Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Blog d'espiritismo _ A verdade

Não há, pois, como considerar Cristão, alguém que não crê no sacrifício que o Deus Vivo fez por nós. Desta forma, como filhos de Deus , devemos tomar cuidado com seitas que se dizem Cristãs, mas que são a mais pura deturpação da verdade.

Blog d'espiritismo _ A verdade

Não há, pois, como considerar Cristão, alguém que não crê no sacrifício que o Deus Vivo fez por nós. Desta forma, como filhos de Deus , devemos tomar cuidado com seitas que se dizem Cristãs, mas que são a mais pura deturpação da verdade.

REENCARNAÇÃO À LUZ DA BÍBLIA

A reencarnação significa "vir novamente na carne".

A Doutrina espírita, ensina que depois da morte o espírito se "apega" a um outro corpo para viver outra vida. A origem desse ensino, como muitos estudiosos pensam, vem dos Vedas (as escrituras dos hindus). Essas crenças também foram influenciadas pela filosofia dos gregos, começando com Pitágoras (580-500 a.C.) e passando por Platão (428-348 a.C.) Há similaridades estranhas entre os ensinos dos gregos e dos hindus. Nas duas formas a "perfeição final do ser humano" não vem da graça de Deus através do arrependimento dos pecados e da fé em Jesus Cristo, mas por outros meios, méritos próprios, o que revela que essas crenças não vêm de Deus, pois mostram outros salvadores.

O raciocínio da crença da reencarnação vem de vários pontos, mas há basicamente três razões que são dadas: a imortalidade da alma, evidências psicológicas de vidas passadas, e o argumento de justiça através da reencarnação. Se esses argumentos fossem avaliados mostrariam apenas a possibilidade da reencarnação para a lógica humana mas nnunca a sua realidade. 
 
A imortalidade da alma não prova a realidade da reencarnação.

A imortalidade dos reencarnacionistas é baseada na crença que a parte imaterial do homem não é criada nem destrutível. Mesmo que essa doutrina fosse verdadeira não provaria o ensino deles, que diz que depois da morte a alma se apega a um outro corpo para viver uma outra vida. Mesmo a alma sendo imortal pode acontecer o que os cristãos crêem e o que a bíblia ensina, ou seja, que a alma unida com o seu corpo que ressuscita para ser julgado e enviado para o inferno ou para o céu, dependendo da sua situação em Cristo (durante a vida, a única que Deus nos concede nesta terra).

A evidência psicológica de vidas passadas é dada como prova de reencarnação por considerar as fobias que existem nas pessoas bem como as habilidades não aprendidas, doenças internas e deformidades físicas, etc. Mesmo que haja essas crenças e mesmo que multidões acreditem nelas, esses factos não provam que a crença é verdadeira.

Está provado que a maioria das pessoas com "memórias de vidas passadas" vêm de culturas onde a reencarnação é popular explicando a memória nos adultos relembrando simplesmente coisas que lhes foram ensinadas quando crianças. Essas memórias, como num caso famoso de Birdie Murphy, poderiam ser coisas lembradas de histórias contadas pelas avós. Convém realçar que muitas memórias falsas têm sido implantadas através da hipnose. Portanto, a evidência psicológica das vidas passadas não prova reencarnação.

 

A reencarnação explica a justiça para os reencarnacionistas  a punição do pecado no lago de fogo eterno parece-lhes absurda demais para um Deus de amor. Os  reencarnacionistas pensam que o karma é justo pois elimina a responsabilidade de Deus quanto ao sofrimento e coloca essa responsabilidade no homem. Essas explicações da justiça não são explicações da realidade, mas meras confusões pois admitem a necessidade de o ser humanao ter que pagar pelos pecados o que por si só rejeita o plano da salvação de Deus para a humanidade.

A crença no karma nega uma explicação do conflito original e torna o mal tão eterno quanto Deus. No fim, a justiça do karma não é justa pois é amoral, mesmo ensinando o bem ela retribui o mal. Creio que olhando para os milénios de tantas supostas reencarnaçãoes em busca do aperfeiçoamento, quando vemos os problemas morais, humanitarianos, psicológicos, sociais e a realidade da falta de perfeição devemos considerar o que a Bíblia diz do assunto.

 

A Bíblia ensina que os homens são criados (Gen 1:27) por Deus que também fez todas as coisas (João 1:3; Col 1:15,16,17). Todos os homens, desde o primeiro casal, vêm pela concepção no ventre (Sal 51:5; Ecl 11:5; Mat 1:20). Sendo isso a verdade bíblica, não pode ser uma existência da alma preencarnda.
A Bíblia ensina que depois da morte e antes da ressurreição, a alma existe entre os espíritos esperando a ressurreição. Ser ausente do corpo, para o cristão, é ser presente com o Senhor (II Cor 5:8; Fil 1:23; Apoc 6:9). Ser ausente do corpo, para os não salvos, é continuar em existência e com a consciência num mundo terrível que findará no lago de fogo (Apoc 19:20; 20:11-15). Não há vaga, no ensino das Escrituras, para a alma entrar no corpo de um outro a fim de viver vidas sucessivas, como ensinam os reencarnacionistas.
A Bíblia ensina que a acção que existe depois da alma se separar do corpo é a ressurreição.

A Bíblia ensina que o mesmo corpo em que habitava a alma é ressuscitado. Os salvos recebem esse mesmo corpo glorificado para viver com o Senhor eternamente. Os não salvos têm seus mesmos corpos ressuscitados para sofrer neles eternamente no lago de fogo (João 5:28,29; I Cor 15; Apoc 20:4-15).
A Bíblia ensina que os homens morrem uma única vez, depois dessa morte há o juízo (Heb 9:27) fazendo assim uma distinção abrupta entre os reencarnacionistas que crêem que há muitas gerações, muitas vidas e muitas mortes da mesma pessoa (alma).
A Bíblia ensina um juízo final pelo qual todos são destinados eternamente não havendo depois escapatória (Lucas 16:26). Se o juízo é eterno isso quer dizer que não há oportunidade de reencarnação num outro corpo. Existe a ressurreição mas essa será no seu próprio corpo e esse corpo receberá o juízo final de salvação ou condenação.
Jesus Cristo rejeitou a reencarnação. Em João 9:3 perguntaram-Lhe se os pecados de outras gerações fizeram com que o homem que se encontrava diante d'Ele tivesse nascido cego. A resposta foi a negação dessa possibilidade.

A realidade é que foi nascido assim segundo os desejos de Deus.
A graça de Deus é contrária à reencarnação.

O karma é intolerável. O que faz nesta vida ceifará numa outra. Não há excepções nem perdão.

Por Cristo e em Cristo há perdão pois há uma imputação da condenação dos pecados de todos que se arrependem e crêem com fé na pessoa de Cristo, e há uma imputação da Sua justiça nestas (II Cor 5:21).

Se por Cristo foram pagos os nossos pecados e por Ele há paz com Deus, não há lugar para uma doutrina karmica de reencarnação. Ela é uma terrível maldição para aqueles que a adoptam.

 

 

 

Texto adaptado do site: http://solascriptura-tt.org/Seitas/Reencarnacao-CGardner.htm

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.