Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Blog d'espiritismo _ A verdade

Não há, pois, como considerar Cristão, alguém que não crê no sacrifício que o Deus Vivo fez por nós. Desta forma, como filhos de Deus , devemos tomar cuidado com seitas que se dizem Cristãs, mas que são a mais pura deturpação da verdade.

Blog d'espiritismo _ A verdade

Não há, pois, como considerar Cristão, alguém que não crê no sacrifício que o Deus Vivo fez por nós. Desta forma, como filhos de Deus , devemos tomar cuidado com seitas que se dizem Cristãs, mas que são a mais pura deturpação da verdade.

Ressurreição ou reencarnação? 1

Leitura: 1 Co 15.12 Ora, se se prega que Cristo ressuscitou dentre os mortos, como dizem alguns dentre vós que näo há ressurreiçäo de mortos?
13 E, se näo há ressurreiçäo de mortos, também Cristo näo ressuscitou.
14 E, se Cristo näo ressuscitou, logo é vä a nossa pregaçäo, e também é vä a vossa fé.
15 E assim somos também considerados como falsas testemunhas de Deus, pois testificamos de Deus, que ressuscitou a Cristo, ao qual, porém, näo ressuscitou, se, na verdade, os mortos näo ressuscitam.
16 Porque, se os mortos näo ressuscitam, também Cristo näo ressuscitou.
17 E, se Cristo näo ressuscitou, é vä a vossa fé, e ainda permaneceis nos vossos pecados.
18 E também os que dormiram em Cristo estäo perdidos.
19 Se esperamos em Cristo só nesta vida, somos os mais miseráveis de todos os homens.
20 Mas de fato Cristo ressuscitou dentre os mortos, e foi feito as primícias dos que dormem.
21 Porque assim como a morte veio por um homem, também a ressurreiçäo dos mortos veio por um homem.
22 Porque, assim como todos morrem em Adäo, assim também todos seräo vivificados em Cristo.

Reencarnação e ressurreição são duas formas de falar da mesma questão: a vida depois da morte. A Bíblia fala muitas vezes de ressurreição, mas nunca em reencarnação. Não se pode acreditar nas duas coisas, porque são doutrinas opostas.

 

Reencarnação - é uma crença que tem origem no hinduísmo. Fundamenta-se na convicção de que os bons são premiados e os maus são castigados. Eles crêem que as pessoas voltam a nascer, enquanto não alcançarem a perfeição. São ciclos de vida que se sucedem. Acreditam que as pessoas renascem mais perto ou mais longe da perfeição. Depende se são premiadas ou castigadas pelo seu comportamento anterior.
No Ocidente, o maior divulgador da reencarnação é o espiritismo de Allan Kardeck. Reencarnação é a volta do espírito ao plano material. Quando o homem morre, o corpo desce à sepultura e o espírito segue para o mundo espiritual, para depois retornar à vida terrena, em novo corpo, tantas vezes quantas sejam necessárias. O objetivo desse retorno “é fazê-los chegar à perfeição” e proporcionar um “melhoramento progressivo da Humanidade”. “As reencarnações sucessivas são sempre muito numerosas, porque o progresso é quase infinito” (Quesitos 132, 167 e 169 do Livro dos Espíritos). A doutrina espírita afirma que o espírito retorna ao corpo também para cumprir uma missão especial. O espiritismo classifica os espíritos em quatro categorias: imperfeitos, bons, superiores e puros. Podendo o espírito galgar sozinho as “categorias espirituais” através das boas ações e sucessivas reencarnações.

 

Ressurreição - significa a vivificação do corpo morto, não importa quanto tempo esteja nesse estado. É o reencontro do espírito com o corpo original (Rm 8.11; 1 Ts 4.16-17). Sob inspiração divina, o apóstolo Paulo declara: “Cremos que Jesus morreu e ressurgiu, assim também cremos que aos que dormem em Jesus, Deus os tornará a trazer com ele” (v.14). A redenção dos cristãos abrange o corpo (Rm 8.23).
O Senhor Jesus ensinou que o injusto, quando morre, vai para um lugar de tormentos. O justo, para um lugar de paz. Tal ensino está na parábola do rico e Lázaro (Lc 16.19-31). Todos ficam aguardando a ressurreição. Exemplos na Bíblia Sagrada contrapõem-se à doutrina da reencarnação. Ao ladrão que se arrependeu, Jesus prometeu que estaria no mesmo dia ao paraíso (Lc 23.43), em vez de reencarnar muitas vezes até se tornar perfeito. Jesus perdoou seus pecados e lhe garantiu a vida eterna. Os judeus não criam em reencarnação, e sim na ressurreição dos mortos (Lc 9.7-8 e Mc 6.14-16).

