Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Blog d'espiritismo _ A verdade

Não há, pois, como considerar Cristão, alguém que não crê no sacrifício que o Deus Vivo fez por nós. Desta forma, como filhos de Deus , devemos tomar cuidado com seitas que se dizem Cristãs, mas que são a mais pura deturpação da verdade.

Blog d'espiritismo _ A verdade

Não há, pois, como considerar Cristão, alguém que não crê no sacrifício que o Deus Vivo fez por nós. Desta forma, como filhos de Deus , devemos tomar cuidado com seitas que se dizem Cristãs, mas que são a mais pura deturpação da verdade.

A FALÁCIA DOS ENSINOS ESPÍRITAS - ALMAR RÉGIS (4)

Alamar Régis prossegue na sua cegueira e na sua incapacidade de entender a Escritura: 

 

"A maioria de nós diria que incesto está contra os interesses da família, mas Lot, quem a Bíblia considera ser um homem de bem, fez sexo com as duas filhas dele (Génesis 19:33-36); e não houve nenhum castigo para Lot ou para as filhas."

 

A Bíblia considera que Ló era um homem de bem? Onde? É por estas e por outras que digo que os espíritas não lêem a Bíblia ou, se o fazem, estão incapacitados de a entender...

A verdade é que Deus teve misericórdia de Abraão e estendeu-a a Ló e à sua família. Ló só foi salvo da destruição de Sodoma porque Abraão implorou a Deus que o poupasse. Nesta triste história da destruição de Sodoma, podemos ver duas mulheres comprometidas em preservar a família, as filhas de Ló. Elas não eram guiadas pela luxúria, mas sim pelo desespero - por temerem que nunca se casariam.

A maior culpa, que conduziu ao incesto, foi da tendência de Ló em acomodar-se e recusar-se a agir até chegar ao limite. Ele deveria ter encontrado maridos para as suas filhas muito antes disto; a família de Abraão não morava muito longe.

Agora ambas praticavam o incesto, mostrando a sua aceitação dos princípios morais de Sodoma. Porque é que a Bíblia não condena abertamente estas irmãs pelo que fizeram?

Em muitos casos, a Bíblia não julga as pessoas pelos seus actos, limitando-se a reportar fielmente os acontecimentos. No entanto, o incesto é claramente condenado noutras partes da Bíblia. Talvez a maior consequência deste acto praticado pelas filhas de Ló  _ Moabe e Amon tornaram-se inimigos de Israel _ tenha sido a maneira de Deus julgar o seu pecado.

 

Claro que o sr. Alamar Régis, com o seu prodigioso cérebro, ignorou todos os factos, limitando-se a tentar denegrir a Palavra de Deus e a tentar escandalizar  aqueles que não conhecem a Escritura no seu todo. Ele prossegue:

 

1) "Para ganhar favor com um rei, Abrão disse que sua esposa era sua irmã, e a ofereceu ao rei para tomá-la como esposa. Isto aconteceu duas vezes (Génesis 12:19; 20:2).

2) Isaac fez uma coisa semelhante (Génesis 26:9).

3) E Lot uma vez ofereceu as filhas virgens dele (Génesis 19:8).

4) Jacob enganou seu irmão Esaú (Génesis 25:31-33). Após isso, Jacob então mentiu para seu pai (Génesis 27:19).

5) Deus amou a Jacob e odiou Esaú, a vítima (Malaquias 1:3)"

 

Dividi o texto por pontos para melhor analisarmos:

1) Movido pelo medo, Abrão pediu que Sarai contasse uma meia-verdade: ela era sua meia- irmã "E, na verdade, é ela também minha irmã, filha de meu pai, mas não filha da minha mãe; e veio a ser minha mulher;" (Gênesis 20:12), mas também era sua esposa.

A intenção de Abrão era enganar os egípcios. Ele temia que eles, descobrindo a verdade, o matassem para ficar com Sarai. Por causa da sua beleza, Sarai seria desejável para aumentar o harém de faraó e um grande potencial para alianças políticas.

Como irmão de Sarai, Abrão receberia lugar de honra. Como marido, porém, corria perigo, pois Sarai nunca poderia fazer parte do harém de faraó a menos que Abrão estivesse morto. Assim, Abrão perdeu a fé na protecção de Deus, mesmo após ouvir todas as promessas que Ele lhe fizera, e contou uma meia-verdade. Isto mostra-nos como a mentira se mistura aos efeitos do pecado. Ao mentir, os problemas de Abrão multiplicaram-se. Mas, Deus permaneceu fiel à sua promessa.

