Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blog d'espiritismo _ A verdade

Não há, pois, como considerar Cristão, alguém que não crê no sacrifício que o Deus Vivo fez por nós. Desta forma, como filhos de Deus , devemos tomar cuidado com seitas que se dizem Cristãs, mas que são a mais pura deturpação da verdade.

Blog d'espiritismo _ A verdade

Não há, pois, como considerar Cristão, alguém que não crê no sacrifício que o Deus Vivo fez por nós. Desta forma, como filhos de Deus , devemos tomar cuidado com seitas que se dizem Cristãs, mas que são a mais pura deturpação da verdade.

A Bíblia

14993563_10211011914876521_481459526073841502_n.jp

 

 

Para sempre, ó Senhor, a tua palavra permanece no céu.Salmos 119:89

Vi os transgressores, e me afligi, porque não observam a tua palavra. Salmos 119:158

Santifica-os na tua verdade; a tua palavra é a verdade.João 17:17

Desfalece a minha alma pela tua salvação, mas espero na tua palavra. Salmos 119:81

A tua palavra é muito pura; portanto, o teu servo a ama.Salmos 119:140

A tua palavra é a verdade desde o princípio, e cada um dos teus juízos dura para sempre. Salmos 119:160

Chegue a ti o meu clamor, ó Senhor; dá-me entendimento conforme a tua palavra. Salmos 119:169

Chegue a minha súplica perante a tua face; livra-me segundo a tua palavra. Salmos 119:170

Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti. Salmos 119:11

Assim terei que responder ao que me afronta, pois confio na tua palavra. Salmos 119:42

Antes de ser afligido andava errado; mas agora tenho guardado a tua palavra. Salmos 119:67

Lâmpada para os meus pés é tua palavra, e luz para o meu caminho. Salmos 119:105

Tu és o meu refúgio e o meu escudo; espero na tua palavra.Salmos 119:114

Venham sobre mim também as tuas misericórdias, ó Senhor, e a tua salvação segundo a tua palavra. Salmos 119:41

Desviei os meus pés de todo caminho mau, para guardar a tua palavra. Salmos 119:101

Recrear-me-ei nos teus estatutos; não me esquecerei da tua palavra. Salmos 119:16

A minha alma está pegada ao pó; vivifica-me segundo a tua palavra. Salmos 119:25

A minha alma consome-se de tristeza; fortalece-me segundo a tua palavra. Salmos 119:28

Fizeste bem ao teu servo, Senhor, segundo a tua palavra.Salmos 119:65

Estou aflitíssimo; vivifica-me, ó Senhor, segundo a tua palavra. Salmos 119:107

 

MENTIRA!

«MENTIRA! Jesus não veio desenvolver a lei dar-lhe outro sentido que ela não tivesse nem adaptá-la ao grau de adiantamento dos homens porque, desde que Deus criou o homem capacitou-o a entender a Sua lei. Jesus disse ao povo: «Moisés não lhes deu a lei? No entanto, nenhum de vocês lhe obedece.» (João 7:19). Ele não disse que eles não a entendiam. Ele disse que eles não lhe obedeciam. 

No sermão do monte, Jesus não muda o sentido da lei, mas explica-a detalhadamente. E, quando lemos o verdadeiro significado da lei que Deus deu a Moisés nas palavras de Jesus, vemos a nossa incapacidade de a cumprir e percebemos claramente que precisamos de um Redentor.»

 

Leia mais aqui: http://oesealuzdabiblia.blogs.sapo.pt/quanto-as-leis-de-moises-propriamente-2237

 

reencarnação 4.JPG

 

Como se distorce a verdade...

[...]

 

Portanto, como podemos constactar, em momento algum a Bíblia ensina o que o "espírita iluminado" entendeu, nem "veladamente" nem de maneira alguma. A justiça divina nunca se apresentou como monstruosa e só quem, maldosamente, retira textos do contexto e isola partes da Palavra do seu todo é que pode escrever tamanhas barbaridades. Ninguém tentou acomodar o texto à verdade de que só há uma vida terrena e que é nessa vida que fica decidido onde será passada a eternidade - céu ou inferno «E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo,» (Hebreus 9:27). O que o espiritismo considera como texto certo para basear a reencarnação não procede à luz do hebraico e das demais traduções da Escritura, e o "na", como já foi provado no post anterior e está a ser aqui provado novamente, só mesmo numa mente distorcida poderia apontar para a teoria espírita.