4 comentários

  • Imagem de perfil

    Maria Helena 28.02.2010

    Sr. António Candeias:
    É a sua opinião! Eu respeito-o!
    Esta é a visão da "ressurreição/ reencarnação" à luz da Palavra de Deus.

    O artigo que refere, no blog que refere, é a visão de Kardec sobre o tema.
    Eu, aqui, divulgo a Verdade da Palavra de Deus e da doutrina de Jesus Cristo e não a visão de um homem a quem "espíritos" que o próprio Kardec afirmou, poderem ser mentirosos, sopraram uma doutrina sobre a qual, esses mesmos espíritos não são concensuais... foi Kardec que o escreveu.

    Como já deve ter percebido, eu acredito no Jesus Cristo bíblico, não no jesus de Alan Kardec.
    Deus o abençoe!
  • Imagem de perfil

    Maria Helena 28.02.2010

    Sr. António, desculpe mas gostaria de lhe deixar aqui estas considerações:
    No entender de Kardec, Jesus foi a “segunda revelação de Deus” (E.S.E., cap I-6, p. 59) e que veio em missão divina nos ensinar a elevada moral evangélica. Logo, Suas palavras têm uma significativa importância para o espiritismo, certo? Deveriam ter, pois a Sua promessa de retornar é inconfundível. A Sua vinda e o conseqüente “resgate” dos seus são promessas bastante claras: “Eu virei outra vez e vos levarei para mim mesmo”. As vezes em que Jesus falou em parábolas foi para transmitir através delas uma realidade espiritual, e não uma inverdade. O arrebatamento da igreja, incompatível com a teoria da reencarnação, não é uma palavra figurativa. Jesus levaria para Si pessoas que ainda não completaram o ciclo de encarnações? Como ficariam na vinda de Jesus os espíritos ainda sujeitos a novas vidas corpóreas para expungir suas impurezas? A verdade do cristianismo é que os que morreram em Cristo estão salvos; não dependem de sacrifícios pós-morte (Lc 16.22; cf. 1 Ts 4.16-17).
    Jesus possui “apenas poder moral” e por isso teria criado um quadro majestoso, imaginário e irreal de Seu retorno? Vamos ver se o Seu poder é assim limitado: Ele andou sobre as águas; transformou água em vinho; curou leprosos, cegos e paralíticos; perdoou pecados; multiplicou pães e peixes; expulsou demônios; predisse sua própria ressurreição ao terceiro dia, e ainda afirmou que “todo o poder me é dado no céu e na terra” (Mt 28.18).

    Eu acredito neste Jesus! O Salvador.
    O tema que comentou neste post encontra-se ainda incompleto.
    DEsculpe insistir, mas como veio dar a sua opinião, e sei que o faz com a melhor das intenções, apenas pretendo retribuir o seu cuidado!
    Deus o abençoe!
  • Sem imagem de perfil

    António Candeias 28.02.2010

    Na realidade, percebo as suas interrogações, quando se acredita noutros credos.
    Para lhe responder á sua quastão, só lhe tenho uma resposta para dar: A leitura do Livro dos Espíritos e do Evangelho segundo o espiritismo tem respostas completas para as suas questões.
    Não sei se alguma vez se dedicou a estudar (não a ler), porque ler, muita gente lê, o que é diferente de estudar, pesquisar, fazer exame, utilizar o intelecto, para ver se faz sentido. A Doutrina Espírita nada impõe apesar de ter dúvidas em pseu-espíritas que aqui vieram violentamente comentar, sem caridade evangélica. Continuando o meu raciocínio, é na leirura dessas duas obras complementando com obras póstumas e o que é o espiritismo que encontrei o sentido racional para perceber o mundo que me rodeia e não acreditar nesse inferno e diabos que aqui são defendidos.
    Mas cada um segue o seu caminho. Eu segui este, mas não aceito que se impija o que quer que seja. Afinal também Jesus não acreditou a gregos e a Troianos, mas ele continua presente em todos nós em cada dia que passa nesta reencarnação no planeta Terra. Não precisamo de esperar por ele, porque ele está em nós !

  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.