresentado pelo espiritismo não é o Jesus da Bíblia: “Sem nada prejulgar quanto à natureza do Cristo, natureza cujo exame não entra no quadro desta obra, considerando-o apenas um Espírito superior, não podemos deixar de reconhecê-lo um dos de ordem mais elevada e colocado, por suas virtudes, muitíssimo acima da humanidade terrestre. Pelos imensos resultados que produziu, a sua encarnação neste mundo forçosamente há de ter sido uma dessas missões que a Divindade somente a seus mensageiros diretos confia, para cumprimento de seus desígnios. Mesmo sem supor que ele fosse o próprio Deus, mas unicamente um enviado de Deus para transmitir sua palavra aos homens, seria mais do que um profeta, porquanto seria um Messias divino… Segundo definição dada por um Espírito, ele era médium de Deus.” (Grifos acrescentados).

Tais afirmações de que Jesus não é Deus, mas unicamente um “enviado” ou “médium de Deus” são blasfemas.

A Bíblia de forma clara apresenta a Jesus não como sendo um tipo de “espírito”, mas sim o PRÓPRIO DEUS encarnado – ver João 1:1-3 e 14; Romanos 9:5; Filipenses 2:5-11; Colossenses 2:9-11; Hebreus 1:8; 1 João 5:20; Apocalipse 1:17-18, etc.

A negação da Divindade de Jesus Cristo provém da mente de satanás, que, desde o princípio, não quis aceitar a soberania do Salvador como sendo absoluta, cobiçando desta forma o trono Celestial que pertencia à Segunda Pessoa da Divindade (confira 1 João 2:22 e 23; Isaías 14:12-15; Ezequiel 28:12-19; Apocalipse 12:7-9).

Não temos dúvidas de que os “espíritos” que “informaram” Allan Kardec acerca da natureza de Jesus são os demônios, que sempre se mantiveram rebeldes a Jesus Cristo.

 

 2) Quem nega a Divindade de Cristo (tendo oportunidade de saber a respeito) será salvo? 1 João 5:12, 20; João 17:3.

Não. Na linguagem bíblica (como lemos nos textos acima), crer em Jesus Cristo envolve aceitá-Lo como Senhor e Deus.

Portanto, não terão a vida eterna todos os que negarem a Divindade Absoluta do Salvador. Isso é óbvio, pois, sem aceitar que o Messias é Divino a pessoa não compreenderá o plano de salvação para aceitá-lo, e consequentemente ser salvo.

 

3) Allan Kardec ensinou que a reencarnação é o meio do ser humano atingir um nível espiritual elevado. E Cristo? João 15:5; Hebreus 12:14; Mateus 12:31, 32.

Jesus ensinou que, para o ser humano atingir um nível elevado de espiritualidade, precisa ligar-se a Ele, como um galho está ligado a uma árvore frutífera. O Salvador também destacou que é a santificação (transformação diária) pela actuação do Espírito Santo é que eleva o ser humano (Gálatas 5:22, 23).

Perceba que o “resumo” do processo de salvação em Romanos 8:29, 30 NADA tem a ver com o ensinamento de Allan Kardec sobre a maneira de sermos salvos e nos tornarmos pessoas melhores.

 

4) Cristo ensinou que Ele é a fonte de vida eterna (João 14:6) e que tal presente Ele dará aos mortos justos quando voltar em glória (1 Tessalonicenses 4:13-18). Allan Kardec ensinou a mesma coisa, seguindo o exemplo do Salvador?

Não! Veja a declaração de Kardec em O Livro dos Espíritos, na resposta dele à pergunta 153: “Quando o corpo morre, a alma retorna à vida eterna”. Para ele, a vida eterna deveria ser entendida como um “retorno da alma à vida eterna”, no mundo dos espíritos.

Porém, Jesus nunca aceitou tal ideia por ser mentirosa e contradizer a doutrina bíblica de que só há vida eterna para alguém se tal pessoa aceitar a Jesus como Salvador, Senhor e Deus. O ensino de Allan Kardec também nega a necessidade da doutrina da ressurreição e da santidade do corpo, considerado o Templo da Terceira Pessoa da Trindade (1 Coríntios 3:16, 17; 6:19, 20).

Veja o que Kardec respondeu no Livro dos Espíritos (pergunta 160): [Pergunta 160:] O Espírito encontra imediatamente aqueles que conheceu na Terra e que desencarnaram antes dele? “Sim, de acordo com a afeição que havia entre eles, muitas vezes vêm recebê-lo na volta ao mundo dos Espíritos e o ajudam a se desprender das faixas da matéria”. (Grifos acrescentados). “Espíritos” ajudando outros a se desprenderem das faixas da matéria é pura filosofia grega, platônica.

É uma doutrina diabólica, pois, coloca o corpo como sendo algo não tão importante – o oposto da Bíblia que apresenta a natureza humana como sendo holística (1 Tessalonicenses 5:23, 24).

