Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Blog d'espiritismo _ A verdade

Não há, pois, como considerar Cristão, alguém que não crê no sacrifício que o Deus Vivo fez por nós. Desta forma, como filhos de Deus , devemos tomar cuidado com seitas que se dizem Cristãs, mas que são a mais pura deturpação da verdade.

Blog d'espiritismo _ A verdade

Não há, pois, como considerar Cristão, alguém que não crê no sacrifício que o Deus Vivo fez por nós. Desta forma, como filhos de Deus , devemos tomar cuidado com seitas que se dizem Cristãs, mas que são a mais pura deturpação da verdade.

Reencarnação e Justiça _ A justiça de Deus

É conhecida a obstinação dos espíritas em firmar sua posição sobre a doutrina da reencarnação, justificando-a com o argumento de que cada um faz por merecer sua própria salvação. Allan Kardec tinha um lema que foi colocado como epitáfio no seu túmulo na cidade de Paris, França: naitre mourir renaitre encore et progresser sams cesse telle est la loi, que pode ser traduzido da seguinte maneira: "nascer, morrer e progredir sempre; esta é a lei".

Assim, dentro do espiritismo, Deus jamais pode perdoar alguém porque isso atrasaria o progresso espiritual da pessoa e a justiça de Deus seria falha em não premiar cada pessoa pelo o que ela faz em seu favor, por meio das obras de caridade.

Um slogan bastante conhecido que norteia este pensamento é "fora da caridade não existe salvação". A expressão "progredir sempre; esta é a lei" — a que se refere Allan Kardec — é a lei do progresso irreprimível até à perfeição mediante repetidas reencarnações até se tornar "um espírito puro". Este ensino é fundamental dentro do espiritismo, que afirma que o homem deve "alcançar a meta final por esforços próprios. Sem tal condição, a justiça de Deus se faria falha. A justiça de Deus exige que todas as suas criaturas atinjam o estado final de espíritos puros, igualando-os todos".

 

A justiça de Deus

Allan Kardec pergunta aos espíritos: "Em que se funda a lei da reencarnação?".

E responde: "Na justiça de Deus e na revelação; incessantemente repetimos…". Prossegue ele, afirmando: "A doutrina da reencarnação, que consiste em admitir para o homem muitas existências sucessivas, é a única que corresponde à idéia da justiça de Deus, comum respeito aos homens de condição moral inferior, a única que pode explicar o nosso futuro e fundamentar as nossas esperanças, pois oferece-nos o meio de resgatarmos os nossos erros por meio de novas provas. A razão assim nos diz, e é o que os Espíritos nos ensinam". (O livro dos espíritos. Allan Kardec – Obras Completas. Opus Editora Ltda, p.84, 2ª ed., 1985.)

Como vemos, a reencarnação, segundo Kardec, justifica-se, pois "é a única que corresponde à idéia da justiça de Deus…" E afirma ele: "é o que os Espíritos nos ensinam". Entretanto, vejamos uma situação em que esta suposta justiça de Deus não pode ser consumada.

A reencarnação de pessoas e animais

Preliminarmente, apontamos que os kardecistas não admitem o retrocesso dos espíritos ao corpo de animal. Diz kardec: "A pluralidade das existências, segundo o espiritismo, difere essencialmente da metempsicose, pois não admite aquele a encarnação da alma humana nos corpos dos animais, mesmo como castigo. Os Espíritos ensinam que a alma não retrograde, mas progride sempre". (O que é o espiritismo. Allan Kardec – Obras Completas. Opus Editora Ltda, p.300, 2ª ed., 1985.)

Os animais não estão distantes dos homens no campo da inteligência. Segundo o espiritismo, chega a ser uma ofensa chamar um animal de burro, porque o animal tira seu "princípio inteligente" do mesmo "elemento inteligente universal". É o que ensina Allan Kardec.

Ele pergunta e os espíritos respondem (entendamos que os espíritos que falam com Kardec são demónios):

Allan Kardec: "606. Donde tiram os animais o princípio inteligente que constitui a espécie particular de alma de que são dotados?".

Espíritos: "Do elemento inteligente universal". ( O que é o espiritismo. Allan Kardec – Obras Completas. Opus Editora Ltda, p.3167, 2ª ed., 1985.)

Allan Kardec: "597. Tendo os animais uma inteligência que lhes faculta certa liberdade de ação, haverá neles algum princípio independente da matéria?".

Espíritos: "Sim, e que sobrevive ao corpo". ( O que é o espiritismo. Allan Kardec – Obras Completas. Opus Editora Ltda, p.166, 2ª ed., 1985.)

Allan Kardec: "600. Sobrevindo a morte do corpo, a alma do animal fica errante, como a do homem?".

Espíritos: "Fica numa espécie de erraticidade, pois não está unida a um corpo…". ( O que é o espiritismo. Allan Kardec – Obras Completas. Opus Editora Ltda, p.166, 2ª ed., 1985.)

Allan Kardec: "601. Os animais estão sujeitos, como o homem, a uma lei progressiva?".

