Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Blog d'espiritismo _ A verdade

Não há, pois, como considerar Cristão, alguém que não crê no sacrifício que o Deus Vivo fez por nós. Desta forma, como filhos de Deus , devemos tomar cuidado com seitas que se dizem Cristãs, mas que são a mais pura deturpação da verdade.

Blog d'espiritismo _ A verdade

Não há, pois, como considerar Cristão, alguém que não crê no sacrifício que o Deus Vivo fez por nós. Desta forma, como filhos de Deus , devemos tomar cuidado com seitas que se dizem Cristãs, mas que são a mais pura deturpação da verdade.

O segundo pilar do espiritismo: O estado do homem após a morte

O segundo pilar do espiritismo:

O estado do homem após a morte

  

 • Introdução

1. Existe consciência após a morte?

2. Para onde vai alma quando alguém morre?

3. O que é o “espírito” de acordo com a Bíblia?

 No livro O Céu e o Inferno, capítulo 2, Allan Kardec disse que os espíritas “sabem que a vida futura é a continuação da vida terrena em melhores condições e aguardam-na com a mesma confiança com que aguardariam o despontar do Sol após uma noite de tempestade”. (Grifo acrescentado).

Será que esse posicionamento dele é o mesmo da Bíblia? É sobre isso que estudaremos no texto de hoje. Esse assunto fará toda a diferença em sua vida espiritual, pois, poderá livrá-lo de um dos maiores enganos nesses últimos dias: o de que o ser humano é imortal naturalmente sem estar ao lado de Deus e comendo da árvore da vida.

 

• Estudo

1) Qual a foi a maior tragédia que o pecado trouxe para a humanidade? Romanos 6:23 (primeira parte).

Resposta: a morte do pecador.

 

2) Depois que Adão e Eva desobedeceram a Deus, qual foi a primeira atitude do Criador. Por que o Senhor tomou essa decisão? Gênesis 3:22, 23.

Resposta: Tirou-lhes o acesso à árvore da vida. Fez isso porque, se continuassem comendo do fruto, seriam pecadores imortais e, consequentemente, o sofrimento seria eterno.

Nota: Se HOJE o ser humano NÃO TEM ACESSSO à árvore da vida, isso significa que não somos imortais até o dia em que Jesus voltar e nos levar para o Céu (João 14:1-3) para comeremos novamente do fruto da árvore que se encontra no paraíso de Deus (Apocalipse 2:7).

 

3) Quem é imortal? 1 Timóteo 6:15, 16.

Resposta: Deus. As demais criaturas só podem ter vida se estiverem ligadas a Ele.

 

4) Se o ser humano não tem acesso à árvore da vida e só Deus é imortal, para onde vai a “alma” após a morte? O que é alma? Ezequiel 18:4; compare com Deuteronômio 10:22.

Resposta: A alma morre porque alma é a pessoa viva e não é uma “entidade imaterial” que sobrevive fora do corpo. A “alma” – o pessoa – vai para o pó da terra de acordo com Gênesis 3:19 e Eclesiastes 3:20. (Não vai para o Céu, inferno, purgatório ou para outro corpo a fim de reencarnar).

 

5) Então, o que Gênesis 35:18 quer dizer quando afirma que “sai a alma” de Raquel depois da morte dela?

Resposta: O termo “alma” pode ser traduzido de várias maneiras nas Escrituras. Precisamos analisar o contexto do verso para obtermos o melhor significado e jamais os conceitos gregos para a palavra! Quando lemos a Bíblia na Nova Versão Internacional percebemos que o termo “alma” já foi correctamente traduzido por vida (inclusive no texto de 1 Reis 17:21, 22, malcompreendido por muitos). Veja com o texto foi traduzido: “Já a ponto de sair-lhe a vida, quando estava morrendo…” Portanto, a palavra “alma” em Gênesis 35:18 se refere à vida.

 

6) O que é o “espírito”? Gênesis 2:7; Eclesiastes 12:7.

Resposta: Alguns significados para as palavras hebraicas e grega utilizadas para se referir ao “espírito” (ruach, neshamah [hebraico] e pneuma [grego] são: “vento”, “ar”. Em Gênesis 2:7 aparece a expressão “fôlego de vida”, que é o mesmo que espírito. Portanto, espírito é o fôlego de vida que Deus colocou em cada ser humano. O princípio vital do Criador que nos mantém vivos.