Como vimos anteriormente, tal ideia nega a santidade que o corpo possui para Deus (1 Coríntios 3:16, 17; Levítico 20:7; 1 Coríntios 10:31; Romanos 12:1). E, nas Escrituras é impossível provar o conceito de que a matéria é ruim ou “inferior” ao “espírito” (Gênesis 1:31 – 2:1; 1 Coríntios 6:19, 20; 1 Timóteo 4:1-5). A filosofia grega de Platão não combina com a doutrina da ressurreição ensinada por Cristo.

 

5) É possível seguir ao Jesus Divino e ser espírita ao mesmo tempo? Mateus 7:13, 14; 2 Coríntios 6:14, 15.

É impossível, de acordo com os textos bíblicos citados. Primeiro por existir apenas um caminho que conduz à salvação. Segundo: sendo a doutrina espírita (não a pessoa!) de origem diabólica, não se harmoniza com Deus.

 

***Nota: Na linguagem bíblica (especialmente do evangelho de João), o termo “filho” não indica que Cristo é “criado” por Deus Pai, mas sim que Ele era igual em Divindade – ver João 5:18 e 19:7.

Portanto, para o apóstolo João aceitar a Jesus como “Filho de Deus” é O aceitar como Deus. Veja o que diz 1 João 5:20: “Também sabemos que o Filho de Deus é vindo e nos tem dado entendimento para reconhecermos o verdadeiro; e estamos no verdadeiro, em seu Filho, Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna.” 1 João 5:20 (Grifos acrescentados).

 

Convite: Estude a fundo este tema. Você terá todas as evidências de que o Jesus Divino da Bíblia não é o “Jesus criatura” apresentado por Allan Kardec.

Decida-se pelo que é certo e aceite o Cristo que tem o poder Divino para lhe salvar da morte eterna, resultado do pecado (Romanos 3:23; 6:23).

 

Sua oração: “Deus querido: quero ser amigo do Jesus Divino apresentado na Bíblia, pois, somente Ele é o caminho para a salvação da morte eterna. Ajude-me a entender e a aceitar que Cristo é mais que um espírito evoluído. Peço-lhe em nome de Jesus. Amém.”

 

PS: Para a sua meditação diária, visite:

http://jesusnovavida.blogs.sapo.pt/

E receba a cada dia uma palavra vinda directamente do coração de Deus!

O quinto pilar do espiritismo: A lei da evolução

• Introdução:

 Em instituições espíritas há uma frase que tem tudo a ver (apenas o conceito! Não a teoria) com o que o naturalista Charles Darwin ensinava: “O espírito nasce no mineral, dorme no vegetal, se agita no animal e acorda no homem”.

Isso é chamado de “a lei da evolução”... a maneira kardecista de explicar as etapas evolutivas do “espírito”.

Já aprendemos em estudos anteriores que o termo “espírito”, na Bíblia, não possui a ideia grega – de uma entidade imaterial que sobrevive fora do corpo***. Tendo em mente que “espírito” nas Escrituras possui várias traduções – especialmente a de “fôlego de vida”, princípio vital que Deus soprou no ser humano (Gênesis 2:7) – fica fácil entendermos como é a evolução espiritual ensinada por Cristo.

 

1) A Bíblia ensina que o ser humano está em uma evolução espiritual? 1 Pedro 2:2

Resposta: Não da maneira como é ensinada por Allan Kardec.

Enquanto que o conceito bíblico é o de “crescimento” para a salvação (1 Pedro 2:2) a fim de sermos livres da morte eterna (Romanos 6:23), Kardec afirma que o “espírito” passa por vários “estágios” até atingir um “nível espiritual” elevado.

 

2) Há algum texto bíblico que negue o conceito espírita (kardecista) de evolução?

Resposta: Há muitos, mas, vejamos os principais:

Gênesis 1:26-29: “Também disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; tenha ele domínio sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, sobre os animais domésticos, sobre toda a terra e sobre todos os répteis que rastejam pela terra. Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. E Deus os abençoou e lhes disse: Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus e sobre todo animal que rasteja pela terra. E disse Deus ainda: Eis que vos tenho dado todas as ervas que dão semente e se acham na superfície de toda a terra e todas as árvores em que há fruto que dê semente; isso vos será para mantimento.”

 Aqui a Bíblia destaca a superioridade dada por Deus ao ser humano, um dia depois da criação dos animais. Todos os seres humanos foram criados à imagem e semelhança de um Deus que não precisa “evoluir”! Portanto, não existe para o Criador verdade na frase espírita que diz “o espírito se agitar no animal e acordar no homem”. Leia também Gênesis 3:19, Eclesiastes 3:19-21; 12:7.

• João 15:5: “Eu sou a videira, e vocês são os ramos. Quem está unido comigo e eu com ele, esse dá muito fruto porque sem mim vocês não podem fazer nada.”

 Jesus afirma que sem Ele não podemos fazer NADA, nem crescermos como pessoas. Já Allan Kardec ensinava que o crescimento (ou evolução espiritual) era algo natural para aqueles que fossem boas pessoas. Ele nunca centralizou o desenvolvimento espiritual na Pessoa de Jesus Cristo.