Espíritos: "Sim, e daí vem que nos mundos superiores, onde os homens são mais adiantados, os animais também o são, dispondo de meios mais amplos de comunicação. São sempre, porém, inferiores ao homem, e se lhe acham submetidos, sendo para estes servidores inteligentes". ( O que é o espiritismo. Allan Kardec – Obras Completas. Opus Editora Ltda, p.166, 2ª ed., 1985.)

Allan Kardec: "603. Nos mundos superiores, os animais conhecem a Deus?".

Espíritos: "Não. Para os animais, o homem é um deus, como outrora os Espíritos eram deuses para o homem". ( O que é o espiritismo. Allan Kardec – Obras Completas. Opus Editora Ltda, p.166, 2ª ed., 1985.)

Allan Kardec: "604. Mesmo aperfeiçoados nos mundos superiores, desde que os animais são sempre inferiores ao homem, segue-se que Deus teria criado seres intelectuais perpetuamente votados à inferioridade. Isto parece em desacordo com a unidade de vistas e de progresso que se notam em todas as Suas obras?".

Espíritos: "Tudo se encadeia na Natureza, por elos que ainda estais longe de perceber; as coisas aparentemente mais disparatadas têm pontos de contato que o homem não pode compreender no seu estado atual”.  ( O que é o espiritismo. Allan Kardec – Obras Completas. Opus Editora Ltda, p.166, 2ª ed., 1985.)

Allan Kardec: "604-a. Assim, a inteligência é uma propriedade comum, um ponto de contato entre a alma dos animais e do homem?".

Espíritos: "Sim. Mas os animais apenas têm a inteligência da vida material. No homem a inteligência produz a vida moral".  ( O que é o espiritismo. Allan Kardec – Obras Completas. Opus Editora Ltda, p.166, 2ª ed., 1985.)

Diante do exposto, perguntamos:

Como fica, então, a ‘idéia da justiça de Deus’, reclamada pelos espíritas de igualdade entre todos os seres criados por Deus, se ela não se dá com respeito aos animais, que serão perpetuamente destinados à inferioridade em relação aos homens, sendo o homem para os animais um deus?

Os espíritas não têm resposta que satisfaça esta indagação e só podem admitir que "as coisas aparentemente mais disparatadas têm pontos de contato que o homem não pode compreender no seu estado atual."

 

 

Continua:

O ensino dos espíritos

Fonte:  http://www.cacp.org.br/reencarnacao-e-justica/

4 comentários

  • Imagem de perfil

    Maria Helena 02.10.2014

    Tem razão...
    Cada um acredita no que lhe convém! Mas... Há aqueles que, realmente, pela graça de Deus, acreditam no único Deus Vivo e Verdadeiro e conhecem-No!
  • Sem imagem de perfil

    Carlos 25.07.2015

    Os cegos e cativos pela feitiçaria do espiritismo toleram até um certo nível de debate e discussão. No momento que a Palavra de Deus começa a descer para o coração deles abre-se a porta do ódio, do desrespeito, da ofensa e das palavras de baixo nível. Foi assim mesmo que o Claudio acabou de fazer. Eu trato com esta gente a alguns anos e conheço bem este comportamento que tem origem na semente maligna do espiritismo que germina no coração deles.
  • Sem imagem de perfil

    Anónimo 06.01.2018

    É verdade, Cláudio! A maior prova da inteligência humana é a aceitação do sacrifício de Jesus, na Cruz do Calvário, para que todos nós voltássemos a ter a vida?, que tínhamos no Jardim do Éden, antes do pecado da desobediência de Adão e Eva. Estávamos desligados de Deus?, por isso Ele veio em forma de homem, para que todo aqueles que cressem nEle e O confessassem como Único e Suficiente Salvador. Não há outro Caminho que possa nos levar para junto do Criador, pois não existe obra humana suficientemente grande para isso. Quando Jesus declarou " Está consumado", Ele teve certeza de que o preço do Seu sacrifício foi satisfatório, cumpriu, o que planejou com o Pai, até o fim. Aceitar outras doutrinas, é dar as costas, é rejeitar tão alto preço. Não pode existir arrependimento sem a consciência do erro. Como pode haver mudanças, nas sucessivas reencarnações, se a pessoa desconhece o que fez em vidas anteriores? Não seria uma forma de tornar o ser humano conformado com suas mazelas, em vez de tentar dar a volta por cima, através da fé em Deus? Uma pessoa que sofre estupro deve se conformar com isso, em vez de buscar justiça, somente por crer que, de alguma forma, está pagando por algo praticado em outra vida?
    Gostaria que os que creem na reencarnação tivessem respostas para minhas indagações, pois, por muitos anos, acreditei nessa doutrina e em outras doutrinas satânicas, que nos afastam dos planos de Deus para nossas vidas, e não consegui respostas convincentes.
    Um dia, tive um encontro pessoal com Cristo e tudo passou a ter sentido na minha vida. Tive prova, através de um grande livramento, que Ele vive, reina ao lado do Pai, nos enviou O Santo Espírito, para nos convencer do pecado e do arrependimento para salvação e um dia voltará, para buscar a todos que assim o creem em seus corações, e confessam com suas bocas, que só Ele é Senhor e Salvador.
    Que Deus dê entendimento e visão espiritual a todo aquele que o ama, mas desconhece seus princípios.
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.