Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Blog d'espiritismo _ A verdade

Não há, pois, como considerar Cristão, alguém que não crê no sacrifício que o Deus Vivo fez por nós. Desta forma, como filhos de Deus , devemos tomar cuidado com seitas que se dizem Cristãs, mas que são a mais pura deturpação da verdade.

Blog d'espiritismo _ A verdade

Não há, pois, como considerar Cristão, alguém que não crê no sacrifício que o Deus Vivo fez por nós. Desta forma, como filhos de Deus , devemos tomar cuidado com seitas que se dizem Cristãs, mas que são a mais pura deturpação da verdade.

AMOR EXTREMO _ Um Amor de Ressurreição Tão Incrível

Por  isso, o Pai me ama, porque eu dou a minha vida para a reassumir. Ninguém a tira  de mim; pelo contrário, eu espontaneamente a dou. Tenho autoridade para a  entregar e também para reavê-la. Este mandato recebi de meu Pai. (João 10:17-18)

 

 

Por que Jesus diz isso? Por que ele enfatiza sua  voluntariedade em morrer? Porque se isso não fosse verdade — se sua morte fosse  forçada a ele, se não fosse livre, se seu coração não estivesse de fato nisso — então uma grande interrogação seria colocada sobre seu amor por nós.

A profundidade de seu amor está em sua  liberdade. Se ele não morreu por nós voluntariamente — se ele não escolheu o  sofrimento e o abraçou — então quão grande é seu amor realmente? Então ele  enfatiza isso. Ele deixa explícito. Isso vem de mim, não das circunstâncias,  não de pressão, mas do que eu realmente anseio fazer.

Jesus está enfatizando para nós que seu amor por  nós é gratuito. Ele parece ouvir alguma calúnia inimiga dizendo: “Jesus não ama  a você de verdade. Ele é um mercenário. Ele entrou nessa por outra razão que não  amor. Ele está sob algum tipo de obrigação ou compulsão externa. Ele não quer  realmente morrer por você. Ele apenas de alguma maneira acabou entrando nessa  tarefa e tem de se submeter às forças que o controlam.” Jesus parece ouvir ou  antecipar algo assim. E ele responde: “Ninguém a tira de mim; pelo contrário, eu  espontaneamente a dou. Tenho autoridade para a entregar e também para reavê-la.” Ele está pressionando nesse ponto para ver se creremos em seu protesto de amor,  ou se creremos no oposto — que seu coração não está realmente nisso.

Qualquer um que faz uma afirmação como essa está  mentalmente perturbado, mentindo, ou é Deus. Eu tenho autoridade de dentro da  morte, como um homem morto, de tomar minha vida de volta quanto eu quiser.  Agora qual é o ponto aqui? Bem, o que é mais difícil? Controlar o momento de sua  morte, ou dar a si mesmo vida novamente quando já morto? O que é mais difícil?  Dizer “eu entrego minha vida por minha própria iniciativa,” ou dizer “eu tomarei  minha vida de volta depois que estiver morto”?

A resposta é óbvia. E esse é o ponto. Se Jesus  podia tomar — e tomou — sua vida de volta da morte, então ele de fato estava  livre. Se ele controlou o momento em que saiu da sepultura, ele certamente  controlou o momento em que ele foi para a sepultura.

Então eis o ponto. A ressurreição de Jesus é  dada a nós como a confirmação ou a evidência de que ele estava, de fato, livre  ao entregar sua vida. E então a ressurreição é o testemunho de Cristo quanto à  liberdade de seu amor.

O Significado da Páscoa

De todas as grandes coisas que a Páscoa  significa, ela também significa isso: é um grande “Eu quis fazer isso!” por trás  da morte de Cristo. Eu quis fazer isso! Eu estava livre. Você vê o quão livre eu  estou? Você vê quanto poder e autoridade eu tenho? Eu era capaz de evitá-la. Eu  tenho o poder de tomar minha vida e voltar da sepultura. Então, como eu não  conseguiria devastar meus inimigos e escapar da cruz?

Minha ressurreição é um brado sobre meu amor por  minhas ovelhas: Eu era livre! Eu era livre! Eu escolhi isso. Eu abracei isso. Eu  não fui capturado. Eu não fui encurralado. Nada pode me obrigar a fazer o que eu  não escolho fazer. Eu tinha poder para tomar minha vida de volta da morte. Quão  mais, então, eu poderia evitar meu encontro com a morte!

Eu estou vivo para mostrar a você que eu  realmente amei você. Eu amei você livremente. Ninguém me forçou a fazê-lo. E  agora estou livre para passar a eternidade amando você com um amor onipotente de  ressurreição para sempre e sempre.

Vinde a mim, vós todos pecadores que necessitam  de um Salvador. E eu os perdoarei, os aceitarei, e os amarei de todo o meu  coração para todo sempre.

Leia mais: http://voltemosaoevangelho.com/blog/2013/03/john-piper-um-amor-de-ressurreicao-tao-incrivel-amor-ao-extremo-99/#ixzz2SXFtgN1X

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.