• Romanos 6:22: “Agora, porém, libertados do pecado, transformados em servos de Deus, tendes o vosso fruto para a santificação e, por fim, a vida eterna”

O termo correcto para o desenvolvimento do ser humano (com a ajuda de Jesus) é santificação. O termo grego hagiasmos significa “consagração” [a Deus], “purificação” [do pecado] e “santificação do coração e da vida”. Essas informações são importantíssimas, pois, nos esclarecem que a Bíblia não ensina uma evolução espiritual independente, mas, uma separação (ou santificação) entre a pessoa e o pecado. O conceito de pecado não existe no espiritismo e, por isso, Romanos 6:22, que afirma termos sido “libertados do pecado”, não tem sentido para muitos amigos espíritas. Também podemos ver que santificação envolve o “coração e a vida”, ou seja: todo o ser em seus aspectos físico, mental e espiritual (1 Tessalonicenses 5:23).

 • Hebreus 12:14: “Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor”

O autor de Hebreus diz que ninguém verá a Deus e será salvo sem a santificação, um processo diário do plano de Deus em nos restaurar para nos parecermos mais com Jesus. Perceba que o texto não diz: “sem a reencarnação e evolução espiritual ninguém verá o Senhor”.

 

3) Que erro existe em acreditar na evolução espiritual?

Resposta:

1º: Esse conceito nega a necessidade de Jesus (único meio de salvação – João 14:6; Atos 4:12) e da santificação, efetuada por Deus (Filipenses 2:13).

2º: Leva a maioria das pessoas a aceitarem a teoria evolucionista de Darwin, que nega a actuação do Criador: “Por meio da sua palavra, o SENHOR fez os céus; pela sua ordem, ele criou o sol, a lua e as estrelas. Pois ele falou, e o mundo foi criado; ele deu ordem, e tudo apareceu.” Salmo 33:6, 9. Uma teoria errada leva a outras...

3º: Conduz a pessoa à perdição, pois, não é a verdade como ensinada na Bíblia. “Fora [do Paraíso] ficam… os idólatras e todo aquele que ama e pratica a mentira.” Apocalipse 22:15.

 

4) A evolução espiritual ensinada na Bíblia – a santificação – ocorre em vida ou na morte? Hebreus 3:13; 1 Tessalonicenses 4:13.

Resposta: Acontece quando a pessoa está viva, pois, Hebreus 3:13 diz que a transformação é a “cada dia” e que tem de começar “hoje”. Não há oportunidade de salvação ou aperfeiçoamento depois da morte: “Antes, crescei [o termo está no presente, ou seja: cresça enquanto está vivo!

Pedro escreve para pessoas vivas, não mortas] na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

A ele seja a glória, tanto agora como no dia eterno.” 2 Pedro 3:18.

 “Portanto, nós, como companheiros de trabalho no serviço de Deus, pedimos o seguinte: não deixem que fique sem proveito a graça de Deus, a qual vocês receberam. Escutem o que Deus diz: “Quando chegou o tempo de mostrar a minha bondade, eu atendi o seu pedido e o socorri quando chegou o dia da salvação.” Escutem! Este é o tempo em que Deus mostra a sua bondade. Hoje é o dia de ser salvo.” 2 Coríntios 6:1-2.

E, 1 Tessalonicenses 4:13 é enfático: a morte é um sono sem sonhos. Portanto, não há como “evoluir” estando inconsciente (Eclesiastes 9:5, 6, 10).

 

5) Jesus pede que nos tornemos pessoas melhores por meio de que método? João 17:17.

Resposta: Pela leitura e estudo da Bíblia, o Livro de Deus que transforma vidas! (Lucas 24:27, 44).

 

 

Reflita: “Como nos dias dos apóstolos os homens procuravam destruir a fé nas Escrituras pelas tradições e filosofias, assim hoje, pelos aprazíveis sentimentos da “alta crítica”, evolução, espiritismo, teosofia e panteísmo, o inimigo da justiça está procurando levar as almas para caminhos proibidos.” “Pelo espiritismo, multidões são ensinadas a crer que o desejo é a mais alta lei, que licenciosidade é liberdade, e que o homem deve prestar contas apenas a si mesmo.”

 [Compare com Romanos 14:12 e 2 Coríntios 5:10].

 

***Nota: Ver Oscar Cullmann em Imortalidade da alma ou ressurreição dos mortos?

Uma das maiores autoridades em Novo Testamento, o Dr. Cullmann, teólogo Luterano, mostrou claramente que não há harmonia entre a doutrina grega (do filósofo Platão) sobre o “espírito” com o ensinamento bíblico. Um estudo detalhado dos termos “alma” e “espírito” poderá encontrar no livro Imortalidade ou Ressurreição? do Dr. Samuele Bacchiocchi. Pode ser adquirido com a editora Unaspress pelo site http://www.unaspress.unasp.edu.br ou pelo telefone (19) 3858-9055.

 

Pergunta pessoal: Amigo (a): tem permitido que Deus fale ao seu coração através desses estudos?

 

Oração: “JESUS: Aceito o plano de Deus para me aperfeiçoar e não o ensinado por Allan Kardec”.

O quarto pilar do espiritismo: Os médiuns

 

• Introdução:

1) O que a Bíblia diz sobre a mediunidade?

