Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Blog d'espiritismo _ A verdade

Não há, pois, como considerar Cristão, alguém que não crê no sacrifício que o Deus Vivo fez por nós. Desta forma, como filhos de Deus , devemos tomar cuidado com seitas que se dizem Cristãs, mas que são a mais pura deturpação da verdade.

Blog d'espiritismo _ A verdade

Não há, pois, como considerar Cristão, alguém que não crê no sacrifício que o Deus Vivo fez por nós. Desta forma, como filhos de Deus , devemos tomar cuidado com seitas que se dizem Cristãs, mas que são a mais pura deturpação da verdade.

Onde estão, no Antigo Testamento, as profecias que Jesus referiu?

Estimados leitores espíritas e amigos que seguem este blog:

Estão livres para serem vistos e lidos os comentários facciosos que os espíritas usam numa tentativa desesperada de negar que a Bíblia é a Palavra de Deus! Apesar de se dizerem cristãos, os espíritas apenas buscam encontrar no Livro de Deus e dos cristãos, aquilo que consideram ser"contradições".

Instigados e inspirados pelos demónios aos quais ouvem dando-lhe o nome de "espíritos bons", pessoas como o Jorge Luís, o José e muitos que por cá comentaram, pinçam textos da Bíblia e, cheios de presunção, pensam ter descoberto "contradições".

Não é preciso ser muito inteligente para perceber que, se a Bíblia não fosse realmente a Palavra de Deus, ao longo dos anos, aqueles que a estudaram e fizeram as diferentes traduções, teriam retirado aqueles textos mais complicados, ou não? Porque será que não o fizeram? Porque será que o povo Judeu ainda mantém os livros do VelhoTestamento exactamente como sempre foram? Porque eles são tementes ao Senhor e sabem que não se pode alterar a Palavra de Deus! Alguns têm tentado mudar alguns versículos para os aproximar mais da doutrina que pretendem divulgar (Ex: tradução Novo Mundo das Testemunhas de Jeová), outros acrescentaram alguns livros como os 14 apócrifos que foram acrescentados pelo catolicismo romano,  e outros ainda, não se atrevendo a adulterar a Palavra de Deus, criaram outros livros para criar doutrinas contrárias àquela que está exarada nas páginas da Bíblia Sagrada.

Não sou o Google de Deus, mas graças a Ele, tenho o previlégio de conhecer pessoas que toda a vida se dedicaram a amar e estudar as Escrituras tendo-as como regra de fé e prática nas suas vidas. Por isso, algumas vezes, peço a sua preciosa ajuda no sentido de poder elucidar aquelas pessoas que buscam sinceramente a Deus sem conhecerem a Sua Palavra e são manipulados por doutrinas de demónios como é o caso do espiritismo. Para esses e para aqueles espíritas que ainda têm sede da Verdade que é Jesus Cristo Ressuscitado, segue resposta à pergunta:

 

"Onde estão, no Antigo Testamento, as profecias que Jesus referiu? Por exemplo, em Lucas 24:46 “que o Cristo havia de padecer e ressuscitar dentre os mortos”? Também em João 20:9 diz que eles não tinham compreendido a Escritura, que era necessário ressuscitar dentre os mortos. Em I aos Coríntios 15:3, 4, diz que Cristo morreu por nós segundo as Escrituras. Onde está isso profetizado?

 

RESPOSTA:

Ora, como facilmente se depreende, os servos de Deus que registaram as passagens citadas (Lucas, João e Paulo), estavam muito mais disponíveis para analisar as Escrituras do que certas pessoas, incluindo os espiritistas. Certamente encontraram o que lá estava e nós também podemos encontrar, se estivermos interessados e nos esforçarmos.

Quanto ao sofrimento do Messias está bem explícito em vários textos, inclusivamente Salmo 22 e Isaías 53. A paixão do Senhor Jesus está sobejamente profetizada, até ao pormenor.
Em Salmos 41:9 diz o seguinte: “Até o meu próprio amigo íntimo, em que tanto confiava, que comia do mesmo pão, levantou contra mim o seu calcanhar”.
Esta profecia cumpriu-se relativamente a Judas Iscariotes, que até comia do mesmo prato de Jesus e traiu o seu Mestre, como lemos em Marcos 14:10.

Em Zacarias 11:12 diz: “E pesaram o meu salário, trinta moedas de prata” que é a profecia relativa ao dinheiro que Judas recebeu quando traiu Jesus. Até o facto de Judas atirar as moedas para o templo depois de verificar o erro que cometeu, estava profetizado em Zacarias 11:13 com as quais
se comprou o campo de um oleiro a fim de se fazer um cemitério para estrangeiros.

“Fere o pastor e espalhar-se-ão as ovelhas” (Zc 13:7) teve o seu cumprimento em Marcos 14:50 quando todos fugiram deixando o Senhor Jesus Cristo já preso. Ferido e maltratado como referia Isaías (Is 50:6) lemos também que “falsas testemunhas se levantaram; depuseram contra mim coisas que eu não sabia” (Sl 35:11). Dizia Isaías acerca de Jesus: “Ele foi oprimido mas não abriu a Sua boca: Como cordeiro foi levado ao matadouro e, como ovelha muda perante os seus tosquiadores, Ele não abriu a Sua boca” (Is 53:7). No cumprimento dessa profecia escreveu Mateus: “Disse-lhe
Pilatos: Não ouves quanto testificam contra Ti? E nem uma palavra lhe respondia, de sorte que o presidente estava muito maravilhado”
(Mt 27:13, 14).

