Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blog d'espiritismo _ A verdade

Não há, pois, como considerar Cristão, alguém que não crê no sacrifício que o Deus Vivo fez por nós. Desta forma, como filhos de Deus , devemos tomar cuidado com seitas que se dizem Cristãs, mas que são a mais pura deturpação da verdade.

Blog d'espiritismo _ A verdade

Não há, pois, como considerar Cristão, alguém que não crê no sacrifício que o Deus Vivo fez por nós. Desta forma, como filhos de Deus , devemos tomar cuidado com seitas que se dizem Cristãs, mas que são a mais pura deturpação da verdade.

Você crê em tudo o que a Bíblia diz?

E ele, Jesus Cristo, lhes disse: Ó néscios, e tardos de coração para crer tudo o que os profetas disseram! (Lucas 24:25).


Você crê em tudo o que a Bíblia diz?

Após a morte do Senhor Jesus, dois discípulos retornavam para casa em Emaús, desanimados e frustrados.

Haviam deixado Jerusalém e os outros discípulos porque tudo parecia perdido.

Mas o Ressurreto foi atrás deles e mostrou interesse nos questionamentos que faziam.

Ele escutou tudo o que tinham a dizer.

Hoje o Senhor ainda Se aproxima de qualquer pessoa cujos problemas estão prestes a fazê-la se esquecer de Deus.

Jesus Cristo mostra e tem interesse e desejo de ajudar e suprir as nossas necessidades.

No caso desses dois discípulos, o Senhor lhes revelou a razão do desânimo deles: não criam em tudo o que o Antigo Testamento falava sobre o Messias.

Aparentemente, não prestaram atenção nas passagens que descreviam os sofrimentos e morte do Senhor, pois só o que lhe interessava as que falavam sobre a libertação de Israel e a glória do reino vindouro.

Será que você acredita em tudo o que está escrito na Bíblia?

Talvez sua resposta seja afirmativa.

No entanto, as mais variadas opiniões e pontos de vista circulam no meio cristão actualmente.

De onde vêm tais diferenças?

A Bíblia é uma só.

Mas cada um tem suas próprias convicções sobre o que é a vida cristã e tenta achar respaldo para elas na Palavra de Deus.

Mas a Bíblia é uma autoridade à qual temos de nos submeter sem reservas.

Ela – e não nós mesmos – nos fala sobre a mente de Deus. Basta que creiamos em “tudo o que os profetas disseram!”

 

 


Comentários que fazem este blog valer a pena!

Decidi dar um passeio pelos muitos comentários deixados aqui por muitos espíritas...
Vou selecionar alguns que considero serem um incentivo para que a Palavra de Deus continue a ser divulgada neste blog.
Este foi o primeiro que escolhi:
 
Que pena!!!! Vc realmente não sabe o que está falando!!! e pior....está enfluenciando outras pessoas com estas idéias erradas sobre o Espiritismo.....Vai ler um pouco, pois é muito fácil atacar quando não se entende do que está falando!!!!!!!!!!!!

e o ESPIRITISMO É CRISTÃO SIMMMMMM!!!!!!!!
VAI LER O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO!!!!!!!!
Carolina a 26 de Outubro de 2010 às 00:32

A Palavra de Deus é Fiel e Verdadeira

PERGUNTA Nº 235

Saúl cometeu suicídio (I Samuel 31:4-6 e I Crónicas 10:4-5). Saúl foi morto por um amalequita (II Samuel 1:8-10). Saúl foi morto pelos filisteus (II Samuel 21:12). Afinal, em que ficamos? Onde está a verdade?

 

RESPOSTA

A verdade está em Jesus Cristo.

Mais: Ele é a própria verdade, conforme afirmou: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim” (João 14:6). E esta verdade maravilhosa está apresentada nas Sagradas Escrituras (Bíblia).

A Bíblia merece-nos toda a aceitação. Não é, de modo algum, um manual de maus costumes, como alguém afirmou, mas um Livro de realidades. E a realidade é esta: Que Deus é bom, justo e santo, enquanto o homem é mau, injusto e pecador!