 

7) Algumas evidências de que o ser humano deixa de existir depois da morte:

a) Perda do acesso à árvore da vida – Gênesis 3:22 e 23;

b) Necessidade de comer desta árvore novamente, NO FUTURO, para preservar a imortalidade – Apocalipse 22:2;

c) Perda da consciência na morte – Eclesiastes 9:5, 6 e 10 – compare com o Salmo 88:10-12; Salmo 115:17 e 146:4.

d) Impossibilidade de adquirir conhecimento e sabedoria enquanto estiver morto – Jó 4:21 (se a pessoa estivesse no Céu ou noutra dimensão espiritual, aprenderia muito mais que qualquer pessoa aqui da Terra…);

e) Impossibilidade de adorar a Deus – Salmo 6:5 (se o “espírito” estivesse no Céu, o que mais faria seria adorar a Deus!)

f) Necessidade de passar pelo processo de santificação, uma preparação diária para a eternidade – Hebreus 12:14; Romanos 2:7;

g) Necessidade de uma ressurreição para voltar à vida – Isaías 26:19; 1 Tessalonicenses 4:13-17;

h) Os autores bíblicos, tanto do Antigo quanto do Novo Testamento, comparam a morte a um sono, sem sonhos.

Eis alguns deles:

(1) Davi – Salmo 13:3;

(2) Isaías – Isaías 26:19;

(3) Jeremias – Jeremias 51:39 e 57;

(4) Daniel – Daniel 12:2;

(5) Paulo – 1 Coríntios 15:16-18; 1 Tessalonicenses 4:13, etc.

 

8) Para Jesus, o que a pessoa morta está fazendo neste momento? João 11:11-14

Resposta: Para o Senhor Jesus Cristo, a pessoa morta está dormindo.

 

9) De acordo com 1 Tessalonicenses 4:18, as pessoas que perderam um ente querido devem ser consoladas com o ensino da reencarnação?

Resposta: Não! Devem ser confortadas com a crença na doutrina da ressurreição.

 

10) O que é Ressurreição? Daniel 12:2; 1 Coríntios 15:50-55

Resposta: Ressurgir do pó da Terra com o corpo transformado. Algo totalmente impossível para a ciência, mas não para Deus! 

 

11) Quando será a Ressurreição? Daniel 12:13; João 6:40 e 54; 1Tessalonicenses 4:13-18

Resposta: No último dia, momento em que Jesus vai voltar.

 

12) O que devemos fazer para ganharmos a vida eterna? João 5:24.

Resposta: Crer em Deus e aceitar todos os ensinos de Jesus Cristo – inclusive a respeito do que acontece depois da morte!

Convite: “Disse-lhe Jesus: “Eu sou a ressurreição e a vida. Aquele que crê em mim, ainda que morra, viverá” João 11:25.

4 comentários

  • Imagem de perfil

    Maria Helena 04.06.2010

    Olá Sr. Vasco! Bom-dia!
    Muito obrigada pela sua participação neste espaço e seja muito bem vindo!

    Aqueles que se dizem ateus, têm como assuntos preferidos Deus ou a negação da Sua existência. (Não é por acaso que aqui comentou...) Todo o ser humano _ não importa quem seja, ateu ou não _ gosta de incluir Deus na pauta das suas ideias mais importantes.
    A maioria dos ateus realmente não acredita em Deus?
    Nao.
    A maioria dos ateus fundamenta o seu ateísmo não num corpo de ideias profundas sobre a existência ou não de Deus, mas como resultado da indignação contra as injustiças, incoerências e discriminações sociopolíticas cometidas pela religiosidade reinante em determinada época.
    Quando todos pensavam que Voltaire, o afiado pensador do Iluminismo francês, era ateu, ele proclamava no final da sua vida: «Morro adorando a Deus, amando os meus amigos, não detestando os meus inimigos, mas detestando a superstiçao.»
    A maioria dos ateus pratica um ateísmo social, um «socioateísmo» alicerçado na anti-religiosidade, e não numa produção de conhecimento inteligente, descontaminada de distorções intelectuais, de paixões e tendenciosidades psicossociais sobre a existência ou não de Deus.
    Que Deus, Aquele no qual eu creio, que é Vivo, Real e Verdadeiro, o abençoe!
    Volte sempre!