 

Leia mais aqui:

http://oesealuzdabiblia.blogs.sapo.pt/na-primeira-e-na-segunda-geracoes-o-1800

 

17975586_HFIOR.jpg

 

 

É vital para entendermos

«Deus tem poder sobre o sofrimento; porém, entre as religiões mais importantes, a fé cristã é a única a ensinar que Deus também se tornou vulnerável e sujeito ao sofrimento. A outra face da soberania de Deus é o sofrimento do próprio Deus. Como Ronald Rittgers afirmou, manter essas duas faces unidas - por mais paradoxais que seja à primeira vista - é vital para entendermos a perspectiva cristã singular do sofrimento. Em capítulos anteriores, vimos que "a razão principal de os cristãos insistirem em que podemos confiar em Deus em meio ao sofrimento é que (...) o próprio Deus sofreu na carne.»

 

(KELLER, Timothy; Caminhando com Deus em Meio à Dor e ao Sofrimento;

Editora Vida Nova - 2016; p. 165)

 

1pedro2_24.jpg

 

Não vim destruir a Lei

Portanto, a opinião de Kardec não passa de uma deturpação grotesca do ensino bíblico e das suas próprias interpretações da Escritura. Se há aqui alguém profundamente ignorante, não é o povo judeu, mas sim o codificador do espiritismo que, influenciado pelos demónios que o (des)orientaram, escreveu um tratado mentiroso acerca da Palavra de Deus e do seu servo Moisés. 

 

Leia mais aqui: http://oesealuzdabiblia.blogs.sapo.pt/nao-vim-destruir-a-lei-1218

 

Quando os "espíritos evoluídos" são tão racistas como o seu codificador...

Eis uma colecção de textos racistas de Allan Kardec retirados das suas obras e escritos. Nestes textos o "codificador" da doutrina espírita aparece como realmente era: um burguês xenófobo e preconceituoso da França do século XIX.

«Os negros, pois, como organização física, serão sempre os mesmos; como Espíritos, sem dúvida, são uma raça inferior, quer dizer, primitiva; são verdadeiras crianças às quais pode-se ensinar muita coisa;»

(Allan Kardec, “Perfectibilidade da raça negra” Revue Spirite, Abril de 1862)

 

«Sob o mesmo envoltório, quer dizer, com os mesmos instrumentos de manifestação do pensamento, as raças não são perfectíveis senão em limites estreitos, pelas razões que desenvolvemos. Eis por que a raça negra, enquanto raça negra, corporeamente falando, jamais alcançará o nível das raças caucásicas; mas, enquanto Espíritos, é outra coisa; ela pode se tornar, e se tornará, o que somos; somente ser-lhe-á preciso tempo e melhores instrumentos. Eis porque as raças selvagens, mesmo em contato com a civilização, permanecem sempre selvagens; mas, à medida que as raças civilizadas se ampliam, as raças selvagens diminuem, até que desapareçam completamente, como desapareceram as raças dos Caraíbas, dos Guanches, e outras. Os corpos desapareceram, mas em se tornaram os Espíritos? Mais de um, talvez, esteja entre nós.»

(Allan Kardec, “Perfectibilidade da raça negra” Revue Spirite, Abril de 1862)


 

«O progresso não foi, pois, uniforme em toda a espécie humana; as raças mais inteligentes naturalmente progrediram mais que as outras, sem contar que os Espíritos, recentemente nascidos na vida espiritual, vindo a se encarnar sobre a Terra desde que chegaram em primeiro lugar, tornam mais sensíveis a diferença do progresso Com efeito, seria impossível atribuir a mesma antiguidade de criação aos selvagens que mal se distinguem dos macacos, que aos chineses, e ainda menos aos europeus civilizados»

(Allan Kardec, A Gênese, ed. LAKE  p. 187).

 


«Em relação à sexta questão, dir-se-á, sem dúvida, que o Hotentote é de uma raça inferior; então, perguntaremos se o Hotentote é um homem ou não. Se é um homem, por que Deus o fez, e à sua raça, deserdado dos privilégios concedidos à raça caucásica? Se não é um homem, porque procurar fazê-lo cristão ?»

(Allan Kardec, O Livro dos Espíritos, Instituto de Difusão Espírita, Araras, São Paulo, sem data, capítulo V, p. 127).