2) Deus se comunica por meios dos médiuns?

3) Os mortos podem conversar com os vivos?

 

Até ao momento percebemos que a Bíblia e os livros de Allan Kardec não se harmonizam, aliás, são completamente antagónicos.

Vejamos o que o espiritismo diz sobre os médiuns:

“Hoje, como espíritas, sabemos que Jesus foi um espírito extremamente adiantado, mas não o próprio Deus e que os Apóstolos, também espíritos adiantados, eram humanos. Médiuns inspirados, mas humanos…” (BERNARDO, Carlos Alberto Iglesia. Disponível em: http://www.espirito.org.br/portal/artigos/geae/estudo-do-novo-testamento.html Acesso em 08 de abril de 2009.) •

Estudo 1)

Como Deus se comunica com o ser humano? Números 12:6; Hebreus 1:1, 2.

Resposta: Deus se comunica de várias maneiras, especialmente por meio dos profetas e da maior revelação que já existiu: Jesus Cristo. Portanto, os apóstolos não foram médiuns – pessoas que recebiam espíritos. Pelo contrário: rejeitaram qualquer prática mediúnica Em certa ocasião, o apóstolo Paulo expulsou um espírito adivinhador que atuava por intermédio de uma jovem (Atos 16:16-18). Se Paulo fosse um médium, não teria feito isto. Os apóstolos de Jesus jamais iriam contra os ensinamentos do Antigo Testamento a respeito dos médiuns (Levítico 20:6), sendo que os Escritos Antigos eram a Bíblia deles!

 

2) Por que o Criador não poderia usar pessoas boas como os médiuns para transmitir mensagens a nós? Deuteronômio 18:10-14 (Aqui aparece o termo “necromantes”. Necromante é pessoa que pratica a necromancia, ou seja, a consulta aos “mortos”); Levítico 19:31; 20:27; 2 Crônicas 33:1-9.

Resposta: Porque, apesar de amar muito os médiuns Deus abomina, detesta as práticas mediúnicas. Veja o que diz Isaías 8:19 e 20, na Nova Tradução Na Linguagem de Hoje: “—Algumas pessoas vão pedir que vocês consultem os adivinhos e os médiuns, que cochicham e falam baixinho. Essas pessoas dirão: “Precisamos receber mensagens dos espíritos, precisamos consultar os mortos em favor dos vivos!” Mas vocês respondam assim: “O que devemos fazer é consultar a lei e os ensinamentos de Deus. O que os médiuns dizem não tem nenhum valor.”

 

 3) Se Deus não apoia a consulta a médiuns espíritas, como Saul conseguiu falar com “Samuel” que “já estava morto”? 1 Samuel 28.

Resposta: Alguns textos bíblicos são suficientes para provar que não era Samuel quem estava conversando com Saul naquela sessão espírita:

a) 1Crônicas 10:13-14 – Deus condenou a atitude de Saul de participar daquela reunião com o suposto “espírito” de Samuel. Se fosse o servo de Deus quem tivesse falado com o rei Saul, o Senhor não se importaria em teria se importado;

b) 1Samuel 28:3 – Samuel estava morto e, na morte, a pessoa está inconsciente – Eclesiastes 9:5, 6 e 10;

c) 1Samuel 28:6 – Deus não mais falava com Saul porque ela havia ido longe demais. Portanto, quem apareceu a Saul naquela reunião espírita não foi o servo de Deus, Samuel, que jamais agiria contra a decisão do Criador;

d) 1Samuel 28:12, 14 – a Bíblia não diz que o “espírito” de Samuel se fazia presente, mas sim que Saul ENTENDEU que era Samuel;

e) 1Samuel 28:15 – o suposto espírito de Samuel contradisse a Bíblia, que afirma em Jó 7:9, 10 que os mortos não podem subir, antes da ressurreição (João 5:28, 29);

f) 1Samuel 28:16 – o “espírito” jogou Deus contra Saul, dizendo que o Senhor o havia desamparado. Não é verdade! Foi o rei quem se afastou de Deus;

g) 1Samuel 28:20- a mensagem do “espírito” causou desespero em Saul. Portanto, não foi o “espírito” de Samuel quem se comunicou com Saul (você verá quem falou com Samuel na próxima questão).

 

4) Que razões Deus tem para rejeitar a prática de consultar os mortos? 2 Coríntios 11:13, 14; Mateus 24:24.

a) A Bíblia (Palavra de Deus) diz que os mortos não podem voltar para se comunicarem com os vivos porque eles estão dormindo:

“Como a nuvem que passa e some, assim aquele que desce ao mundo dos mortos nunca mais volta; ele não volta para casa; ninguém lembra mais dele.” Jó 7:9-10. “Irmãos, queremos que vocês saibam a verdade a respeito dos que já morreram, para que não fiquem tristes como ficam aqueles que não têm esperança.” 1 Tessalonicenses 4:13.