  • Sem imagem de perfil

    Vasco Ribeiro 04.06.2010

    Cara Maria Helena.
    O religião cristã através das cruzadas e da inquisição forçou/matou as pessoas não crentes ou com outras crenças a acreditar no seu Deus. Portanto o nosso interesse sobre a realidade divina é muito simples, tentar de certa forma, voltar ao estado primordial, isto é, o ponto em que é possível ser-se moral em todas as circunstâncias e não ser-se moral pela "escravização" (peço desculpa pela palavra fortem mas sem sentido pejorativo) de um Deus.
    Gostaria de lhe perguntar se acredita no criacionismo, onde Deus criou tudo, desde a matéria, ao adão à Eva e todos os demais. A inteligência a meu ver não tem a ver com o que se acredita, mas sim nas perguntas que fazemos ao que acreditamos. Uma espécie de auto-crítica que penso que a religião nunca fez. Gosto muito destes temas, pois quanto mais ouço mais o meu cerebro avança e por isso é que os ateus gostam de falar de Deus é que isso é sinal de inteligência perguntar como é possível.
    Um abraço e obrigado.
  • Imagem de perfil

    Maria Helena 05.06.2010

    Sr. Vasco:
    O que agora escreveu, nada mais é que a constactação da resposta que lhe dei?
    A ciência desenvolveu-s intensamente, mas frustrou a humanidade. Por um lado, fez e continua a fazer muito. Revolucionou o mundo extrapsíquico, o mundo exterior das pessoas, mas não o mundo intrapsíquico, o mundo interior, o cerne da mente. Guiou o ser humano na descopberta do imenso espaço e do pequeno átomo, mas não o levou a explorar o seu próprio mundo interior. Produziu veículos automotores, mas não veículos psíquicos capazes de conduzir as pessoas nas trajectórias do seu próprio ser. Fabricou máquinas para arar a terrae garantir mantimentos para saciar a fome física, mas não gerou princípios psicológicos e sociológicos para «arar» a rigidez intelectual, o individualismo e nutri-lo com a cidadania, a tolerância, a preocupação com o outro. Forneceu informações e multiplicou a Universidades, mas não resolveu a crise de formação dos pensadores.
    A ciência não causou a tão sonhada revolução do ser humano, da solidariedade, da preservação dos direitos humanos. Não cumpriu as promessas mais básicas de expandir a qualidade de vida psicossocial do mundo moderno.
    Homens e mulheres do final do século xx sentiram-se traídos pela ciência e os do terceiro milénio sentem-se hoje frustrados, perdidos, confusos, sem uma âncora intelectual a que se agarrar.
    Durante muitas décadas, o ateísmo floresceu como um canteiro vivo. Todavia, com a frustração da ciência, o ateísmo ruiu como um castelo de cartas, implodiu, e o misticismo floresceu. Fomos de um extremo a outro. Percebendo as misérias psicossociais à sua volta e observando as notícias de cunho negativo que saltavam à vista todos os dias, as pessoas começaram a procurar Deus. Elas, que não acreditavam em nada, passaram a acreditar em tudo. Elas que eram tão cépticas, passaram a ser tão crédulas. É respeitável todo o tipo de crença, porém é igualmente respitável exercer o dreito de pensar antes de acreditar, e acreditar com maturidade e consciência crítica. O direito de pensar assim, é nobre.
    Eu CREIO! Tenho plena certeza da existência de Deus, da vida eterna e da Salvação em Jesus Cristo!
    TUDO o que é impossível ao homem, é possível a Deus! Creio sim. Creio no Deus Criador de todas as coisas. no Deus de Milagres, no Deus Pai, Filho e Espírito Santo! E isso, meu caro Vasco, não é falta de sabedoria ou inteligência... é FÉ e experiência de vida!
    Caso contrário teríamos homens como Louis Pasteur que afirmou que pouca ciência nos afasta de Deus, muita nos aproxima! tachados de... pouco inteligentes?
    Só mais uma coisa... nenhuma religião muda ou transforma o ser humano... só Jesus Cristo o pode fazer!
    Deus o abençoe!
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.