 

«Esses Espíritos dos selvagens, entretanto pertencem à humanidade; atingirão um dia o nível de seus irmãos mais velhos, mas certamente isso não se dará no corpo da mesma raça física, impróprio a certo desenvolvimento intelectual e moral. Quando o instrumento não estiver mais em relação ao desenvolvimento, emigrarão de tal ambiente para se encarnar num grau superior, e assim por diante, até que hajam conquistado todos os graus terrestres, depois do que deixarão a Terra para passar a mundos mais e mais adiantados»

(Revue Spirite, abril de 1863, pág. 97: Perfectibilidade da raça negra, in Allan Kardec, A Gênese, Lake

_ Livraria Allan Kardec editora, São Paulo, p. 187).

 


«Mas, então, porque nós, civilizados, esclarecidos, nascemos na Europa antes que na Oceania? Em corpos brancos antes que em corpos negros? Por que um ponto de partida tão diferente, se não se progride senão como Espírito? Por que Deus nos isentou do longo caminho que o selvagem deve percorrer? Nossas almas seriam de uma outra natureza que a sua? Por que, então, procurar fazê-lo cristão? Se o fazeis cristão, é que o olhais como vosso igual diante de Deus; se é vosso igual diante de Deus, porque Deus vos concede privilégios? Agiríeis inutilmente, não chegaríeis a nenhuma solução senão admitindo, para nós um progresso anterior, para o selvagem um progresso ulterior; se a alma do selvagem deve progredir ulteriormente, é que ela nos alcançará; se progredimos anteriormente, é que fomos selvagens, porque, se o ponto de partida for diferente, não há mais justiça, e se Deus não é justo, não é Deus. Eis, pois, forçosamente, duas existências extremas: a do selvagem e a do homem mais civilizado.»

(Allan Kardec, “Perfectibilidade da raça negra” Revue Spirite, Abril de 1862)

 


«O exame frenológico dos povos pouco inteligentes constata a predominância das faculdades instintivas, e a atrofia dos órgãos da inteligência. O que é excepcional nos povos avançados, é a regra em certas raças. Por que isto? É um injusta preferência? Não, é a sabedoria. A natureza é sempre previdente; nada faz de inútil; ora, seria uma coisa inútil dar um instrumento completo a quem não tem meios de se servir dele. Os Espíritos selvagens são Espíritos de crianças, podendo assim se exprimir; entre eles, muitas faculdades ainda estão latentes. Que faria, pois, o Espírito de um Hotentote no corpo de um Arago? Seria como aquele que não sabe a música diante de um excelente piano. Por um razão inversa, que faria o Espírito de Arago no corpo de um Hotentote? Seria como Liszt diante de um piano que não teria senão algumas más cordas falsas, às quais seu talento jamais chegaria a dar sons harmoniosos.»

(Allan Kardec, “Perfectibilidade da raça negra” Revue Spirite, Abril de 1862)

 

pica_pau_cataratas.jpg

 

http://clubecetico.org/forum/index.php?topic=14591.0

Só a Escritura

«Sempre que alguém, seja quem for, começa a tentar diminuir a visão que você tem sobre a inerrância e a inspiração divina da Bíblia, ela tem segundas intenções. Esse é um truque para matar a nossa fé!

Nós, cristãos, estamos dispostos a atribuir à Palavra de Deus toda a inspiração que lhe possa ser atribuída e, corajosamente, dizemos que se a nossa pregação não está de acordo com essa Palavra é porque não há luz nenhuma na nossa pregação. [...]

 

Tenham muito cuidado. Não passem uma polegada além da linha da Escritura, e não fiquem uma polegada aquém dela.»

C. H. Spurgeon

 

lampada-para-os-meus-pes-e-tua-palavra-e-luz-para-

 

Destituídos da glória de Deus

«Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus» (Romanos 3.23)

O que é que significa ”destituídos da glória de Deus”?
Significa que nenhum de nós confiou e estimou Deus da maneira que deveríamos. Nós não ficámos satisfeitos com a sua grandeza e não andámos nos seus caminhos. Temos buscado a nossa satisfação noutras coisas, e tratamos as coisas como se fossem mais valiosas do que Deus, e isso é a essência da idolatria (Romanos 1:21-23). Desde que o pecado entrou no mundo todos nós temos sido profundamente resistentes a ter Deus como nosso tesouro todo-satisfatório (Efésios 2:3). Isto é uma ofensa terrível contra a grandeza de Deus (Jeremias 2:12-13).

John Piper

 

destituidos.jpg