b) A única maneira de voltarmos a falar com os mortos é quando eles voltarem à vida! Jesus terá que voltar ao nosso mundo (Apocalipse 1:7) para ressuscitá-los (João 5:28, 29; Lucas 14:14; 11:25). Só depois desses eventos é que os reencontraremos: “Cada um, porém, por sua própria ordem: Cristo, as primícias; depois, os que são de Cristo, na sua vinda.” 1 Coríntios 15:23 (Grifo acrescentado). “Porquanto o Senhor mesmo, dada a sua palavra de ordem, ouvida a voz do arcanjo, e ressoada a trombeta de Deus, descerá dos céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro; depois, nós, os vivos, os que ficarmos, seremos arrebatados juntamente com eles [Isso significa que os mortos não estão em um mundo espiritual, mas que irão para o paraíso de Deus juntamente com os vivos. Não foram na nossa frente! Ler Hebreus 11:39, 40, que fala dos heróis da fé.], entre nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e, assim, estaremos para sempre com o Senhor.” (1 Tessalonicenses 4:16-17. “Os vossos mortos e também o meu cadáver viverão e ressuscitarão; despertai e exultai, os que habitais no pó, porque o teu orvalho, ó Deus, será como o orvalho de vida, e a terra dará à luz os seus mortos.” Isaías 26:19.

c) Os “espíritos” que incorporam nos médiuns são demónios e não pessoas boas. Deus não quer ser humano algum mantenha contato com os espíritos do mal.

d) Porque através do espiritismo o inimigo de Deus tem enganado muitas pessoas sinceras misturando a verdade com a mentira, o que levará à perdição de acordo com Apocalipse 22:15.

Só existem duas forças no universo: do bem ou do mal. Somente dois tipos de anjos: os caídos (2 Pedro 2:4; Apocalipse 12:7-9 – demónios) e os não caídos (Apocalipse 22:8, 9). Não é difícil, com base em Hebreus 1:14 e Colossenses 2:15 vermos que esses dois poderes lutam pelo coração do ser humano.

Portanto, se Deus não apoia a consulta a mortos e nem a mediunidade, quem está presente nas sessões espíritas são os anjos caídos que querem atrair pessoas sinceras de todas as classes sociais.

Atenção! Anjos caídos têm o poder da personificação, ou seja: imitam a voz, cheiro do perfume e outras características das pessoas que morreram. Portanto, cuidado! Não se deixe enganar (Mateus 24:24).

 

5) Um anjo bom entra na mente de algum médium para tirar o livre-arbítrio dele (a)? Salmo 34:7

Resposta: Não!

A Bíblia diz que ele acampa-se “ao redor” dos que respeitam a Deus e não que ele “entra na mente” da pessoa para tirar a identidade dela!

 

6) E os anjos maus? Marcos 5:1-14.

Resposta: Tomam conta da mente, falam por intermédio da pessoa – que perde a própria identidade – e em alguns casos trazem sofrimento (para os médiuns, não).

 

7) O que Deus quer fazer na mente daqueles que são usados por espíritos malignos? Marcos 5:15.

Resposta: Aproximá-los de Jesus e deixá-los em perfeito juízo para que os demónios nunca mais interfiram na vida e nas escolhas deles.

 

Reflita: “A doutrina da imortalidade da alma não é bíblica, mas pagã. Nasceu na Grécia e propagou-se na Igreja, através de Platão, do século V em diante, graças à influência de Agostinho…” [Professor Otoniel Mota (pastor Presbiteriano). Meu Credo Escatológico [opúsculo], ed. 1938, pág. 3]

 

Convite: Aceite os mensageiros que DEUS ESCOLHEU para Ele se comunicar com você: os profetas. Os que os médiuns dizem, de acordo com Isaías 8:20, “não tem nenhum valor”, pois, eles não foram enviados por Deus. Eles são pessoas sinceras que Jesus ama e quer conduzir ao caminho da salvação fora do espiritismo.

O terceiro pilar do espiritismo: A lei do karma

• Introdução:

- Entrevista com Maurício Braga, ex-espírita

(Acesse no site da rádio o link: http://www.novotempo.org.br/radio/interno.asp?PMA_Codigo=56&NomeDoPrograma=O%20Assunto%20É%20(Interativo) e ouça na íntegra!)

O advogado Maurício Braga foi espírita durante 16 anos e hoje é Cristão.

Hoje vamos saber algo sobre a trajectória dele no kardecismo, descobrir o porquê de ele ter abandonado a doutrina espírita e contar com a participação dele no estudo sobre o quarto pilar do espiritismo: a lei do karma.

 

• Perguntas feitas para Maurício Braga, ex-espírita (Ouça as respostas no site citado acima)

1) Por que você deixou de ser espírita?

2) O espiritismo traz certo “conforto espiritual” às pessoas a respeito de muitas questões da vida que são difíceis de enfrentar: a morte, o sofrimento… Você acredita que algo que traz “paz” pode não ser de origem divina?

3) Explique-nos o que é a “lei do karma”.

4) Em uma entrevista concedida ao programa de televisão Está Escrito você disse: “Se eu anular a Bíblia vou tirar o chão sobre ao qual a casa está construída; já o inverso não, pois, se eu tirar o espiritismo da Bíblia estarei dando a verdadeira explicação aos textos bíblicos”. Foi muito difícil chegar a essa conclusão?