A crucificação profetizada em Isaías 53:5, 6 e 10 está relatada como acontecimento histórico em Lucas 23:33 e João 19:16. O cansaço de Jesus ao subir o Monte da Caveira, carregando com a cruz, já depois de ter sido flagelado, profetizado no Salmo 109:24, motivou até uma ajuda por Simão de Cirene conforme Mateus 27:32.

Quando Jesus foi crucificado, trespassaram-Lhe as mãos e os pés (Lc 23:33) conforme diziam as profecias em Salmos 22:16. Jesus foi contado com os transgressores (Is 53:12) o que se confirmou quando levantaram as cruzes, tendo Ele dois malfeitores, um à direita e outro à esquerda (Lc 23:33). As suas vestes foram repartidas, conforme profetizara o salmista: “Repartem entre si os meus vestidos e lançam sortes sobre a minha túnica” (Sl 22:8).

Não só na crucificação, como na caminhada que efectuou, o Seu parecer estava desfigurado, cumprindo-se o que Isaías profetizara (Is 52:4). O que
fizeram ao Senhor Jesus é muito pesado. Colocaram-Lhe uma coroa de espinhos na cabeça e uma capa suja de escarlate sobre as costas feridas da flagelação. Coisas que não se fazem a ninguém; nem a um criminoso!

Mas Jesus suportou tudo porque tinha outros objectivos mais profundos e mais sublimes em vista: Salvar todos os homens que n’Ele confiassem!

Agrediram o Rei do Universo dentro e fora do tribunal, contra a lei judia, exarada no Misnã, para não falar no direito romano que foi atropelado.
Fizeram troça, curvaram-se diante de Jesus e adoraram-No a brincar. Neste momento, do outro lado da vida, todos estes homens da troça já verificaram o ridículo da sua actuação; não só o ridículo mas a gravidade da situação porque praticaram, no Senhor do universo, coisas que não se fazem a ninguém!

As pessoas que passavam diante da cruz não compreendiam que o Filho de Deus, se fosse realmente o que afirmava ser, passasse por aquela morte e diziam: “Confiou no Senhor; livre-O agora, se O ama; porque disse: Sou Filho de Deus” (Mt 27:43). Exactamente como a profecia explicava (Sl22:7,8). Entretanto, as pessoas que O acompanhavam desde a Galileia estavam de longe a ver estas coisas, como profetizara David (Sl 38:11).

A sede que Jesus sentiu na cruz, como se lê em João 19:28 estava profetizada no Salmo 69:3. Em resposta a essa sede, deram-Lhe fel misturado com vinagre, conforme predissera o salmista (Sl 69:21). Pouco depois Jesus diz: “Nas Tuas mãos entrego o meu Espírito”, conforme profecia do Salmo 31:5. Nessa altura houve trevas desde o meio-dia até às três horas da tarde (Mt 27:45) e profecia de Amós 8:9.

Ao morrer na cruz em nosso lugar por altura da Páscoa, Jesus assume-Se como o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo, como João Baptista O havia apresentado (João 1:29) e Isaías profetizara (Is 53:7). Era costume não quebrar osso algum ao cordeiro que se comia pela Páscoa. Isso fazia parte das ordenações do Senhor Nosso Deus (Ex 12:46). Constituía uma alusão ao Senhor Jesus Cristo que, ao contrário do que fizeram aos malfeitores, não Lhe quebraram osso algum em face de já estar morto. Estava profetizado do seguinte modo: “Poderia contar todos os meus
ossos”
(Sl 22:17). Todavia, um soldado trespassou o corpo de Jesus com uma lança (João 19:34) o que Zacarias escrevera muitos anos antes (Zc 12:10). Nessa altura saiu sangue e água como o salmista dissera profeticamente (Sl 22:14).

José de Arimateia, homem rico e príncipe entre os judeus, pediu o corpo de Jesus e sepultou-O no seu sepulcro. Isaías também já havia escrito: “Com o rico na Sua morte” (Is. 53:9).

Neste pequeno espaço registamos mais de 20 profecias acerca da prisão, julgamento e morte de Jesus, embora haja muitas mais. Todo este cumprimento profético demonstra claramente que Jesus é mesmo o Messias, prometido por Deus e enviado do Céu. Não sei como é possível, os judeus não O aceitarem, na sua maioria (e muitos outros, como os espiritas), mas também temos de ter em conta que o diabo cega o entendimento das pessoas!

Quanto à ressurreição do Senhor Jesus, podemos lê-la em Oseias 6:2,3, Isaías 53:10. O que é isto de prolongar os dias, depois da Sua morte expiatória?
Em Salmos 16:10 diz: Pois não deixarás a minha alma no Hades nem permitirás que o teu Santo veja a corrupção”. Isto é profético acerca de Jesus Cristo e não a respeito de si próprio (David) conforme explicou o apóstolo Paulo (At 13:35).

Vale a pena aceitar Jesus como único e suficiente Salvador! Ele veio cumprir tudo o que acerca d’Ele estava escrito!

 

Agradeço desde já a preciosa ajuda e colaboração do irmão Agostinho Soares dos Santos. 

20 comentários

Comentar post