 

2) Tal e qual como seu pai, Isaque temeu que os homens de Gerar o matassem para ficar com a sua bela esposa, Rebeca. Assim ele mentiu, afirmando que Rebeca era sua irmã. Onde é que ele aprendeu a fazer isto? Provavelmente tomou conhecimento das atitudes do seu pai. Todos nós erramos! A Bíblia conta-nos histórias de homens e mulheres como nós! Isaque errou, mas Deus manteve a sua promessa de o abençoar.

 

3) Em momento nenhum a Bíblia nos apresenta Ló como alguém cheio de virtudes, mas sim com alguém salvo pela misericórdia de Deus em resposta ao pedido   de Abraão que implorou para o Senhor o salvar!

Porque é que Ló ofereceu as suas filhas virgens aos homens de Sodoma? Como é que um pai podia entregar as suas filhas para serem violadas por um bando de pervertidos, apenas para proteger dois estranhos?

Possivelmente Ló planeava salvar tanto as filhas como os visitantes, na esperança de que os seus noivos as resgatassem ou de que aqueles homossexuais perdessem o interesse pelas moças e fossem embora. Ainda que fosse costume da época proteger um hóspede a qualquer preço, esta terrível sugestão revela o quão profundamente o pecado absorvera a vida de Ló. Ele foi contaminado pelos actos malignos de uma cidade impia.

 

4) Deus já havia dito a Rebeca: "Duas nações há no teu ventre, e dois povos se dividirão das tuas entranhas, e um povo será mais forte do que o outro povo, e o maior servirá ao menor." (Gênesis 25:23).

Porquê? Deus é Deus, não eu! A verdade é que Esaú (antes de ser trapaceado) trocou os duradouros benefícios da sua progenitura por um simples prazer alimentar imediato. Agindo por impulso, ele só pensou no prazer imediato e ignorou as consequências a longo prazo. Embora Jacó tivesse recebido a bênção desejada, o facto de enganar o seu pai custou-lhe muito caro. Eis algumas consequências daquele engano:

1 - Jacó nunca mais viu a sua mãe (mentora do plano).

2 - O seu irmão quis matá-lo.

3 - Ele foi enganado pelo seu tio Labão.

4 -  A sua família dividiu-se devido a muitos conflitos.

5 - Esaú tornou-se o fundador de uma nação inimiga.

6 - Jacó ficou exilado da sua família durante anos. Ironicamente, Jacó teria recebido a progenitura e a bênção de qualquer forma porque Deus havia dito "e o maior servirá ao menor." (Gênesis 25:23)".

Imagine como a vida de Jacó teria sido diferente se ele e a sua mãe tivessem esperado que Deus trabalhasse a seu favor, no tempo d'Ele.

 

5) A frase "Aborreci a Esaú" não se refere ao destino eterno de Esaú. Significa simplesmente que Deus escolheu Jacó e não Esaú, para ser aquele através do qual a nação de Israel e o Messias viriam. Deus permitiu que Esaú fosse o pai de uma nação, mas esta, Edom, mais tarde tornou-se um dos principais inimigos de Israel.

Há lições  tão preciosas na Palavra de Deus quando a única coisa que desejamos é conhecer e amar o nosso Criador!

Ninguém é perfeito! A Bíblia fala-nos de homens e mulheres falhos, pecadores como nós... dos quais, Deus, no seu infinito amor, se compadeceu.

A história da família de Abraão é um manancial de ensino. Há uma lição evidente em toda esta história: "Deus não precisa da nossa ajuda para cumprir as Suas promessas! Sempre que O tentamos ajudar... estragamos tudo e as consequências nunca são boas. Há uma lei imutável nas Escrituras: "... tudo o que o homem semear, isso também ceifará." (Gálatas 6:7)

 

Já as pessoas como o Alamar Régis, perdem-se na sua própria "presunção de sabedoria" ao pretenderem julgar Deus , ao pretenderam pensar o que Ele pensa e igualar-se a Ele em conhecimento... tal como Eva, eles acreditam na promessa da serpente: "e sereis como Deus, sabendo o bem e o mal." (Gênesis 3:5)