5) Já estudou a Bíblia com um amigo espírita? Qual foi o resultado?

6) Qual o seu conselho a algum ouvinte que seja espírita ou simpatizante do kardecismo e que nos acompanha nesse momento?

Fim da entrevista.

 

O advogado Maurício Braga escreveu o livro Por que não sou mais espírita. Se quiser adquirir esse material, mantenha contacto com a editora Casa Publicadora Brasileira pelo 0800-979 0606 ou pelo site: www.cpb.com.br

• Estudo bíblico sobre o tema.

Pudemos perceber na entrevista com ex-espírita Maurício Braga que a Bíblia não se harmoniza com o os livros de Allan Kardec.

Nessa parte de nosso estudo iremos responder algumas perguntas e analisar com você João 9:1-3 – um dos textos usados “a favor” da lei do karma.

Vamos ler:

“Caminhando Jesus, viu um homem cego de nascença. E os seus discípulos perguntaram:

Mestre, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego? Respondeu Jesus: Nem ele pecou, nem seus pais; mas foi para que se manifestem nele as obras de Deus.” João 9:1-3.

1) Qual é o tema do capítulo 9 do evangelho de João? Não é a lei do karma.

O tema é a cura de um cego de nascença que, de acordo com os fariseus e os discípulos de Cristo – influenciados pela cultura da época – acreditavam que aquele homem era cego porque tinha pecado ou porque algum parente dele havia feito algo de errado no passado (João 9:2; veja também o verso 34).

 

Por isso, na compreensão dos judeus daqueles dias, os filhos pagavam pelos pecados dos pais – algo totalmente contrário ao que ensina Ezequiel 18:4, 20: “Eis que todas as almas são minhas; como a alma do pai, também a alma do filho é minha; a alma [pessoa] que pecar, essa morrerá.” “A alma [pessoa] que pecar, essa morrerá; o filho não levará a iniqüidade do pai, nem o pai, a iniqüidade do filho; a justiça do justo ficará sobre ele, e a perversidade do perverso cairá sobre este.” Veja que mesmo na crença judaica não havia a questão reencarnação.

Alguns fariseus (veja: nem todos), cegos pelo fanatismo, não perceberam que Jesus tinha feito o bem a uma pessoa e O julgaram mal por ter curado no Sábado (leia o verso 16), algo que estava de acordo com a Lei de Deus (Mateus 12:12).

Perceba que os líderes religiosos da época nem fizeram conta do milagre!

A análise contextual e os versos bíblicos de Ezequiel são suficientes para provar que a chamada “lei do Karma” que supostamente é apresentada em João 9 é uma interpretação de Allan Kardec, pois, de acordo com a Bíblia “cada um de nós dará contas de si mesmo a Deus.” Romanos 14:12.

 

2) Então, o que Jesus quis dizer quando afirmou que aquela pessoa nasceu cega para que Deus pudesse mostrar o poder dEle? Não seria isso uma forte evidência de que a Bíblia apoia a lei do karma?

Quando analisamos o significado da expressão “para que” (se manifestassem nele as obras de Deus) no grego bíblico, o aparente problema fica resolvido. “Para que” é uma conjunção grega – “ina” – e um dos sentidos da palavra, com o restante do verso três de João 9 é este: “Já que ele nasceu assim, se manifestarão nele as obras de Deus”!

Portanto, nem perto a lei do karma está presente nesse texto, de acordo com o original.

Deus jamais faria alguém ficar cego apenas para mostrar o poder dEle: “Pois tu não és Deus que se agrade com a iniqüidade, e contigo não subsiste o mal.” Salmo 5:4.

3) Como podemos saber que a conclusão que chegamos a respeito do texto é a correta?

Pela análise do contexto bíblico. Estudamos João 9 e o significado de um termo grego de maneira imparcial.

Portanto, não há como duvidar do que foi exposto, sendo que seguimos as normas de interpretação da Bíblia.

 

4) Podemos dizer que, de certa forma, é injusto o ensino de que todos passarão pelo “karma”?

É claro que Deus usa o sofrimento para aperfeiçoar o nosso caráter (1 Pedro 4:12, 13; 2 Pedro 1:5-11), mesmo não sendo o autor do sofrimento (Jó 1 e 2), mas, jamais usa a dor para nos salvar.

O único meio de salvação é Jesus Cristo (Atos 4:12). Não existe outro método de salvação, muito menos o de se salvar por si mesmo através das obras, de sucessivas “reencarnações”. Basta ler Efésios 2:8, 9.

Além de ser injusto esse pilar do espiritismo conhecido como “lei do karma” ou "causa efeito", ele entra em conflito com Ezequiel 18:4 e 20 – que lemos anteriormente – e exclui uma das doutrinas fundamentais da Bíblia: a do juízo.

A doutrina do juízo nos ensina que Deus julgará cada ser humano “segundo as suas obras” (Mateus 16:27; Apocalipse 22:12) – manifestação da verdadeira fé.