A realidade é diferente do que se lê nos romances de Júlio Dinis, onde tudo acaba bem. Deste lado da vida, as coisas nem sempre decorrem da melhor forma, os homens transgridem, pecam e prejudicam outros homens. Pois, a Bíblia descreve essa realidade, as obras boas e más que homens executaram, acrescentando também a aprovação ou desaprovação divina em cada uma das situações. Lendo e estudando a Palavra de Deus (Bíblia) ficamos com uma boa ideia acerca da vontade do Criador para melhor O podermos seguir e servir!

Na Bíblia encontramos afirmações verdadeiras de certos homens de Deus e mentiras proferidas por outras pessoas.
Mesmo quando menciona as mentiras apresentadas por alguém, a Bíblia está a falar verdade! É caso para dizermos: É verdade que alguns mentiram!

Para melhor encararmos este assunto, comecemos pelo texto de II Samuel 1:8-10 e leiamos as afirmações do amalequita e aquilo que lhe aconteceu. Aqui, o narrador bíblico apenas menciona o que disse o homem em causa (amalequita), sem confirmar nem desmentir o mesmo. Terá sido assim como ele contou, ou, pelo contrário, terá acrescentado algum pormenor com o intuito de aumentar as alvíssaras?Para mim está evidente que o homem pretendia receber alguma recompensa ou prémio pela informação de que era portador. Acredito que ele deveria estar por perto quando Saúl morreu ou, pelo menos, seria dos primeiros a chegar, ao ponto de lhe poder tirar a coroa e a manilha, a fim de fazer prova daquilo que iria comunicar ao novo homem-forte.
Iria aproveitar-se da situação, pois todos sabiam que o rei era inimigo de David e tinha tentado matá-lo por mais de uma vez.

Infelizmente para o amalequita as coisas não lhe correram bem, embora a lógica apontasse no sentido inverso. Era costume os reis e os comandantes recompensarem os portadores de boas-novas. De tal maneira isso era comum que ele ter-se-á lembrado de acrescentar mais um pormenor (que lhe foi fatal) que lhe poderia aumentar a recompensa.

É verdade que o amalequita afirmou ter matado o rei, mas não está absolutamente garantido que assim tenha acontecido. Mas, então, o amalequita foi morto por algo que não fez? Sim, pois já têm acontecido muitas passagens idênticas. Se o próprio “confessar o crime”… o seu testemunho valerá mais do que o de duas ou três
pessoas!

Nos textos de I Samuel 31:4-6 e I Crónicas 10:4-5 está mencionado que Saúl estava apertado pelos frecheiros (talvez até já ferido) e pediu ao seu pajem de armas para o matar. Em face da recusa deste, o rei lançou-se sobre a sua espada. Quando o pajem viu que Saúl estava morto, suicidou-se também.

Mas, então, qual dos textos é o verdadeiro? São verdadeiros todos os textos bíblicos! Uns narram o que aconteceu na realidade e outro (II Samuel 1:8-10) já mencionado, descreve as reais afirmações de um amalequita, candidato às alvíssaras!

Mais adiante (I Samuel 31:8-13) diz que os filisteus vieram no dia seguinte despojar os mortos e acharam Saúl (e os seus três filhos) extirado na montanha de Gilboa, cortaram-lhe a cabeça e fixaram o seu corpo no muro de Beth-san. Em II Samuel 21:12 não diz que os filisteus mataram Saúl, mas, sim, que fixaram o seu corpo em Beth-san (ou Betsan).

Ora, como os filisteus só vieram despojar os mortos no dia seguinte e foi nessa altura que encontraram o corpo de Saúl, o dito amalequita teve tempo para lhe tirar a coroa e a manilha (se, por acaso não estivesse ali por perto na altura da sua morte) de modo a poder receber uma boa recompensa. E, como matar o inimigo de David seria algo de fantástico, com direito a grandes benesses, poderia, ele mesmo, ter acrescentado essa descrição fictícia.

A história do amalequita não encaixa bem no contexto geral. Saúl havia dito ao seu pajem de armas que não queria morrer às mãos dos incircuncisos (I Samuel 31:4) e, afinal, o amalequita era estrangeiro e tão incircunciso como os filisteus. Não fazia sentido pedir-lhe semelhante coisa. Além disso diz o texto (I Samuel 31:5) que o pajem de armas, antes de se suicidar, viu que Saúl estava morto.