Ensina também que Jesus é o juiz (João 5:22) e que neste momento está no Céu analisando os registros celestiais com Deus Pai e os anjos a fim de comprovar quem realmente é dEle e quem não é.

Veja o que diz Daniel 7:9-10 a respeito: “Continuei olhando, até que foram postos uns tronos, e o Ancião de Dias se assentou; sua veste era branca como a neve, e os cabelos da cabeça, como a pura lã; o seu trono eram chamas de fogo, e suas rodas eram fogo ardente. Um rio de fogo manava e saía de diante dele; milhares de milhares o serviam, e miríades de miríades estavam diante dele; assentou-se o tribunal, e se abriram os livros.”

 A lei do karma também ignora que o juízo está no futuro (assim como o sofrimento dos maus na execução do juízo), como ensina 2 Coríntios 5:10.

Portanto, nesta vida não sofremos uma espécie de “juízo” para “nos aperfeiçoarmos” E, se precisássemos passar pelo “karma” para sermos aperfeiçoados, não precisaríamos de Jesus Cristo e do Espírito Santo. São eles quem nos ajudam a sermos pessoas melhores:

“porque Deus é quem efetua em vós tanto o querer como o realizar, segundo a sua boa vontade.” Filipenses 2:13. “Quando ele [o Espírito Santo] vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo” João 16:8.

Não há dúvidas de que e “lei do karma” é um ensinamento que precisa ser totalmente rejeitado por aqueles que querem seguir a Deus e a Bíblia completamente.

 

5) Qual a resposta de Deus para o sofrimento da humanidade?

Deus ensina que sofremos:

1) Em consequência do pecado de nossos primeiros pais (Adão e Eva) e dos nossos próprios pecados – Gênesis 3:17; Romanos 3:23; 2) Pela intervenção direta do diabo que quer nos prejudicar (Jó 1 e 2; 1 Pedro 5:8); 3) Por causa de nossas escolhas erradas – Gálatas 6:7.

 

6) Como Deus irá resolver o problema chamado sofrimento?

Por meio da volta gloriosa de Jesus, quando Ele terminará com o pecado, seu autor – o diabo – e o sofrimento:

“E o Deus da paz, em breve, esmagará debaixo dos vossos pés a Satanás. A graça de nosso Senhor Jesus seja convosco.” Romanos 16:20. “Então, aparecerá no céu o sinal do Filho do Homem; todos os povos da terra se lamentarão e verão o Filho do Homem vindo sobre as nuvens do céu, com poder e muita glória. E ele enviará os seus anjos, com grande clangor de trombeta, os quais reunirão os seus escolhidos, dos quatro ventos, de uma a outra extremidade dos céus.” Mateus 24:30-31. “E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram.” Apocalipse 21:4. “Então, me mostrou o rio da água da vida, brilhante como cristal, que sai do trono de Deus e do Cordeiro. No meio da sua praça, de uma e outra margem do rio, está a árvore da vida, que produz doze frutos, dando o seu fruto de mês em mês, e as folhas da árvore são para a cura dos povos. Nunca mais haverá qualquer maldição. Nela, estará o trono de Deus e do Cordeiro. Os seus servos o servirão” Apocalipse 22:1-3. “Nenhum morador de Jerusalém dirá: Estou doente; porque ao povo que habita nela, perdoar-se-lhe-á a sua iniqüidade.” Isaías 33:24.

Convite:

Duas coisas não podem ser verdadeiras ao mesmo tempo. A Bíblia é Verdadeira ou o espiritismo é verdadeiro. Depois do estudo de hoje, aceite a Bíblia como sua norma de vida.

Deus tem muito mais a lhe oferecer do que a doutrina da reencarnação.

O segundo pilar do espiritismo: O estado do homem após a morte

O segundo pilar do espiritismo:

O estado do homem após a morte

  

 • Introdução

1. Existe consciência após a morte?

2. Para onde vai alma quando alguém morre?

3. O que é o “espírito” de acordo com a Bíblia?

 No livro O Céu e o Inferno, capítulo 2, Allan Kardec disse que os espíritas “sabem que a vida futura é a continuação da vida terrena em melhores condições e aguardam-na com a mesma confiança com que aguardariam o despontar do Sol após uma noite de tempestade”. (Grifo acrescentado).

Será que esse posicionamento dele é o mesmo da Bíblia? É sobre isso que estudaremos no texto de hoje. Esse assunto fará toda a diferença em sua vida espiritual, pois, poderá livrá-lo de um dos maiores enganos nesses últimos dias: o de que o ser humano é imortal naturalmente sem estar ao lado de Deus e comendo da árvore da vida.

 

• Estudo

1) Qual a foi a maior tragédia que o pecado trouxe para a humanidade? Romanos 6:23 (primeira parte).

Resposta: a morte do pecador.

 

2) Depois que Adão e Eva desobedeceram a Deus, qual foi a primeira atitude do Criador. Por que o Senhor tomou essa decisão? Gênesis 3:22, 23.

Resposta: Tirou-lhes o acesso à árvore da vida. Fez isso porque, se continuassem comendo do fruto, seriam pecadores imortais e, consequentemente, o sofrimento seria eterno.

Nota: Se HOJE o ser humano NÃO TEM ACESSSO à árvore da vida, isso significa que não somos imortais até o dia em que Jesus voltar e nos levar para o Céu (João 14:1-3) para comeremos novamente do fruto da árvore que se encontra no paraíso de Deus (Apocalipse 2:7).

 

3) Quem é imortal? 1 Timóteo 6:15, 16.

Resposta: Deus. As demais criaturas só podem ter vida se estiverem ligadas a Ele.

 

4) Se o ser humano não tem acesso à árvore da vida e só Deus é imortal, para onde vai a “alma” após a morte? O que é alma? Ezequiel 18:4; compare com Deuteronômio 10:22.

Resposta: A alma morre porque alma é a pessoa viva e não é uma “entidade imaterial” que sobrevive fora do corpo. A “alma” – o pessoa – vai para o pó da terra de acordo com Gênesis 3:19 e Eclesiastes 3:20. (Não vai para o Céu, inferno, purgatório ou para outro corpo a fim de reencarnar).

 

5) Então, o que Gênesis 35:18 quer dizer quando afirma que “sai a alma” de Raquel depois da morte dela?

Resposta: O termo “alma” pode ser traduzido de várias maneiras nas Escrituras. Precisamos analisar o contexto do verso para obtermos o melhor significado e jamais os conceitos gregos para a palavra! Quando lemos a Bíblia na Nova Versão Internacional percebemos que o termo “alma” já foi correctamente traduzido por vida (inclusive no texto de 1 Reis 17:21, 22, malcompreendido por muitos). Veja com o texto foi traduzido: “Já a ponto de sair-lhe a vida, quando estava morrendo…” Portanto, a palavra “alma” em Gênesis 35:18 se refere à vida.

 

6) O que é o “espírito”? Gênesis 2:7; Eclesiastes 12:7.

Resposta: Alguns significados para as palavras hebraicas e grega utilizadas para se referir ao “espírito” (ruach, neshamah [hebraico] e pneuma [grego] são: “vento”, “ar”. Em Gênesis 2:7 aparece a expressão “fôlego de vida”, que é o mesmo que espírito. Portanto, espírito é o fôlego de vida que Deus colocou em cada ser humano. O princípio vital do Criador que nos mantém vivos.

 

7) Algumas evidências de que o ser humano deixa de existir depois da morte:

a) Perda do acesso à árvore da vida – Gênesis 3:22 e 23;

b) Necessidade de comer desta árvore novamente, NO FUTURO, para preservar a imortalidade – Apocalipse 22:2;

c) Perda da consciência na morte – Eclesiastes 9:5, 6 e 10 – compare com o Salmo 88:10-12; Salmo 115:17 e 146:4.

d) Impossibilidade de adquirir conhecimento e sabedoria enquanto estiver morto – Jó 4:21 (se a pessoa estivesse no Céu ou noutra dimensão espiritual, aprenderia muito mais que qualquer pessoa aqui da Terra…);

e) Impossibilidade de adorar a Deus – Salmo 6:5 (se o “espírito” estivesse no Céu, o que mais faria seria adorar a Deus!)

f) Necessidade de passar pelo processo de santificação, uma preparação diária para a eternidade – Hebreus 12:14; Romanos 2:7;

g) Necessidade de uma ressurreição para voltar à vida – Isaías 26:19; 1 Tessalonicenses 4:13-17;

h) Os autores bíblicos, tanto do Antigo quanto do Novo Testamento, comparam a morte a um sono, sem sonhos.

Eis alguns deles:

(1) Davi – Salmo 13:3;

(2) Isaías – Isaías 26:19;

(3) Jeremias – Jeremias 51:39 e 57;

(4) Daniel – Daniel 12:2;

(5) Paulo – 1 Coríntios 15:16-18; 1 Tessalonicenses 4:13, etc.

 

8) Para Jesus, o que a pessoa morta está fazendo neste momento? João 11:11-14

Resposta: Para o Senhor Jesus Cristo, a pessoa morta está dormindo.

 

9) De acordo com 1 Tessalonicenses 4:18, as pessoas que perderam um ente querido devem ser consoladas com o ensino da reencarnação?

Resposta: Não! Devem ser confortadas com a crença na doutrina da ressurreição.

 

10) O que é Ressurreição? Daniel 12:2; 1 Coríntios 15:50-55

Resposta: Ressurgir do pó da Terra com o corpo transformado. Algo totalmente impossível para a ciência, mas não para Deus! 

 

11) Quando será a Ressurreição? Daniel 12:13; João 6:40 e 54; 1Tessalonicenses 4:13-18

Resposta: No último dia, momento em que Jesus vai voltar.

 

12) O que devemos fazer para ganharmos a vida eterna? João 5:24.

Resposta: Crer em Deus e aceitar todos os ensinos de Jesus Cristo – inclusive a respeito do que acontece depois da morte!

Convite: “Disse-lhe Jesus: “Eu sou a ressurreição e a vida. Aquele que crê em mim, ainda que morra, viverá” João 11:25.

Pág. 2/2