Eu não acredito na história do amalequita. Para desgraça dele, David acreditou e mandou matá-lo. “Há caminho que ao homem parece direito mas o fim dele são os caminho da morte” (Provérbios 13:12).

Embora, este versículo tenha também aplicação física e terrena, o principal significado é no sentido espiritual e eterno. Muitas pessoas entendem que andam bem, que procedem correctamente mas estão perdidas, se não aceitarem o verdadeiro Salvador, que é o Senhor Jesus Cristo!

 

Agostinho Soares dos Santos

Espiritismo NÃO é cristianismo

Porque é que os cristãos nascidos de novo, lavados e remidos pelo sangue do Cordeiro afirmam categóricamente que o espiritismo não tem qualquer réstea de cristianismo?

Porque:

Nenhum grupo religioso pode ser considerado cristão se realmente não seguir a Cristo;

se não O tiver como Senhor e Salvador (Lc 2.11; Jo 4.42; Jo 20.28);

se não guardar Seus mandamentos (Jo 14.15);

se não permanecer nEle e em Suas palavras (Jo 8.31);

se seus adeptos não forem realmente discípulos de Jesus (At 11.26);

se não crêr nEle, na Sua morte e ressurreição corporal (Mc 14.28; Jo 3.18);

se não baptizar seus seguidores em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo (Mt 28.19);

se não cumprir a ordenança da ceia – pão e vinho – em Sua memória (Mt 26.26-28);

se não crêr nas Escrituras e em todas as palavras do Senhor Jesus (Mt 22.29; Jo 2.22; At 17.11);

se não crêr que Cristo é o Verbo encarnado, o Deus que se fez homem e habitou entre nós (Jo 1.1, 14);

se não aceitar que Ele é o Criador de todas as coisas (Jo 1.3, 10);

se não crêr na Sua eternidade (Jo 1.18; 6.57; 8.19; 10.30, 38; 14.7, 9, 10, 20).

 

Um grupo não pode ser chamado de cristão se não acreditar na divindade de Cristo (Ap 1.8);

se não acreditar na Sua segunda vinda, na ressurreição dos mortos e no Juízo Final (Jo 6.40, 47, 54; 10.28. 1 Ts 4.16-17; Ap 19.20. 20.5, 11-15).


O facto de um grupo religioso afirmar fazer o bem, dar esmolas e distribuir alimentos não o caracteriza como genuinamente cristão.
Nossas boas obras não nos salvam (Ef 2.8-9).
Jesus disse que quem O ama guarda todos os seus mandamentos. Ele não falou em “parte” dos mandamentos.
Quem ama verdadeiramente o Senhor Jesus e O tem como Senhor e Salvador é nEle que confia e busca o Seu auxílio para aliviar suas dores:
“Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos e eu vos aliviarei”  Mateus 11.28.
            
Ouçam: “VINDE A MIM”. A Ele.
Jesus não sugere a possibilidade de os oprimidos irem a outras pessoas, encarnadas, desencarnadas, mortas ou vivas.
QUEM É DE JESUS OUVE A SUA VOZ:
Para que um grupo religioso seja chamado de cristão precisa ensinar o perdão incondicional dos pecados àqueles que se arrependem (Mt 6.12; 9.6; 12.31; At 2.38); ensinar e crêr que na morte o espírito se separa do corpo e segue imediatamente para o mundo espiritual;
ensinar que os cristãos seguirão para um lugar de paz; os que não são de Cristo, para um lugar de tormentos (Lc 16.19-31).
Ao ladrão que se arrependeu, disse Jesus: “Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso” (Lc 23.43). O referido ladrão não passou por nenhuma estação intermediária; não houve qualquer interrupção na sua subida ao céu; não houve empecilhos, traumas, penitências, trabalho extra, caminhos difíceis. O ladrão foi directo para o Paraíso. Jesus afirmou:
“Quem crê nele (em Jesus) não é condenado; quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus” (Jo 3.18).
Qualquer grupo que queira seguir a Cristo deve seguir essas premissas na sua totalidade.
Do contrário, é apenas uma caricatura do Cristianismo.
 
Autor: Pr Airton Evangelista da Costa

Pág. 3/3